Mário de Andrade

Quem foi Mário de Andrade?

Mário Raul de Morais Andrade nasceu em 1893 na cidade de São Paulo, onde veio a falecer em 1945. Desde a infância estudou música, o que, mais tarde, o levou a lecionar piano em aulas particulares, atuando também como professor de História da Música no Conservatório Dramático e Musical de São Paulo.

Em 1917, Mário dá início à sua carreira literária com a publicação do livro Há uma gota de sangue em cada poema. A partir desta publicação Mário só confirmou seu talento como escritor, que cresceu após sua participação na Semana de Arte Moderna de 1922.

Com o livro Paulicéia Desvairada, de 1922, o escritor coloca em prática seu projeto de renovação cultural do país. Aliando profundas pesquisas acerca da tradição brasileira e as vanguardas no mundo todo, Mário foi um dos principais responsáveis pela divulgação e estabelecimento do movimento modernista no Brasil.

A trajetória do artista, no entanto, não se restringe à literatura. Fazia parte de seu ideal de cultura a preservação da memória, a fim de cultivar valores nacionais e afirmar nossa tradição. Isso, aliado à crença na aplicação dos ideais modernistas no cotidiano paulistano levou o escritor a participar efetivamente do florescimento da cultura na cidade de São Paulo. Nos anos 30 criou e dirigiu o Departamento de Cultura da Municipalidade Paulistana, que mais tarde se tornaria a Secretaria Municipal da Cultura. Nasceu deste departamento a ideia de uma biblioteca que servisse como depositária de toda a história cultural da cidade e do Brasil.

A transferência do prédio da Biblioteca Municipal do singelo prédio à rua Sete de Abril para o marco arquitetônico na praça Dom José Gaspar, representou a concretização do plano de Mário de disponibilizar as conquistas do Modernismo e fazer da arte e da cultura um bem comum. Não à toa a Biblioteca recebeu seu nome em 1960. O nome daquele que amou e cantou sua cidade com o mesmo ímpeto com que defendeu sua história.

Quer saber mais?

Obras publicadas:

Há uma Gota de Sangue em Cada Poema, 1917
Pauliceia Desvairada, 1922
A Escrava que não É Isaura, 1925
Losango Cáqui, 1926
Primeiro Andar, 1926
O clã do Jabuti, 1927
Amar, Verbo Intransitivo, 1927
Ensaios Sobra a Música Brasileira, 1928
Macunaíma, 1928
Compêndio Da História Da Música, 1929 (Reescrito Como Pequena História Da Música Brasileira, 1942)
Modinhas Imperiais, 1930
Remate De Males, 1930
Música, Doce Música, 1933
Os Contos de Belasarte, 1934
O Aleijadinho de Álvares De Azevedo, 1935
Lasar Segall, 1935
Música do Brasil, 1941
Poesias, 1941
O Movimento Modernista, 1942
O Baile das Quatro Artes, 1943
Os Filhos da Candinha, 1943
Aspectos da Literatura Brasileira 1943
O Empalhador de Passarinhos, 1944
Lira Paulistana, 1945
O Carro da Miséria, 1947
Contos Novos, 1947
O Banquete, 1978
Dicionário Musical Brasileiro, 1989
Será o Benedito!, 1992
Introdução à estética musical, 1995

Visite:

Casa Mário de Andrade