Febre Maculosa Brasileira

 
"Rickettsia spp em células VERO
(Imunofluorescência Indireta)
Fonte: Fuller Laboratories"

 

 
 

O que é?

A febre maculosa brasileira (FMB) é uma doença infecciosa febril aguda, de gravidade variável e elevada taxa de letalidade. É causada pela  bactéria  Rickettsia rickettsii, micro-organismo intracelular obrigatório, transmitida pela picada do carrapato.

Transmissão

No Brasil, os principais vetores, são os carrapatos do gênero Amblyomma: A. sculptum (= A. cajennense) popularmente conhecido como “carrapato estrela”, “carrapato de cavalo” ou “rodoleiro”; as ninfas por “vermelhinhos”, e as larvas por “micuins” e A. aureolatum, popularmente conhecido como carrapato-amarelo-do-cão.

Os principais hospedeiros primários do  A. sculptum (= A. cajennense) são o cavalo, a capivara e a anta, e do A. aureolatum, canídeos silvestres, sendo transportado e mantido o ciclo parasitário desta espécie na área urbana através dos cães domésticos, quando estes invadem áreas de mata.

É importante ressaltar que não existem estudos que comprovem que a capivara (Hydrochaeris hydrochaeris) seja um reservatório silvestre de riquétsias, contudo ela poderia servir como amplificador da população de carrapatos. Hipótese semelhante se aplica aos gambás (Didelphis spp).

Prevenção

  • Ter em mente quais são as áreas consideradas endêmicas para a febre maculosa.
  • Evitar caminhar em áreas conhecidamente infestadas por carrapatos no meio rural e silvestre.
  • Quando for necessário caminhar por áreas infestadas por carrapatos, vistoriar o corpo em busca de carrapatos em intervalos de 3 horas, pois quanto mais rápido for retirado o carrapato, menor será o risco de contrair a doença.
  • Barreiras físicas: Calças compridas com parte inferior por dentro das botas e fitas adesivas dupla face lacrando a parte superior da bota. Recomenda-se o uso de roupas claras, para facilitar a visualização dos carrapatos.
  • Não esmagar os carrapatos com as unhas, pois com esmagamento pode haver liberação das riquétsias que têm capacidade de penetrar através de microlesões na pele. Retirá-los com calma através de leve torção, para liberar as peças bucais.
  • Rotação de pastagens. Aparar gramado o mais rente ao solo, facilitando assim a penetração dos raios solares.
  • Controle químico nos animais domésticos através de banhos de carrapaticidas.

Veja também:

Conheça mais sobre o 

 

PROFISSIONAIS:

 

Esporotricose           Início           Histoplasmose