Saúde do Homem

Área Técnica - Atenção Básica

Nascem mais homens do que mulheres no município de São Paulo (MSP,) Brasil e Mundo. No entanto, ocorre uma inversão desses números com o passar dos anos.

No MSP são 3,3 milhões de homens na faixa etária entre 20 a 59 anos, constituindo 28% da população total e 59% da população masculina (Ceinfo,2017).

A inversão numérica no MSP inicia a partir da faixa etária da adolescência, quando começam a adoecer e morrer em maior número e precocemente, muitos por Doença Crônicas cujos fatores de risco poderiam ser evitados por mudanças de comportamentos, de hábitos. Na faixa etária de 20 a 59 anos, 68% de mortes são de homens e a expectativa de vida é de 7,6 anos abaixo da média das mulheres.

 

- População segundo faixa etária (em anos), sexo e razão de sexo por CRS – (arquivo .xlsx / Plan1) e população de 20 a 59 anos (n e %) segundo CRS – (arquivo .xlsx / Plan2);

Coeficiente bruto de mortalidade geral (por 1.000 habitantes) na população adulta (20 a 59 anos) segundo sexo, MSP 2018

- Pirâmides etárias das CRS e do MSP (arquivos .pdf).

O Ministério da Saúde introduziu no SUS, a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem (PNAISH), o que consta na portaria GM/MS nº 1.944, de 27/08/2009) e na Portaria de Consolidação nº 2 de 28/09/17. O Município de São Paulo implantou a Política Municipal de Atenção Integral à Saúde do Homem (PMAISH), por meio da Lei Municipal nº 16.540 (31/08/16). A diretriz principal é o de promoção, prevenção e cuidados integrais à saúde dos homens, na faixa etária entre 20 a 59, segundo os 5 eixos de Atenção Integral à Saúde do Homem.

 

Política Municipal de Atenção Integral à Saúde do Homem (PMAISH/SP)

A PMAISH/SP segue a diretriz conforme os cinco eixos, que devem trabalhar na Atenção Integral, na “Abordagem Integral” para a promoção, prevenção e cuidados em saúde; em qualquer situação, em qualquer abordagem, em qualquer consulta e em qualquer local, por qualquer pessoa ou profissional:

PMSH/SP: “Quem ama cuida: cuido de mim para cuidar de outros”

I. Eixo de Acesso e Acolhimento:

1. Promover o acesso e acolhimento sob diversas formas de abordar a população masculina para as ações integrais à saúde do homem: recepção, sala de acolhimento, sala de espera, vacinas; horários alternativos, busca ativa nos espaços “masculinos”, parcerias interinstitucionais, campanhas, consulta de acompanhamento dos filhos, qualquer consulta agendada.

 

2. Realizar discussões e atividades em cada um dos 5 eixos entre gerências e profissionais nas US. Realizar atividades e atendimento de atenção integral em “espaços masculinos” e locais de trabalho predominantemente “masculino”. Abordagem integral: busca ativa, consultas e grupos.


3. Estabelecer formas de atendimento e fluxos para agendamento e para o acompanhamento, visando a abordagem integral do parceiro homem nas consultas de pré-natal da mulher.

4. Estabelecer fluxos e conteúdo para o pré-natal do homem e suas formas de abordagem integral em consultas, grupos, atividades externas.

5. Agendar consultas e estabelecer fluxos para abordagem integral do homem, realizar atividades de grupo na Unidade de Saúde, nos espaços masculinos, comunidade, escolas, trabalho, universidades.

6. ACS, equipes Saúde da Família e outros profissionais de saúde: divulgar, orientar e agendar homens parceiros de gestantes para o pré-natal do parceiro. Busca ativa, orientações e atendimentos.

7. ACS e equipes Saúde da Família: buscar fatores de risco, primeiros sinais e sintomas, divulgar, orientar e agendar homens para atendimento integral à saúde. Realizar busca ativa, orientações e atendimentos.

