Linear Parelheiros

 Sul                              

 

Mosaico com quatro fotografias sendo a primeira de uma área com grama alta e árvores com folhas verdes, a segunda de troncos de árvores sobre a grama verde com uma quadra com pessoas jogando futebol ao fundo, a terceira de uma trilha de caminhos com árvores altas de troncos finos ao redor, e a quarta de arbustos com folhas verdes e diversas árvores com folhas compridas.

Estrada da Colônia; Rua Teresinha do Prado Oliveira; José Pedro de Borba
Prefeitura Regional de Parelheiros
Inaugurado em 04/11/2007
Área: 18.076m²
Aberto 24h
Decreto: 50.886 de 28 setembro de 2009

INFRAESTRUTURA

Espaço para caminhadas, campo de futebol de areia, playground e fonte de água potável. Parque com mina de água que forma o riacho que deságua na represa de Guarapiranga, muito importante para o abastecimento de água potável para o município.

PARTICULARIDADES

Destaques da FLORA: araçá-roxo (Psidium myrtoides), aroeira-mansa (Schinus terebinthifolia), bananeira (Musa x paradisiaca), cedro (Cedrela fissilis), cuvitinga (Solanum granulosoleprosum), dedaleira (Lafoensia pacari), diadema (Calliandra tweedii), ipê-de-el-salvador (Tabebuia rosea), jangada-do-campo (Cordia superba), jatobá (Hymenaea courbaril), jerivá (Syagrus romanzoffiana), juaí-una (Solanum concinnum), jurubeba (Solanum scuticum), sibipiruna (Poincianella pluviosa var. peltophoroides), suinã (Erythrina speciosa), sombreiro (Clitoria fairchildiana), tapiá-guaçu (Alchornea sidifolia), unha-de-vaca (Bauhinia variegata) e xique-xique (Brasiliopuntia brasiliensis). Já foram registradas 68 espécies vasculares, das quais estão ameaçadas de extinção: cedro (Cedrela fissilis) e jequitibá-rosa (Cariniana legalis). Inventário de flora 2021.

O BAIRRO

O território de Parelheiros, considerado patrimônio ambiental, é estratégico para a vida da cidade, por sua riqueza em recursos naturais. Abrange uma área de 360,6 Km², representando 23,68% do município, com ocupação urbana de 2,5% e dispersa de 7,7% (Censo SEADE 2001). Situado no Extremo Sul do município, sua divisa está a cerca de 10 Km do mar. De um mirante situado no Parque Estadual da Serra do Mar é possível avistar Itanhaém.

A totalidade de seu território está situada em área de proteção aos mananciais e a região compreende remanescentes importantes de Mata Atlântica, mantendo grande parte de sua mata nativa, como biodiversidade preservada e área de grande produção agrícola, sendo estratégico para a vida da cidade de São Paulo: equilibra as correntes térmicas com as menores temperaturas e a maior precipitação pluviométrica da cidade. Sua rede hídrica contempla três bacias hidrográficas: Capivari, Guarapiranga e Billings. As duas represas fornecem água para cerca de 25% da população da Região Metropolitana.

Parelheiros recebeu este nome devido às diversas corridas de cavalos (parelhas) entre germânicos e brasílicos. Antes era conhecido como Santa Cruz, porque existia uma cruz no local. Por determinação e convite do governo imperial, um grupo de 200 imigrantes chegou a São Paulo em 1827. Eram alemães, austríacos e suíços que vinham para o estabelecimento de uma colônia agrícola. Depois de um ano de estudos e discussões sobre o local onde deveria ser instalada a colônia, o governo provincial optou por uma área distante cerca de 50 km do centro da cidade, que ficou conhecida como Colônia Alemã.

Sem o apoio do governo e enfrentando toda sorte de dificuldades, a colônia entrou em rápida decadência, levando muitos a deixarem a região. Mais de um século depois, durante a Segunda Guerra Mundial, a denominação Colônia Alemã foi substituída por Colônia Paulista, ou, simplesmente, Colônia. O cemitério mais antigo de São Paulo foi fundado por alemães num terreno cedido por Dom Pedro I e tem 178 anos.
O cemitério foi fechado durante a Segunda Guerra Mundial e sua desativação total ocorreu em 1996. Em meados dos anos 1970, foi protegido por legislação de zoneamento e, em 2004, foi incluído como Zona Especial de Preservação Cultural (ZEPEC), no plano regional das subprefeituras. Sua parte mais elevada passou a ser usada para novos sepultamentos. Parelheiros tem um outro cemitério municipal, construído em 1905.

No distrito de Marsilac, localiza-se a estação ferroviária Evangelista de Souza, que marcou a história do Estado de São Paulo durante a expansão da Estrada de Ferro Sorocabana. Fazia parte do ramal Mayrink-Santos, projetado para escoar a produção cafeeira do interior ao porto de Santos – que funciona até hoje – e decisivo na quebra do monopólio da companhia concorrente, a Santos-Jundiaí, conhecida como a “Inglesa”. Em 1957, foi inaugurado o ramal Jurubatuba-Evangelista, desativado em 1991. O que contribuiria muito para o desenvolvimento da região sua utilização para a construção de um pólo turístico, recreativo, cultural e ecológico.

Além dos brasileiros de todos os estados, distribuídos em 200 bairros, há duas aldeias indígenas Pyau (Krucutu) e Tenondé Porá (Morro da Saudade), de um subgrupo guarani, com cerca de 1.000 pessoas, localizadas na Estrada da Barragem e que mantém vivas sua língua, cultura, religião. Cada uma conta com escola específica para a educação infantil indígena e o CECI – Centro de Educação e Cultura Indígena. As crianças passam o dia na escola em contato direto com sua cultura, sob a guarda de suas mães e de monitores guarani. A partir dos 7 anos, os meninos e meninas passam a frequentar a EE Indígena Guarani Gwyrapepo.

CONSELHO GESTOR
Os Conselhos Gestores dos Parques Municipais foram criados em 2003 para garantir a participação popular no planejamento, gerenciamento e fiscalização das atividades que ocorrem nos parques. O objetivo é envolver a comunidade na discussão das políticas públicas de forma consultiva, com enfoque nas questões socioambientais. Os Conselhos são integrados por representantes da sociedade civil (em geral, três frequentadores e um representante de movimento social ou entidade local), um representante dos trabalhadores do parque e três representantes do Poder Executivo. Saiba mais sobre os Conselhos Gestores no site da SVMA.

COMO CHEGAR?
6000/10 – Term. Sto. Amaro / Term. Parelheiros
695Y/10 – Metrô Vila Mariana / Term. Parelheiros
6L02/10 – Terminal Parelheiros / Jd. Eucaliptos
6L03/10 – Term. Parelheiros / Cipó do Meio
6L04/10 – Terminal Parelheiros / Jd. Oriental/Fontes
6L04/41 – Terminal Parelheiros / Jd. das Fontes
6L04/42 – Terminal Parelheiros / Jd. Oriental
6L05/10 – Term. Parelheiros / Barragem
6L05/21 – Terminal Parelheiros / Cid. Nova América
6L08/10 – Hosp. Parelheiros / Jd. São Nicolau
+ informações: www.sptrans.com.br