logo CGM

CGM participa da Hack In SAMPA

Maratona ocorreu nos dias 03 e 04 de junho, no plenário da Câmara Municipal de São Paulo

Nesse final de semana, a Controladoria Geral do Município (CGM) participou da Hack In SAMPA, uma maratona hacker para desenvolver aplicativos de prevenção e combate à corrupção com dados públicos da Prefeitura.

O evento, que reuniu onze equipes pré-selecionadas de desenvolvedores, foi uma iniciativa da Câmara Municipal de São Paulo (CMSP), idealizada pelo vereador José Police Neto.

De acordo com o vereador, a ideia era aliar a inteligência artificial ao trabalho dos servidores públicos. “Queremos que os órgãos se antecipem a possíveis atos ilícitos. Combater a corrupção é garantir que regras idôneas e transparentes sejam aplicadas em cada ato do governo”, afirmou.

Ao longo do evento, Thomaz Anderson Barbosa da Silva, coordenador de Promoção da Integridade da CGM, apresentou as plataformas da Prefeitura que já disponibilizam informações e dados públicos, como o Pedido Respondido, o Diário Livre, o Portal da Transparência e o Portal de Dados Abertos.

“Na plataforma Pedido Respondido, por exemplo, disponibilizamos o conteúdo de todos os pedidos de informação respondidos pela Prefeitura desde a implantação do sistema e-sic. Antes da publicação do material, precisamos realizar um trabalho, que é feito de forma manual, para retirar todos os dados pessoais registrados. Ou seja, qualquer aplicativo que possa implantar filtragens automáticas seria de grande contribuição”, afirmou.

Para Thomaz Anderson Barbosa da Silva, é importante lembrar que uma das metas da atual gestão é garantir que 100% dos dados publicados pela PMSP estejam disponíveis em formato aberto, integrando ferramentas básicas de acessibilidade.

Também participaram do evento cinco Auditores de Controle Interno da CGM: Cristiane Aguemi, Danillo Nunes, Paulo Machado, Paulo Yuuki e Ricardo Santos. Eles se revezaram entre os dois dias e ficaram à disposição para o esclarecimento de dúvidas acerca do trabalho de fiscalização do órgão.

Para o AMCI Paulo Machado, aplicativos que ajudem na filtragem e busca rápida de dados podem contribuir efetivamente no trabalho realizado pela CGM. “No futuro, outro ponto importante seria o desenvolvimento de plataformas que conversem entre si, para que os órgãos possam compartilhar informações de forma mais rápida”, disse.

Para mais informações sobre as equipes finalistas, clique aqui.