Assistencia e Desenv. Social

Souza Cruz doa veículos e beliches à Prefeitura de São Paulo

Doações serão usadas em serviços voltados ao atendimento da população em situação de rua

 

Foto: Wagner Origines/SMADS
De Secretaria Especial de Comunicação


A empresa Souza Cruz formalizou nesta segunda-feira (28) a doação de 20 veículos e 1.000 beliches à Prefeitura de São Paulo. Os carros e as camas serão utilizados em serviços e programas voltados ao atendimento da população em situação de rua da cidade. A doação, sem qualquer contrapartida para o município, é de cerca de R$ 1 milhão e foi viabilizada pela Secretaria Especial de Investimento Social.

Os seis primeiros veículos (duas Paratis ano 2008, duas Paratis ano 2009, 1 Gol ano 2009 e 1 Gol ano 2010) foram entregues à Prefeitura nesta segunda e direcionados aos Complexos Zaki Narchi e Boracea, dois dos principais pontos de capacitação do programa Trabalho Novo, e que, juntos, atendem mais de 1,5 mil pessoas em situação de rua por dia ofertando acolhimento, banho, refeições, atividades de convivência e encaminhamento para outras políticas públicas.

"Através das doações destes carros e beliches, a Souza Cruz procura dar sua contribuição a projetos que buscam dar mais dignidade e segurança para a população de rua e em situação de fragilidade social. Essa iniciativa reflete nossa atitude e nossa preocupação com o bem-estar dos paulistanos e com a cidade de São Paulo", diz Liel Miranda, presidente da empresa.

Os carros eram da frota da Souza Cruz que rodava por São Paulo em operações comerciais e logísticas e passaram por revisão antes da doação à Prefeitura. A ideia é que os veículos sejam utilizados para o transporte dos participantes do Trabalho Novo para os processos seletivos e a entrega de documentação durante a contratação, e para intervenções da Guarda Civil Metropolitana (GCM). O programa prevê a capacitação e a inserção de 20 mil pessoas em situação de rua no mercado de trabalho até 2020 – 1.171 já estão trabalhando com um índice de retenção de 90%. Outras 10 mil vagas estão captadas junto a empresas de diversos segmentos.

Segundo o secretário de Assistência e Desenvolvimento Social, Filipe Sabará, os carros irão auxiliar no transporte dos beneficiários do Programa Trabalho Novo em um período em que eles ainda não terão o vale transporte nas empresas. “O período do processo seletivo, contratação e os primeiros dias de trabalho é muito frágil e importante porque é a fase de transição da pessoa que vinha dependendo do Centro de Acolhida para um novo momento de criação da sua própria autonomia”, disse.

A empresa já entregou 300 beliches à Prefeitura de São Paulo. Parte desses itens está sendo utilizada na unidade de acolhimento do Programa Emergencial de Inverno (PEI), no Canindé. O espaço foi inaugurado em julho, disponibilizando novas vagas de acolhimento para pessoas em situação de rua durante o Plano de Contingência para Situações de Baixas Temperaturas. Outra parte foi direcionada ao Centro Temporário de Acolhimento (CTA) Prates, que está em fase final de obras e será entregue à população nas próximas semanas.

O acordo prevê a entrega de todos os veículos até o fim de 2017, e das camas até novembro de 2018. O prefeito João Doria ressalta a importância para a capital de parcerias com as empresas e se coloca à disposição de outros representantes da iniciativa privada que desejarem contribuir com a cidade. Cabe à Secretaria Especial de Investimento Social o acompanhamento e a entrega dos itens doados para as secretarias. “A iniciativa privada agora tem a tranquilidade e segurança em realizar parcerias com o poder público. As regras são claras, não existe contrapartida, além da divulgação da marca, o que é justo, com isso as empresas que investem e gostam da nossa cidade podem praticar responsabilidade social e de cidadania, com transparência e com a certeza da correta destinação dos recursos”, diz o secretário Cláudio Carvalho.

Sobre a Souza Cruz

A Souza Cruz é uma das mais relevantes empresas do Brasil e da América Latina. Líder de mercado, atua desde o plantio do tabaco até a distribuição de cigarros, há 114 anos. É considerada uma força no varejo nacional e na exportação de tabaco.

Sua cadeia produtiva mantém 6,5 mil colaboradores diretos, cerca de 200 mil empregos indiretos e 27 mil produtores rurais integrados de tabaco, que geram solução de renda para mais de 100 mil famílias no campo. Seus produtos chegam a 265 mil varejistas em quase 5.500 municípios, o que constitui a mais complexa e abrangente operação de distribuição da British American Tobacco (BAT), controladora da empresa.