II. Eixo de Saúde Sexual e Saúde Reprodutiva (SSR):


1. Realizar abordagem integral à saúde do homem com a participação de todos os profissionais de saúde, além de outros. 

2. Realizar ações integrais para a prevenção e o controle de infecções sexualmente transmissíveis (IST) e especialmente para sífilis e HIV.

3. Realizar testes rápidos de sífilis, hepatite e HIV.

4. Realizar grupos, palestras, orientações dirigidas sobre direito sexual e direito reprodutivo.

5. Abordagem integral: planejamento familiar, direitos e deveres, vínculo afetivo.

6. Realizar busca ativa nos “espaços masculinos”: planejamento familiar e reprodutivo (preservativos, vasectomia, ...).

7. ACS e equipes Saúde da Família: realizar busca ativa, divulgar, orientar e agendar homens parceiros de gestantes para o pré-natal do parceiro.

8. Realizar ações integrais de orientação e cuidados à população LGBT, em parceria com o Programa LGBT e S Mulher.

III. Eixo: Paternidade/Cuidados

1. Todas as temáticas dos 5 eixos estão correlacionadas e devem ser abordadas no atendimento do parceiro “pai”: acesso/ acolhimento, Saúde sexual/ reprodutiva, agravos/ doenças e Acidentes/ violência / saúde mental/drogas.

2. Realizar abordagem integral à saúde do homem em todos os espaços, a qualquer tempo: US, escolhas, PSE, entidades educacionais, comunidade, local de trabalho, comércio, outros espaços masculinos.

3. Realizar agendamentos, busca ativa, atendimento, rodas de conversa e palestras: importância do estabelecimento do vínculo afetivo em todos os momentos, desde a concepção até o cuidado posterior enquanto criança e adolescência.

4. Abordagem em consultas: importância da formação do vínculo paterno, da participação ativa na educação e cuidados do filho.

5. Informar o direito do pai/parceiro acompanhar a criança/adolescentes quando internados.

6. Orientar a importância da formação do vínculo afetivo familiar. Orientar a importância no compartilhar os trabalhos domésticos e os cuidados com a criança (dar banho, trocar fraldas e roupas, alimentar, colocar para dormir, orientar na ética e bons costumes, entre outros).

7. Realizar testes rápido para sífilis, HIV e hepatites B e C: nas US e “espaços masculinos”, local de trabalho, outros.

8. Realizar atividades para orientação e disponibilização de método (s) contraceptivo (s) e insumos para o sexo seguro: vasectomia, preservativos femininos e/ou masculinos, lubrificantes, materiais de informação e educativos.

9. Realizar atividades específicas e dirigidas, em escolas para crianças: conhecimento do corpo biológico, cuidados de higiene e doenças.

10. Realizar busca ativa de doentes para tratamento de IST.

11. Realizar campanhas preventivas para doenças e câncer de órgãos sexuais masculinos (próstata, pênis) e sobre questões que envolvam a higiene íntima para a promoção e prevenção à saúde. Abordagens para orientar os homens em relação ao autocuidado do órgão genital.

Pré-natal do homem: enfatizar

1. Ratificando que todas as temáticas dos 5 eixos estão correlacionadas e devem ser abordadas no atendimento do parceiro “pai”: acesso/ acolhimento, Saúde sexual/ reprodutiva, agravos/ doenças e Acidentes/ violência / saúde mental/drogas: “Atenção integral à saúde do homem”.

2. Agendar consulta da gestante, juntamente com a do parceiro para orientações comuns à ambos. Abordagem integral à saúde do homem. Aferir a Pressão Arterial e medidas antropométricas. Solicitar exames laboratoriais de rotina: DCNT; IST (em especial: sífilis, HIV). Solicitar exames relacionados às Doenças crônicas não transmissíveis: hipertentensão, diabetes.

