Assistencia e Desenv. Social

Prefeitura inaugura sexto Centro Temporário de Acolhimento (CTA) na Avenida Brigadeiro Galvão

Unidade ofertará 290 vagas para acolhimento e 50 para atividades diurnas

Por: Secretaria Especial de Comunicação e Vinícius Dominichelli
Fotos: Wagner Origines/SMADS


A manhã desta sexta-feira (29) foi de festa na Avenida Brigadeiro Galvão, na Barra Funda. O prefeito João Doria e o secretário de Assistência e Desenvolvimento Social, Filipe Sabará, inauguraram o sexto Centro Temporário de Acolhimento (CTA) para pessoas em situação de rua.

A implementação do serviço foi viabilizada pela Secretaria Especial de Investimento Social (SEIS), por meio de doações da iniciativa privada.

O serviço funcionará a partir da próxima segunda-feira (2) 24h por dia e será administrado por meio de parceria entre a Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS) e a Associação Nossa Senhora das Graças. O novo CTA, o maior inaugurado até o momento, pode receber 290 homens para acolhimento e 50 para atividades de convivência durante o dia.

O imóvel pertence à Telefônica, e foi cedido à Prefeitura em regime de comodato, por cinco anos. Para receber o CTA, o prédio recebeu adaptações em todos os ambientes com a construção de salas de atendimento e treinamento, informática, cozinha, refeitórios, dormitórios e banheiros.

"Nós não podemos pensar que as pessoas em situação de rua façam parte da paisagem de São Paulo. Nós temos que dar a elas oportunidades. É a nossa obrigação, estamos aqui para servir a população", afirma o prefeito João Doria.

O espaço dispõe de banheiros e dormitórios específicos para pessoas com deficiência. Os acolhidos podem tomar banho, ter acesso a refeições (café da manhã, almoço e jantar), receber o atendimento social, e ser encaminhado para outras políticas públicas de acordo com a sua demanda.

O CTA da Barra Funda também conta com lavanderia e um canil com sete baias, garantindo um atendimento qualificado também aos animais de estimação dos conviventes. As obras foram doadas à Prefeitura pelo Centro de Integração Empresa Escola (CIEE).



"É uma estrutura que traz dignidade e porta de entrada, mas que também construam porta de saída para as pessoas. É aquilo que o SUAS preconiza, que é criar autonomia e renda para que não fiquem dependentes. Que elas sejam acolhidas, saiam das ruas e sejam capacitadas e qualificadas", destaca o secretário de Assistência e Desenvolvimento Social, Filipe Sabará.

A inauguração do CTA é mais uma das ações da atual gestão para a requalificação e ampliação dos serviços que ofertam acolhimento à população em situação de rua, melhorando a qualidade de vida e proporcionando uma rotina de atividades com a oferta de oportunidades de estudo e emprego. No novo CTA, os conviventes também poderão participar de capacitações para o programa Trabalho Novo, que prevê a inserção de pessoas em situação de rua no mercado de trabalho - mais de 1,3 mil já estão trabalhando em grandes empresas como McDonald´s, Riachuelo, Restaurante Coco Bambu e muitas outras.

A equipe de atendimento será composta por 42 colaboradores, incluindo gerente, assistente técnico, técnicos, orientadores, cozinheiros e agentes operacionais (dois especificamente para o canil).

A implementação desse equipamento também contou com doações de outras empresas da iniciativa privada como as Casas Bahia (linha branca), Igreja Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (armários), INAC (computadores), a Caixa Econômica Federal (mesas e cadeiras para sala de informática), a Souza Cruz (beliches), a Unilever e a Procter & Gamble (kits de higiene), Petz (rações e equipamentos para o canil) e a Lorenzetti (louças).

Durante a inauguração do novo CTA, o depoimento de Sidnei Silva dos Santos, 50 anos, emocionou o prefeito e os convidados. "Vivi em situação de rua entre 2000 e 2004. Mas consegui ser conselheiro tutelar da Mooca por dois mandatos e há um mês trabalho na Coordenadoria de Atendimento Permanente e de Emergência [CAPE] abordando as pessoas que estão em situação de rua", detalha.



Rede de acolhimento

Atualmente, a rede de acolhimento da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS) conta com 87 centros de acolhida, com cerca de 10 mil vagas. Desde o início da gestão, a rede foi ampliada com a implantação de três unidades de Atendimento Diário Emergencial (ATENDE) na região da Luz, que juntas disponibilizam 440 vagas para pernoite. Elas também foram viabilizadas pela Secretaria Especial de Investimento Social com recursos da iniciativa privada.

Outros cinco CTAs já estão funcionando: um no Brás (164 vagas de acolhimento e 100 vagas de convivência), outro no Aricanduva (238 vagas de acolhimento e 100 vagas de convivência), um terceiro na Vila Mariana (120 vagas de acolhimento e 50 para atividades de convivência), o CTA Prates (116 vagas de acolhimento e 110 vagas para atividades de convivência), e o quinto no Butantã (188 vagas de acolhimento e 50 para convivência).

Os primeiros conviventes do novo CTA serão encaminhados ao equipamento pelos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS), Centros de Referência Especializados de Assistência Social (CREAS) e outros serviços socioassistencias da região, mas os moradores em situação de rua também podem procurar o novo serviço espontaneamente.

A população também pode ajudar os moradores em situação de rua solicitando uma abordagem social por meio da Coordenadoria de Atendimento Permanente e de Emergência (CAPE), que funciona 24 horas por dia, e pode ser acionada pela Central 156.