DIVISÃO DE GESTÃO DE PARQUES URBANOS (DGPU)

Mosaico composto por fotos de doze parques municipais evidencia áreas verdes, lagos, beiras de represa, obras de arte e outros equipamentos.
A Divisão de Gestão de Parques Urbanos - DGPU é responsável direta pela gestão dos 108 parques municipais urbanos, incluídos aí os lineares. Autoriza a realização de eventos nessas áreas, recebe doações e apoia a Coordenação de Gestão dos Colegiados para o bom funcionamento dos Conselhos Gestores de Parques. A área, conhecida como Depave 5 antes da reestruturação da Secretaria do Verde e do Meio Ambiente (SVMA), elabora e implementa o plano de gestão dos parques, planeja e estabelece diretrizes gerais e cronogramas para a execução dos serviços de manejo e conservação dos recursos naturais. Em sua equipe há profissionais com formação diversa, como engenheiros agrônomos, botânicos, geógrafos e engenheiros florestais.

Tipos de parque
Para melhor compreender as necessidades e características dos parques, a DGPU trabalha com a seguinte subdivisão, conforme o Plano de Desenvolvimento Estratégico (PDE):

Urbanos
- estão situados dentro da cidade, podem proteger trechos de mata ou lagos dentro do perímetro urbano. Possuem um sistema próprio de administração, com portaria, zeladoria e proteção física ao seu redor (gradis). Seu foco é a proteção da biodiversidade, mas suas instalações contemplam recursos para o lazer e até a prática esportiva, em alguns casos.

Lineares
– em geral são abertos (sem gradis), embora alguns possam apresentar essa contenção física. Sua principal função é “proteger e recuperar as áreas de preservação permanente e os ecossistemas ligados aos corpos d’água; proteger, conservar e recuperar corredores ecológicos; conectar áreas verdes e espaços públicos; controlar enchentes; evitar a ocupação inadequada dos fundos de vale; propiciar áreas verdes destinadas à conservação ambiental, lazer, fruição e atividades culturais; ampliar a percepção dos cidadãos sobre o meio físico” (art. 273 do PDE). Por suas características, nem todos os parques lineares possuem uma sede administrativa; no entanto, podem apresentar boa infraestrutura para o lazer, como equipamentos de ginástica e parque infantil.
Alguns parques (categorizados como urbanos ou lineares) também se enquadram como parques de orla, por estarem situados junto às represas Billings ou Guarapiranga. Embora não seja uma “categoria” em si, é uma condição geográfica do espaço, merecendo especial atenção por proteger o manancial.


Conselhos Gestores
A participação popular é feita na gestão dos parques por meio de Conselhos Gestores, integrados por representantes da comunidade, dos trabalhadores locais e de instituições. Os conselheiros são eleitos para um mandato de dois anos e contribuem de forma consultiva com as políticas públicas da SVMA. Saiba mais sobre o assunto e acesse as atas das reuniões desses órgãos colegiados no site da SVMA.

Uso responsável
É importante atentar para o uso consciente do Parque. Ao visitar o espaço, lembre-se de recolher o lixo, pois os materiais deixados para trás podem prejudicar a fauna. Respeite o regulamento interno da área e ajude a zelar pelo Parque Municipal.

Conheça os Parques Municipais geridos por esta Divisão.