Hemeroteca da Biblioteca Mário de Andrade

O acervo de periódicos da Biblioteca Mário de Andrade, formado por cerca de 12 mil títulos de jornais e revistas, que abrangem desde o século XIX até nossos dias, está instalado em casa nova desde 2012. A Hemeroteca, um edifício de dezesseis andares localizado à Rua Dr. Bráulio Gomes, n. 125, ao lado da Biblioteca Mário de Andrade.

 Os periódicos começaram a fazer parte do acervo da Biblioteca desde seu início através de compras e doações de publicações nacionais e estrangeiras e seu núcleo mais antigo originou-se da incorporação do acervo da Biblioteca do Estado que fora desativada. Entretanto, somente foi criada a Seção de Revistas e Jornais, em 1935, por Rubens Borba de Moraes. A partir de então, recebeu doações valiosas de colecionadores e bibliófilos, como as de Homem de Melo, Paulo Prado, Afonso de Freitas, Felix Pacheco, Sérgio Milliet, Carvalho Franco, Pereira Matos, Paulo Duarte e Pirajá da Silva, dentre outros.

Fundada em 1925, a Biblioteca manteve-se em seu primeiro endereço à Rua 7 de Abril n. 37 até 1943, quando foi transferida ao edifício que acabara de ser construído, à Rua da Consolação n. 94. No entanto, muito rapidamente, o espaço de guarda de acervo mostrou-se insuficiente. Por essa razão, a partir de julho de 1965, algumas coleções de periódicos foram gradativamente deslocadas para a então denominada Biblioteca Presidente Kennedy – hoje Biblioteca Prestes Maia – pertencente à rede de bibliotecas públicas do município, localizada em Santo Amaro. Para lá foram encaminhados os títulos menos consultados, ficando na sede apenas os mais procurados, os correntes e aqueles pertencentes às coleções de Artes e Obras Raras e Especiais. Embora o espaço naquela biblioteca fosse amplo, não contava com a infraestrutura adequada à preservação e à consulta. O atendimento ao usuário era feito ora em Santo Amaro, ora transportando-se os volumes para a Biblioteca Mário de Andrade. Durante anos, o acervo ficou sem funcionário diretamente responsável, com atendimento precário. Em 1991, devido à reforma do prédio da Mário de Andrade, foi feita nova transferência de acervo para Santo Amaro – jornais anteriores a 1982 e outras coleções, cujos critérios de seleção não ficaram muito claros. Em 1992, foi designada uma pequena equipe fixa para a organização do material e o atendimento ao público.
Até setembro de 2002, o atendimento relacionado ao material de Santo Amaro era feito presencialmente e por telefone, mas, após essa data, passou a ser feito semanalmente, mediante agendamento. As condições tanto de atendimento quanto de preservação do acervo eram precárias. O prédio não oferecia condições de armazenamento e a falta de controle ambiental – luminosidade excessiva, poeira, falta de limpeza adequada, presença de insetos bibliófagos – acelerava a deterioração do acervo. Por falta de condições, só se fazia a limpeza do chão e das estantes; a limpeza do acervo só era feita nos fascículos que fossem consultados ou precisassem ser manuseados.
Em 2003, o acervo ocupava seis andares da Biblioteca Prestes Maia e oito andares da sede. Em junho desse ano, o então diretor da Biblioteca Mário de Andrade, José Castilho Marques Neto, propôs ao Secretário Municipal da Cultura que o acervo de periódicos fosse reunido. Isso seria viabilizado pela aquisição de um novo espaço que fosse adequado para receber esse patrimônio e, paralelamente, pela reconstituição do quadro de recursos humanos para desenvolver os trabalhos técnicos necessários. Em abril desse ano, iniciaram-se as negociações com o Governo do Estado para a aquisição do prédio do antigo IPESP – Instituto de Previdência do Estado de São Paulo – que viria a ser um anexo da Mário. Ao assumir a Secretaria Municipal da Cultura, em 2005, Carlos Augusto Calil renovou esforços para a obtenção do imóvel e, finalmente, em 30 de março de 2006, obteve da Secretaria de Estado da Cultura (que, por sua vez, obtivera posse do imóvel em fevereiro do mesmo ano) permissão de uso do imóvel pela Biblioteca Mário de Andrade.
