Coleção de Obras Raras e Especiais

Em setembro de 1943, Rubens Borba de Moraes iniciou a organização da Seção de Obras Raras e Especiais da Biblioteca Mário de Andrade, que foi aberta ao público em julho de 1945. Seu acervo é formado pela reunião de diversas coleções de bibliófilos e pesquisadores, compradas ou doadas ao longo dos anos. As primeiras obras vieram da Biblioteca Pública do Estado e da compra da Coleção Brasiliana de Félix Pacheco, em 1936. Foram recebidos também em doação milhares de manuscritos, livros, mapas e obras de arte de grandes colecionadores, como Barão Homem de Mello, Baptista Pereira, Paulo Prado, Pirajá da Silva, Paula Souza, Carvalho Franco, Otto Maria Carpeaux e Paulo Duarte.

A coleção de obras raras conta com mais de 40 mil volumes de livros, 20 mil volumes de periódicos e 10 mil outros documentos, incluindo manuscritos, álbuns de fotografias originais, gravuras, desenhos, cartões-postais e moedas. Destacam-se, entre suas muitas preciosidades, nove exemplares de incunábulos (livros impressos antes de 1500) e várias obras raras sobre o Brasil, algumas das quais se conhecem poucos exemplares no mundo.

Obras de André Thévet, Jean de Léry e Manuel da Nóbrega marcam a presença dos primeiros missionários logo após o descobrimento do Brasil e descrevem os contatos iniciais entre os índios e os europeus. Tentativas de dominação do Brasil nos séculos XVI e XVII estão documentadas em textos e imagens da época, em obras de Barleus, Post e outros autores holandeses, da qual a Biblioteca conta com um acervo bastante significativo. Livros descritivos sobre o Brasil só voltariam a ser produzidos no século XIX, depois da chegada da família real e da criação da Imprensa Régia no Rio de Janeiro, em 1808. A abertura dos portos permitiu que viajantes e artistas como Rugendas e Debret, e cientistas como Spix e Martius, descreveram a natureza brasileira e seus habitantes. A coleção de manuscritos inclui desde códices em pergaminho, do século XV, a obras literárias do século XVIII, com destaque para o Vocabulário na língua brasilica, de 1628, e o Códice Costa Matoso, importante coleção de textos sobre Minas Gerais, de 1749. Para os séculos XIX e XX, temos uma coleção de 50 volumes de Rui Barbosa e a correspondência do Comendador Paula Souza e seu filho, fundador da Escola Politécnica da USP. A Biblioteca possui álbuns fotográficos originais dos séculos XIX e XX, como as obras de Marc Ferrez, Militão Azevedo e Washington Luís.

Em 1969 foi publicado o Catálogo de Obras Raras da Biblioteca Municipal, contendo mais de 4.600 títulos das obras mais importantes; um suplemento foi impresso em 1980, com outros 1.200 títulos.

Estamos iniciando o processo de catalogação on line de todo o acervo (http://bibliotecacircula.prefeitura.sp.gov.br/pesquisa/), e parte da coleção já foi integralmente digitalizada, podendo ser pesquisada em nosso site, disponível em: http://docvirt.no-ip.com/demo/bma/bma.htm.


Destina-se a pesquisadores e requer agendamento prévio.

Prédio principal - 1º andar
E-mail: rarosbma@prefeitura.sp.gov.br
Tel. (11) 3775-0012
Atendimento sob agendamento.


Perguntas frequentes