Febre Maculosa Brasileira

 
"Rickettsia spp em células VERO
(Imunofluorescência Indireta)
Fonte: Fuller Laboratories"

 

 
 

 

O que é?

 A febre maculosa brasileira (FMB) é uma doença infecciosa febril aguda, de gravidade variável e elevada taxa de letalidade. É causada por uma bactéria do gênero Rickettsia rickettsii, parasita intracelular obrigatório.

 Transmissão

No Brasil, os principais vetores, são os carrapatos da espécie Amblyomma: A. cajennense, popularmente conhecido como “carrapato estrela”, “carrapato de cavalo” ou “rodoleiro”; as ninfas por “vermelhinhos”, e as larvas por “micuins” e A. aureolatum, popularmente conhecido como carrapato-amarelo-do-cão.

Os principais hospedeiros primários do A. cajennense são o cavalo, a capivara e a anta, e do A. aureolatum, canídeos silvestres, sendo transportado e mantido o ciclo parasitário desta espécie na área urbana através dos cães domésticos, quando estes invadem áreas de mata.

É importante ressaltar que não existem estudos que comprovem que a capivara (Hydrochaeris hydrochaeris) seja um reservatório silvestre de riquétsias, contudo ela poderia servir como amplificador da população de carrapatos. Hipótese semelhante se aplica aos gambás (Didelphis spp).

Tratamento

As drogas empregadas são o cloranfenicol ou tetraciclinas. Além dos antimicrobianos, são indispensáveis os cuidados médicos e de enfermagem dirigidos para as possíveis complicações, mormente as renais, cardíacas, pulmonares e neurológicas.

 

Diagnóstico Laboratorial

Pesquisa de anticorpos no soro

Animal (cão, gato, eqüino, gambá, morcego e capivara)

  • · Imunofluorescência Indireta (I.F.I.): detecta anticorpos da classe IgG

Resultado: 24 a 48 horas. 

Interpretação

A reação de imunofluorescência indireta (RIFI) é a técnica de referência utilizada pelo Centers for Disease Control and Prevention (CDC) e por muitos laboratórios de Saúde Pública. Amostras com título igual ou maior a 64 ou amostras pareadas, quando houver soroconversão, serão consideradas reagentes.

 

Prevenção

  • Ter em mente quais são as áreas consideradas endêmicas para a febre maculosa.
  • Evitar caminhar em áreas conhecidamente infestadas por carrapatos no meio rural e silvestre.
  • Quando for necessário caminhar por áreas infestadas por carrapatos, vistoriar o corpo em busca de carrapatos em intervalos de 3 horas, pois quanto mais rápido for retirado o carrapato, menor será o risco de contrair a doença.
  • Barreiras físicas: Calças compridas com parte inferior por dentro das botas e fitas adesivas dupla face lacrando a parte superior da bota. Recomenda-se o uso de roupas claras, para facilitar a visualização dos carrapatos.
  • Não esmagar os carrapatos com as unhas, pois com esmagamento pode haver liberação das riquétsias que têm capacidade de penetrar através de microlesões na pele. Retirá-los com calma através de leve torção, para liberar as peças bucais.
  • Rotação de pastagens. Aparar gramado o mais rente ao solo, facilitando assim a penetração dos raios solares.
  • Controle químico nos animais domésticos através de banhos de carrapaticidas.


 Envio Correto de Material

  • Material
    • Soro (1 ml)
    • Sangue (5 ml)
  • Conservação/Transporte
    • Soro: refrigerado ou congelado;
    • Sangue: refrigerado
        

Veja também:

Preço dos Exames Laboratoriais;