Com a perspectiva de um novo espaço, que ainda teria de ser reformado e adaptado para abrigar a Hemeroteca, a equipe da Biblioteca, sob a direção de Luís Francisco da Silva Carvalho Filho, passou a desenvolver iniciativas voltadas à preservação do acervo de periódicos.
Em 2007, quando do início da reforma do edifício principal da Biblioteca, a parte do acervo de periódicos que ali ainda permanecia, com exceção da coleção de títulos raros e especiais, foi armazenada em outra biblioteca do Sistema Municipal – a Biblioteca Adelpha Figueiredo, no bairro do Canindé. Nesta Biblioteca, desenvolveu-se, no período de novembro de 2007 a outubro de 2008, um projeto de higienização e acondicionamento de jornais e revistas que ali se encontravam, que contou com financiamento do BNDES.
Em 2008, por meio de projeto financiado pelo Programa Petrobras Cultural, foi possível dar início a novas ações de preservação, que contemplaram a higienização das coleções, a avaliação histórica e cultural das coleções que se encontravam na Biblioteca Prestes Maia, em Santo Amaro, e, como projeto-piloto, a catalogação online de parte dessa coleção.
Em dezembro de 2011, as coleções retrospectivas de periódicos gerais foram reunidas e armazenadas em um galpão onde passaram por um processo de desinfestação por atmosfera anóxia (retira-se o oxigênio e introduz-se nitrogênio). No período de janeiro a outubro de 2012, as coleções começaram a ser transferidas gradualmente para o edifício da Hemeroteca, onde já foram iniciados os serviços de higienização, catalogação e organização nas estantes.
Paralelamente, a Biblioteca tem procurado articular-se a outras organizações para o desenvolvimento de projetos cooperativos e tem buscado fontes de recursos externos que permitam o desenvolvimento de projetos de digitalização de seu acervo que contemplem duas vertentes: de um lado, as coleções mais consultadas e, de outro, as coleções mais raras.
A reforma do Anexo foi iniciada em dezembro de 2009 e contou com financiamento do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento), dentro do Programa de revitalização do centro da cidade de São Paulo. O edital para obras da reforma, fora lançado pela Prefeitura em outubro de 2008, com base no projeto arquitetônico desenvolvido pelos arquitetos José Armênio Brito Cruz e Renata Semin, da empresa Piratininga Escritórios Associados. A licitação da obra e seu gerenciamento ficaram sob a responsabilidade da SP-Obras (na ocasião, EMURB), contratada pela Secretaria Municipal de Cultura.

A Hemeroteca abriga a coleção retrospectiva de periódicos gerais, a coleção de Multimeios (que disponibiliza o acesso aos acervos microfilmados e a coleções digitalizadas ou disponíveis apenas em formato eletrônico, caso do Diário Oficial do Município, entre outros), além das coleções ONU e Arquivo Histórico. Desde 2015 recebeu a Sala de Leitura e Periódicos correntes. Dispõe, também, de espaços para atendimento à pesquisa em jornais e revistas impressas, microfilmadas e digitalizadas, e de uma sala para palestras e cursos.

Endereço: Rua Dr. Bráulio Gomes, 125/139 – Centro 
E-mail: hemerotecabma@prefeitura.sp.gov.br 


Sala de Leitura de Periódicos correntes ou Sala de Atualidades
2º andar
2ª a 6ª, das 8h30h às 20h30, acesso livre


Coleção Retrospectiva de Periódicos e Coleção de Multimeios 
2ª a 6ª, das 09h às 17h, mediante agendamento
Tel. (11) 3775-1402 / 3775-1401



Perguntas frequentes

 


 

Coleções de periódicos na Biblioteca Mário de Andrade