Linear Guaratiba

 Leste                         

Um retângulo com quatro fotografias dentro, separadas por uma fina linha branca. A primeira foto quiosque com telhas laranja, a segunda foto mesa de concreto com tabuleiro de xadrez em azulejo no centro, a terceira foto banco de concreto sobre a grama, a quarta foto grupo de pessoas jogando futebol na quadra de chão verde.

Rua Salvador Gianetti, 305
Inaugurado em 2010
Subprefeitura de Guaianases
Área: 29.000 m²
Telefone: (11) 2016-5597
Decreto em fase de regulamentação
Aberto diariamente das 6h às 20h

INFRAESTRUTURA

Quadras poliesportivas, playgrounds, pista para caminhada, gramado, bancos, sanitário, pergolado, quiosque. Acessibilidade em banheiros, rampa de acesso ao parque e áreas de circulação.

PARTICULARIDADES

O parque foi projetado em área de topografia plana, construído ao longo do Ribeirão Guaratiba, afluente do rio Itaquera, e próximo à estação da CPTM de Guaianases. Guará é uma espécie de ave comumente encontrada na região antigamente, e uma revoada dessa ave era chamada de guaratiba, daí o termo ter dado nome ao parque.

Possui vegetação composta por áreas ajardinadas, gramados e arborização esparsa. Área da fase 2: capoeirinha, campo antrópico e vegetação rupícola. Destaques da FLORA: aleluia (Senna multijuga), araçá (Psidium cattleianum), embaúba (Cecropia kavanayensis), embaúba-branca (Cecropia pachystachya), ingá-banana (Inga vera subsp. affinis), ingá-branco (Inga laurina), mangueira (Mangifera indica), pau-formiga (Triplaris americana), sabão-de-soldado (Sapindus saponaria), sombreiro (Clitoria fairchildiana), suinã (Erythrina speciosa), urucum (Bixa orellana) e urucurana (Croton urucurana). Já foram registradas 48 espécies vasculares, das quais está ameaçada de extinção: pau-brasil (Paubrasilia echinata). Inventário de flora 2021.

Sua FAUNA é composta por 33 espécies, sendo em sua maioria aves (32 espécies), incluindo táxons generalistas e frequentes de áreas abertas da cidade. São elas: garça-vaqueira, gavião-carijó, gavião-peneira, coruja-buraqueira, tuim, anu-branco, anu-preto, beija-flor-tesoura, suiriri-cavaleiro, andorinha-pequena-de-casa, tiziu e bico-de-lacre.

O BAIRRO
O nome do bairro surgiu do tupi, a partir da tribo dos guaianás, que habitavam essa região, antes conhecida como campos de Piratininga. O bairro recebeu o nome oficial em 1948. Esses índios seriam nômades, vivendo da caça, pesca e coleta de frutos silvestres, e migrando para outra região quando os recursos de uma se esgotavam. Eles não habitavam em ocas, mas em covas forradas com peles de animais e ramas. A chegada dos brancos e jesuítas trouxe desentendimento, fazendo os guaianás serem extintos por volta de 1820.

A região passou a ser um ponto de passagem do Imperador, e os viajantes dormiam aqui para seguir viagem às minas de ouro. No Vale do Ribeirão Lajeado, em terras da família Bueno, foi construída uma pousada e uma pequena capela para recepção desses viajantes. O caminho, conhecido como estrada do Imperador, ficou conhecido também como Estrada dos Guaianases, atual Estrada do Lajeado Velho. O povoado se desenvolveu em torno dessa capela, dando início ao bairro.

CONSULTE AQUI O REGULAMENTO DO PARQUE

CONSELHO GESTOR
Os Conselhos Gestores dos Parques Municipais foram criados em 2003 para garantir a participação popular no planejamento, gerenciamento e fiscalização das atividades que ocorrem nos parques. O objetivo é envolver a comunidade na discussão das políticas públicas de forma consultiva, com enfoque nas questões socioambientais. Os Conselhos são integrados por representantes da sociedade civil (em geral, três frequentadores e um representante de movimento social ou entidade local), um representante dos trabalhadores do parque e três representantes do Poder Executivo. Saiba mais sobre os Conselhos Gestores no site da SVMA. 

COMO CHEGAR 
2707/10 – Chabilândia / Metrô Itaquera
2705/10- Jd. Fanganielo / Metrô Itaquera
407L/10 – Barro Branco / Metrô Guilhermina Esperança
CPTM – LINHA 11-Coral – Estação Guaianases