PARQUE NATURAL MUNICIPAL DA CRATERA DE COLÔNIA

PNMCC - vista aérea - Leo Malagoli

ABERTURA AO PÚBLICO:
Este parque é uma área fechada ao público. O acesso é permitido apenas a grupos de estudo e pesquisa, mediante agendamento prévio, por meio do telefone da Divisão de Gestão de Unidades de Conservação (DEUC): (11) 5187-0321.

O Parque Natural Municipal (PNM) Cratera de Colônia foi criado em 11 de junho de 2007 pelo Decreto Municipal nº 48.423, com recursos advindos da empresa FURNAS Centrais Elétricas S.A., em cumprimento ao Termo de Ajustamento de Conduta - TAC. O documento foi assinado em 2000 entre Ministério Público Federal, IBAMA e FURNAS, como ação corretiva ao licenciamento ambiental da Linha de Transmissão LT 750 KV Itaberá-Tijuco Preto, Circuito III (LT-C3), que havia desconsiderado o processo bastante avançado de criação da APA Capivari-Monos em curso durante o licenciamento da obra.

LOCALIZAÇÃO
Com uma área de aproximadamente 53 hectares, o PNMCC situa-se no extremo sul do município de São Paulo, Prefeitura Regional de Parelheiros, Distrito de Parelheiros, distante aproximadamente 40 km da região central da capital paulista. Encontra-se dentro da Cratera de Colônia, no interior de uma outra UC, a Área de Proteção Ambiental (APA) Capivari-Monos. Em termos regionais, o PNMCC está inserido na Bacia Hidrográfica do Alto Tietê, na sub-bacia Billings-Tamanduateí.

Endereço: Avenida José Lutzenberger (Antiga Estrada Vargem Grande), s/n - Bairro Vargem Grande - Parelheiros - São Paulo/ SP.  

CARACTERIZAÇÃO
O PNMCC localiza-se no interior de uma cratera formada pelo impacto de um corpo celeste, há cerca de 35 milhões de anos. A Cratera de Colônia é composta por uma várzea central circundada por morros recobertos de vegetação de grande porte que compõem toda a borda da depressão. Apresenta 3,6 km de diâmetro e uma camada de sedimentos de 400 metros de profundidade que guardam elementos do clima, da fauna e da flora de períodos muito antigos da região. Sua paisagem atual é composta de remanescentes de floresta nativa, propriedades agrícolas e um núcleo urbanizado, conhecido como Vargem Grande. Além disso há um presídio estadual em seu interior, conhecido como Presídio de Parelheiros.

O PNMCC foi criado com objetivo de garantir a proteção desta área, com relevância histórica, cultural e científica. Apresenta remanescentes de floresta nativa e campos de várzea, que abrigam uma grande diversidade de espécies da fauna e flora típicas da Mata Atlântica. Além disso, abriga parte da várzea do Ribeirão Vermelho, o principal curso d água da Cratera de Colônia. Sua importância extrapola a escala regional por desaguar na Represa Billings, da qual a SABESP capta água para o Sistema Guarapiranga, garantindo parte do abastecimento de água da metrópole.

Dentro do zoneamento da APA Capivari-Monos, instituído pela Lei 13.706/04, o PNMCC está inserido na Zona Especial de Proteção e Recuperação do Patrimônio Ambiental, Paisagístico e Cultural do Astroblema Cratera de Colônia - ZEPAC, que por compreender situações específicas diferenciadas prevê a recuperação e proteção de ecossistemas da Cratera de Colônia, a recuperação socioambiental de porções ocupadas por conjuntos habitacionais, dentre outros aspectos.

Vegetação: remanescentes de Mata Atlântica em estágios inicial e médio de sucessão, mata de turfeira, bosque heterogêneo e campos de várzea.
Flora: já foram registradas 211 espécies vasculares, das quais estão ameaçadas de extinção: canela-sassafrás (Ocotea odorifera), cedros (Cedrela fissilis e Cedrela odorata), guapeva (Pouteria bullata), jaborandi (Piper lanceolatum), palmito-jussara (Euterpe edulis) e Persea obovata. Destaques de ocorrência: Cyperus inops (primeiro registro para o município); Alstroemeria isabelleana, Matelea denticulata, Agarista chlorantha, Chomelia pedunculosa e Symplocos glandulosomarginata (primeiros registros para o município depois de 1950).
A área teve coletas durante o Projeto “Flora Fanerogâmica do Estado de São Paulo”, cujos resultados também serviram para a proposição da APA Capivari-Monos. Os dados de flora do parque, e de outros sítios da cratera, vêm sendo utilizados em projeto de pesquisa paleoambiental (estudo de variações da vegetação e clima dos últimos milênios). Inventário de flora 2021.

Além das Unidades de Conservação (APA Capivari-Monos e PNMCC) há outros instrumentos e mecanismos que visam garantir a proteção da Cratera de Colônia:

• Abertura de Processo de Tombamento pelo CONPRESP (Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo) - Resolução 04/95. (Processo ainda não concluído);
• Tombamento pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico (CONDEPHAAT) - Resolução 60/03;
• Reconhecimento enquanto Sítio Geológico pela Comissão Brasileira de Sítios Geológicos e Paleontológicos (SIGEP) – 2005;
• Reconhecimento enquanto Monumento Geológico por meio do Conselho Estadual de Monumentos Geológicos (CoMGeo-SP) – 2009. (A Cratera de Colônia é um dos 5 monumentos geológicos paulistas, juntamente com o PETAR, o Varvito de Itu,a Rocha Mountonné e os Geiseritos de Anhembi).

PNMCC - Leo Malagoli

GESTÃO
Até que seja criado o conselho do Parque, o Conselho Gestor da APA Capivari-Monos tem sido utilizado como fórum de discussão para assuntos relativos ao PNMCC. Participe da gestão: as reuniões do Conselho Gestor da APA Capivari-Monos são abertas à população e acontecem sempre nas primeiras quartas-feiras de cada mês, às 9h30, na Prefeitura Regional de Parelheiros (Av. Sadamu Inoue, 5252 - Jardim dos Álamos).

LEGISLAÇÃO

 DOCUMENTOS E PUBLICAÇÕES

Plano de Manejo do Parque Natural Municipal da Cratera de Colônia