3. Atualizar as vacinas.
4. Orientar o “Homem” para os cuidados odontológicos e encaminhá-lo para triagem odontológica na sua UBS de referência.

5. Agendar, orientar o parceiro quanto a importância da participação ativa durante a gestação, parto, pós-parto e cuidados com a criança: consultas, grupos, outros. Realizar busca ativa, grupos, atividades nos espaços masculinos.

6. Orientar quanto a importância da licença paternidade: participação ativa e vínculo familiar.

7. Orientar quanto a importância quanto a participação ativa do pai/parceiro, construção do vínculo afetivo, nos cuidados da criança; aleitamento materno, compartilhamento de atividades domésticas, compartilhar ao dar atenção aos outros filhos, nutrição saudável (não consumo: leite industrializado, alimentos enriquecidos, mamadeiras e chupetas).

IV. Eixo de Agravos e Doenças Prevalentes:

1. Realizar discussões, grupos de estudo entre gerência e profissionais sobre formas de abordagem integral à saúde do Homem para os Agravos e Doenças.

2. Realizar busca ativa e ou atendimento (US, domicílio, trabalho, estabelecimentos de ensino, espaços masculinos, etc..) de fatores de risco modificáveis (tabagismo, alimentação inadequada, inatividade física, consumo de álcool e drogas).

3. Realizar busca ativa e ou atendimento (US, domicílio, trabalho, estabelecimentos de ensino, espaços masculinos, etc...) dos primeiros sinais e sintomas promovendo a abordagem integral para promoção e prevenção à saúde.

4. Realizar busca ativa e ou atendimento (US, domicílio, trabalho, estabelecimentos de ensino, espaços masculinos, etc) para acompanhamento e cuidados integrais ao doente.

5. Realizar exames preventivos (verificação de PA, teste rápido de diabetes, antropometria, testes para sífilis, teste para HIV, anemia falciforme, lipidograma, etc).

6. Realizar articulação intrasecretarial, intersecretarial e com entidades afins para as ações integrais à saúde do homem.

9. Realizar a atenção integral que incorporem as questões, vulnerabilidades, especificidades da masculinidade das diferentes etnias e povos: anemia falciforme, hipertensão arterial na população negra, outros.


V. Eixo de Acidentes e Violências / Álcool / drogas / Saúde Mental:

1. Discutir entre gerência e profissionais estabelecendo fluxos e formas de abordagem integral à saúde do homem quanto aos acidentes, violências, álcool, drogas, saúde mental, homicídios e suicídios.

2. Realizar atividades para promoção à cultura da paz nas US, escolas, local de trabalho, “espaços masculinos” e outros, trabalhando as causas e consequências.

3. Realizar busca ativa, agendamentos, grupos para que os homens possam ser atendidos e sejam orientados quantos aos temas deste eixo, frequentemente associados uns aos outros.

4. Realizar discussão e planejamento específico para as questões relacionadas aos suicídios e homicídios.

5. Realizar ações em rede intra, intersetorial e entidades afins para realização de Ações Integrais em Saúde do Homem.

6. Estabelecer trabalho junto aos Núcleos de Prevenção de Violência voltados à Atenção Integral à Saúde do Homem.

7. Trabalhar o integrado com o Programa de Violência e Saúde Mental.

As ações de promoção, prevenção e cuidados em saúde da PMAISH ocorrem de forma integrada com as demais Áreas Técnicas da SMS:

 


LINKS

- Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem

- Lei Municipal nº 16540 – Política Municipal Atenção Integral à Saúde do Homem

 

Apresentação Coordenação Nacional de Saúde do Homem/Ministério da Saúde – 13/11/17


  Parte 1 /Parte 2 /Parte 3 /Parte 4 /Parte 5

- Apresentação da Área Técnica de Saúde do Homem/Secretaria Municipal da Saúde

- Guia do Pré-Natal do Parceiro

- Guia de Saúde do Homem para Agentes Comunitário de Saúde (ACS)