Juliana de Carvalho Torres (Cohab Raposo Tavares)

 Centro-Oeste            

Um retângulo com quatro fotografias dentro, separadas por uma fina linha branca. A primeira foto das escadas com corrimão prateados e árvores com folhagem verde ao fundo, a segunda foto de uma parede feita de terra, folhas verdes e árvores, a terceira foto da curva da ladeira com grama verde e folhas secas na lateral, a quarta foto um caminho de terra com folhas secas e arbusto verde com uma flor vermelha.

Travessa Córrego da independência – Cohab Raposo Tavares
Inaugurado em 18/10/2012
Travessa Cachoeira Ariranha, 43 - Cohab Raposo Tavares (administração)
Subprefeitura  do Butantã
Área: 54.384 m² (10.000m² - 1ª fase)
Aberto diariamente das 8h às 17h
Telefone: (11) 3784-2611
Decreto: 53.481 de 18 de outubro de 2.012

INFRAESTRUTURA

Staffs para a contemplação da natureza e ambientes com mesas para jogar damas e xadrez. Equipamentos de ginástica e áreas de circulação acessíveis à pessoa com deficiência. .

PARTICULARIDADES

Situado no km 19,5 da Rodovia Raposo Tavares, seu projeto propõe a qualificação das áreas verdes remanescentes do Conjunto Habitacional COHAB Raposo Tavares e foi implantado em diferentes etapas. O parque é aberto e sem gradis, possibilitando o uso noturno. O projeto consiste na recuperação da encosta, preservando os taludes naturais e a vegetação nativa.
Apresenta vegetação com remanescente de Mata Atlântica em estágio inicial de sucessão, eucaliptal com sub-bosque, áreas ajardinadas e arborizadas. Os destaques da FLORA são: camboatá-de-folhas-largas (Cupania oblongifolia), caá-açu (Bathysa australis), canela-de-brejo (Poecilanthe parviflora), capixingui (Croton floribundus), cuvitinga (Solanum granulosoleprosum), dedaleira (Lafoensia pacari), eucalipto (Eucalyptus sp.), figueira-benjamim (Ficus benjamina), ipê-branco (Tabebuia roseoalba), jaqueira (Artocarpus heterophyllus), jerivá (Syagrus romanzoffiana), pau-jacaré (Piptadenia gonoacantha), sacambu (Platymiscium floribundum) e seafórtia (Archontophoenix cunninghamiana). Já foram registradas 74 espécies vasculares. Inventário de flora 2021.

Das 41 espécies registradas de FAUNA, 18 são de borboletas e 23 são de aves. Com facilidade pode-se avistar sabiá-laranjeira, bem-te-vi, sanhaçu-cinzento, periquito-rico, rolinha e cambacica. Dentre a vegetação é possível observar o belo pica-pau-de-cabeça-amarela e a algazarra de casais de bem-te-vizinho-de-penacho-vermelho. Migrantes como o bem-te-vi-rajado, o suiriri e a juruviara, podem ser avistados de setembro a março. 

O BAIRRO
O Butantã, na zona oeste da cidade de São Paulo, começou a ser ocupado por volta de 1930, num movimento de urbanização contíguo à antiga Estrada de Itapecerica (atual Av. Prof. Francisco Morato). A região era rota de bandeirantes e jesuítas que se dirigiam ao interior do país.

A região era constituída pelos sítios Butantã, Rio Pequeno, Invernada Grande ou Votorantim, Campesina ou Lageado e Morumbi. O desenvolvimento do bairro ocorreu a partir de 1900, principalmente após a implantação do Instituto Butantan (1901) e da Cidade Universitária (1934). A partir dos anos 20, começaram a surgir os primeiros bairros: Vila Butantã, Vila Lageado e Cidade Jardim. Nos anos 30, surgiram os bairros Peri Peri, Vila Clodilte, Vila Gomes, Água Podre e Caxingui. Nas décadas de 40 e 50, foram os bairros Jardim Guedala, Previdência, Vila Progredior, Vila Hípica, Jardim Ademar, Jardim Trussardi e Vila Pirajussara.

QUEM FOI JULIANA DE CARVALHO TORRES?
Juliana de Carvalho Torres, paulista, foi moradora da COHAB Raposo Tavares; estudou na EMEF Maria Alice Borges Ghion e concluiu o ensino médio na Escola Estadual Raposo Tavares (atual EE Odair Martiniano da Silva – Mandela). Ativista do movimento de moradia, trabalhou como agente de saúde na UBS do Jardim Boa Vista. Mãe de dois filhos (Bruno e Pedro Henrique), foi sempre presente em diversas questões do bairro. No dia 30 de junho 2002, um domingo, quando a seleção brasileira conquistava pela 5ª vez a copa do mundo e o Brasil inteiro comemorava feliz a conquista, um caminhão conduzido por um motorista embriagado atropelou a jovem Juliana, com apenas 22 anos, na entrada da COHAB Raposo Tavares. Ela trazia um dos filhos ao colo, que sobreviveu. A escolha do nome de Juliana para o parque foi feita a partir de um processo eleitoral que envolveu toda a comunidade (foram indicados outros três nomes).

CONSELHO GESTOR
Os Conselhos Gestores dos Parques Municipais foram criados em 2003 para garantir a participação popular no planejamento, gerenciamento e fiscalização das atividades que ocorrem nos parques. O objetivo é envolver a comunidade na discussão das políticas públicas de forma consultiva, com enfoque nas questões socioambientais. Os Conselhos são integrados por representantes da sociedade civil (em geral, três frequentadores e um representante de movimento social ou entidade local), um representante dos trabalhadores do parque e três representantes do Poder Executivo.

Saiba mais sobre os Conselhos Gestores no site da SVMA.

ÔNIBUS:
778J-41 - Barra Funda - COHAB Raposo Tavares
778R-41 - Terminal Princesa Isabel - COHAB Raposo Tavares
748J-41 - Lapa - COHAB Raposo Tavares
+ informações: www.sptrans.com.br