Linear Guaratiba

 

 Leste                         

Um retângulo com quatro fotografias dentro, separadas por uma fina linha branca. A primeira foto quiosque com telhas laranja, a segunda foto mesa de concreto com tabuleiro de xadrez em azulejo no centro, a terceira foto banco de concreto sobre a grama, a quarta foto grupo de pessoas jogando futebol na quadra de chão verde.

Rua Salvador Gianetti, 305
Inaugurado em 2010
Subprefeitura de Guaianases
Área: 29.000 m²
Aberto diariamente das 6h às 18h, a partir de sábado (31/10)
Telefone: (11) 2016-5597

INFRAESTRUTURA

Quadras poliesportivas, playgrounds, pista para caminhada, gramado, bancos, sanitário, pergolado, quiosque. Acessibilidade em banheiros, rampa de acesso ao parque e áreas de circulação.

PARTICULARIDADES

O parque foi projetado em área de topografia plana, construído ao longo do Ribeirão Guaratiba, afluente do rio Itaquera, e próximo à estação da CPTM de Guaianases. Guará é uma espécie de ave comumente encontrada na região antigamente, e uma revoada dessa ave era chamada de guaratiba, daí o termo ter dado nome ao parque.

Possui vegetação composta por áreas ajardinadas, gramados e arborização esparsa. Área da fase 2: capoeirinha, campo antrópico e vegetação rupícola. Destaques da FLORA: aleluia (Senna multijuga), araçá (Psidium cattleianum), embaúba (Cecropia kavanayensis), embaúba-branca (Cecropia pachystachya), ingá-banana (Inga vera subsp. affinis), ingá-branco (Inga laurina), mangueira (Mangifera indica), pau-formiga (Triplaris americana), sabão-de-soldado (Sapindus saponaria), sombreiro (Clitoria fairchildiana), suinã (Erythrina speciosa), urucum (Bixa orellana) e urucurana (Croton urucurana). Já foram registradas 48 espécies vasculares, das quais está ameaçada de extinção: pau-brasil (Paubrasilia echinata). Inventário de flora 2020.

Sua FAUNA é composta por 33 espécies, sendo em sua maioria aves (32 espécies), incluindo táxons generalistas e frequentes de áreas abertas da cidade. São elas: garça-vaqueira, gavião-carijó, gavião-peneira, coruja-buraqueira, tuim, anu-branco, anu-preto, beija-flor-tesoura, suiriri-cavaleiro, andorinha-pequena-de-casa, tiziu e bico-de-lacre.

O BAIRRO
O nome do bairro surgiu do tupi, a partir da tribo dos guaianás, que habitavam essa região, antes conhecida como campos de Piratininga. O bairro recebeu o nome oficial em 1948. Esses índios seriam nômades, vivendo da caça, pesca e coleta de frutos silvestres, e migrando para outra região quando os recursos de uma se esgotavam. Eles não habitavam em ocas, mas em covas forradas com peles de animais e ramas. A chegada dos brancos e jesuítas trouxe desentendimento, fazendo os guaianás serem extintos por volta de 1820.

A região passou a ser um ponto de passagem do Imperador, e os viajantes dormiam aqui para seguir viagem às minas de ouro. No Vale do Ribeirão Lajeado, em terras da família Bueno, foi construída uma pousada e uma pequena capela para recepção desses viajantes. O caminho, conhecido como estrada do Imperador, ficou conhecido também como Estrada dos Guaianases, atual Estrada do Lajeado Velho. O povoado se desenvolveu em torno dessa capela, dando início ao bairro.

CONSULTE AQUI O REGULAMENTO DO PARQUE

CONSELHO GESTOR
Os Conselhos Gestores dos Parques Municipais foram criados em 2003 para garantir a participação popular no planejamento, gerenciamento e fiscalização das atividades que ocorrem nos parques. O objetivo é envolver a comunidade na discussão das políticas públicas de forma consultiva, com enfoque nas questões socioambientais. Os Conselhos são integrados por representantes da sociedade civil (em geral, três frequentadores e um representante de movimento social ou entidade local), um representante dos trabalhadores do parque e três representantes do Poder Executivo. Saiba mais sobre os Conselhos Gestores no site da SVMA. 

COMO CHEGAR 
2707/10 – Chabilândia / Metrô Itaquera
2705/10- Jd. Fanganielo / Metrô Itaquera
407L/10 – Barro Branco / Metrô Guilhermina Esperança
CPTM – LINHA 11-Coral – Estação Guaianases