MUDANÇAS CLIMÁTICAS

Inventário de Emissões e Remoções Antrópicas de Gases de Efeito Estufa do Município de São Paulo

O que é um Inventário de Emissões de Gases de Efeito Estufa?
O inventário de emissões de gases de efeito estufa (GEE) permite fazer o levantamento das fontes e sumidouros e a respectiva contabilização das emissões e remoções dos gases de efeito estufa (GEE) na atmosfera, resultantes das atividades humanas, podendo ser um importante mecanismo para a gestão de empresas e cidades, permitindo o monitoramento e planejamento de ações visando a mitigação das emissões.

Se realizado periodicamente, torna-se uma ferramenta de gestão de gases, possibilitando conhecer o perfil das emissões de GEE da entidade inventariante. A partir das informações apresentadas no inventário é possível acompanhar a evolução das emissões ao longo dos anos, monitorar as principais fontes e identificar possíveis oportunidades de redução nas emissões, auxiliando na formulação de políticas públicas.

Para uma megacidade como São Paulo que acompanha e participa ativamente de diversos acordos internacionais, como o Acordo de Paris, que visam direcionar a gestão para um futuro mais sustentável e de baixa emissão de carbono, uma das prioridades é o enfrentamento aos riscos provenientes das mudanças climáticas com a redução das emissões de gases do efeito estufa (GEE).

A elaboração do mais recente inventário de emissões de gases de efeito estufa do município de São Paulo se deu no primeiro semestre de 2019, por equipe técnica da Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente, cobrindo 95% das fontes de emissão dos setores: transporte interno, energia estacionária e resíduos gerados internamente, cujos dados compõem a base para a elaboração dos cenários de mitigação e de adaptação do Plano de Ação Climática da Cidade.

O inventário de São Paulo do período de 2010 a 2017 faz parte do Programa de Metas, 2019-2020 da Prefeitura de São Paulo e traz subsídios para o Plano de Ação Climática, permitindo analisar a contribuição dos diferentes setores; estabelecer uma linha de base, prever as futuras emissões, estipular metas de redução e mitigação e fornecer dados para apoiar políticas e ações alinhadas com a Lei 14.933 que instituiu a Política Municipal de Mudança do Clima no município de SP.

De acordo com os dados coletados foi possível constatar que a maior parte das emissões de gases de efeito estufa no município são provenientes do setor de transporte, principalmente devido ao uso de combustíveis fósseis (gasolina e diesel); em segundo lugar está o setor de Energia Estacionária e, em terceiro, o de Resíduos; as demais estimativas serão inclusas nas futuras edições (na foto abaixo, ecretário Adjunto do Verde e do Meio Ambiente de SP, Ricardo Viegas, na abertura do treinamento da C40 sobre inventário de emissões para equipe técnica da SVMA).



Após o treinamento foi criado um Grupo de Trabalho, GT Inventário, formado por técnicos de vários setores da SVMA que passou a participar de reuniões semanais para a elaboração de uma série histórica das emissões na Cidade entre 2010 e 2017.

A metodologia utilizada para os cálculos das emissões foi a GPC, (Protocolo Global para Inventários de Emissões de Gases de Efeito Estufa na Escala da Comunidade), padrão adequado para o território das cidades.

A atualização do inventário faz parte das ações assumidas para com os esforços de combate aos eventos climáticos e de promover a transição de uma economia de baixo carbono. O próximo passo é elaborar e publicar um relatório técnico.
Os resultados foram apresentados na 73.ª Reunião do Comitê Municipal de Mudança do Clima e Ecoeconomia de SP pela Secretária Executiva do Comitê Laura Ceneviva, que apresentou as três principais fontes emissoras de Gases de Efeito Estufa (foto abaixo).

 

 

 

 

   

Gráfico com as três principais atividades emissoras de gases de efeito estufa na Cidade de São Paulo no ano de 2017 (acima) e comparativo das principais fontes emissoras de Gases de Efeito Estufa entre 2010 e 2017 (abaixo).
 

No momento está em elaboração o inventário de emissões nível basic plus, onde são calculadas as emissões dos setores da agricultura, uso do solo e florestas, processos industriais e uso dos produtos, além das atividades de transporte que ultrapassam o território da Cidade de São Paulo e as perdas de transmissão e distribuição de energia. Com essas iniciativas a Cidade de São Paulo está reafirmando seus compromissos com a produção de conhecimento local, bem como estruturando as secretarias e equipes técnicas para a busca de novas soluções e projetos para o enfrentamento dos impactos causados pelas mudanças climáticas.