Mário de Andrade

Quem foi Mário de Andrade

Mário Raul de Morais Andrade nasceu em 1893 na cidade de São Paulo, onde veio a falecer em 1945. Desde a infância estudou música, o que, mais tarde, o levou a lecionar piano em aulas particulares, atuando também como professor de História da Música no Conservatório Dramático e Musical de São Paulo.

Em 1917, Mário dá início à sua carreira literária com a publicação do livro Há uma gota de sangue em cada poema. A partir desta publicação Mário só confirmou seu talento como escritor, que cresceu após sua participação na Semana de Arte Moderna de 1922.

Com o livro Paulicéia Desvairada, de 1922, o escritor coloca em prática seu projeto de renovação cultural do país. Aliando profundas pesquisas acerca da tradição brasileira e as vanguardas no mundo todo, Mário foi um dos principais responsáveis pela divulgação e estabelecimento do movimento modernista no Brasil.

A trajetória do artista, no entanto, não se restringe à literatura. Fazia parte de seu ideal de cultura a preservação da memória, a fim de cultivar valores nacionais e afirmar nossa tradição. Isso, aliado à crença na aplicação dos ideais modernistas no cotidiano paulistano levou o escritor a participar efetivamente do florescimento da cultura na cidade de São Paulo. Nos anos 30 criou e dirigiu o Departamento de Cultura da Municipalidade Paulistana, que mais tarde se tornaria a Secretaria Municipal da Cultura. Nasceu deste departamento a ideia de uma biblioteca que servisse como depositária de toda a história cultural da cidade e do Brasil.

A transferência do prédio da Biblioteca Municipal do singelo prédio à rua Sete de Abril para o marco arquitetônico na praça Dom José Gaspar, representou a concretização do plano de Mário de disponibilizar as conquistas do Modernismo e fazer da arte e da cultura um bem comum. Não à toa a Biblioteca recebeu seu nome em 1960. O nome daquele que amou e cantou sua cidade com o mesmo ímpeto com que defendeu sua história.