Prevenção Combinada

São novas estratégias de prevenção que surgem como ferramentas complementares no enfrentamento da epidemia de HIV ampliando a gama de opções que os indivíduos terão para se prevenir contra o vírus e oferecendo mais alternativas cientificamente eficazes.

A prevenção combinada abrange o uso da camisinha externa (masculina) ou interna (feminina), gel lubrificante, diagnóstico e tratamento das infecções sexualmente transmissíveis (IST), testagem para HIV, sífilis e hepatites virais B e C, Profilaxias Pré e Pós-Exposição ao HIV (PrEP e PEP, respectivamente), imunização para HPV e hepatite B, prevenção da transmissão vertical de HIV, sífilis e hepatite B, tratamento antirretroviral (TARV) para todas as PVHA e redução de danos.

 

Mandala circular da prevenção combinada com os textos em ordem horária: Profilaxia Pós-Exposição (PEP), Profilaxia Pré-Exposição (PrEP), Prevenir a transmissão vertical, imunizar para HBV e HPV, Redução de danos, Diagnosticar e tratar as pessoas com IST e HV, Usar preservativo masculino, feminino e gel lubrificante, Tratar todas as pessoas vivendo com HIV/Aids e Testar regularmente para o HIV, outras IST e HV. AO centro há o texto Prevenção Combinada, com setas circulares com o texto Populaçoes-chave e prioritárias.

Arte: Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST,
do HIV/Aids e das Hepatites Virais - Ministério da Saúde (2018)


Conheça cada área da mandala:

Pra Cego Ver: Arte composta por duas caixas, sendo uma cinza ao fundo e outra azul claro em primeiro plano. Dentro da caixa azul claro, há duas setas brancas para direita e o texto em branco Tratamento como prevenção



O uso de medicamentos antirretrovirais faz com que as pessoas vivendo com HIV/AIDS alcancem a chamada “carga viral indetectável”. As evidências científicas também mostram que pessoas vivendo com HIV que possuem carga viral indetectável, além de ganharem uma melhora significativa na qualidade de vida, não transmitem o HIV se a carga viral indetectável se mantiver por pelo menos seis meses.

 
Pra Cego Ver: Arte composta por duas caixas, sendo uma cinza ao fundo e outra verde claro em primeiro plano. Dentro da caixa verde claro, há duas setas brancas para direita e o texto em branco Profilaxia Pós-Exposição (PEP)




A PEP é a utilização da medicação antirretroviral após qualquer situação em que exista o risco de contato com o vírus HIV. A medicação age impedindo que o vírus se estabeleça no organismo – por isso a importância de se iniciar esta profilaxia o mais rápido possível após o contato: em até 72 horas, sendo mais eficaz se iniciado nas duas primeiras horas após a exposição. A profilaxia deve ser seguida por 28 dias.


Pra Cego Ver: Arte composta por duas caixas, sendo uma cinza ao fundo e outra amarelo em primeiro plano. Dentro da caixa azul claro, há duas setas brancas para direita e o texto em branco Profilaxia Pré-Exposição (PrEP)




A PrEP é a utilização do medicamento antirretroviral por aqueles indivíduos que não estão infectados pelo HIV, mas se encontram em situação de elevado risco de infecção. Com o medicamento já circulante no sangue no momento do contato com o vírus, o HIV não consegue se estabelecer no organismo. 


Pra Cego Ver: Arte composta por duas caixas, sendo uma cinza ao fundo e outra azul escuro em primeiro plano. Dentro da caixa azul escuro, há duas setas brancas para direita e o texto em branco Preservativos e Gel lubrificante




O preservativo é o método mais eficaz para prevenção das infecções sexualmente transmissíveis, como o HIV, alguns tipos de hepatites, sífilis e evita a gravidez não planejada.

O preservativo interno (feminino) também serve para prevenir contra o HIV, hepatites virais e outras infecções sexualmente transmissíveis. Assim como a opção externa (masculina), também evita uma gravidez não desejada. Por ficar dentro da cavidade vaginal ou anal, a camisinha interna não pode ser usada ao mesmo tempo em que a externa. É, também, mais lubrificada.

O gel lubrificante, que deve ser sempre à base de água para não danificar o preservativo, tem papel na prevenção da transmissão sexual do HIV, dado que sua presença nas relações sexuais diminui o atrito e a possibilidade de provocar microlesões das mucosas genitais e anais, lesões estas, que funcionam como porta de entrada para o HIV e outros microorganismos. Recomenda-se seu uso associado ao preservativo, potencializando a prevenção, ou uso isolado, na lógica da redução de risco.

O preservativo externo, interno e o gel lubrificante são disponibilizados gratuitamente na rede pública de saúde.
 

Pra Cego Ver: Arte composta por duas caixas, sendo uma cinza ao fundo e outra rosa escuro em primeiro plano. Dentro da caixa rosa escuro, há duas setas brancas para direita e o texto em branco Redução de Danos



Como o HIV e alguns vírus causadores de hepatites estão presentes no sangue, há risco de infecção a cada vez que se divide seringas, agulhas, alicates ou qualquer outro produto que corte ou fure. Por isso, recomenda-se não compartilhar os equipamentos para o uso de drogas (seringas, cachimbos, piteiras, canudos etc).

Essas recomendações fazem parte da estratégia de redução de danos do Ministério da Saúde, que busca reduzir os prejuízos sociais e à saúde de quem usa álcool e outras drogas. A Coordenadoria não incentiva o uso de drogas nem as distribui; somente visa a proteção dos usuários que não conseguem ou não querem deixar de usar drogas.


Pra Cego Ver: Arte composta por duas caixas, sendo uma cinza ao fundo e outra laranja em primeiro plano. Dentro da caixa laranja, há duas setas brancas para direita e o texto em branco Prevenção da Transmissão Vertical




Toda pessoa grávida deve fazer o pré-natal e os exames para detectar o HIV e a sífilis. Esse cuidado é fundamental para evitar a transmissão da pessoa para a criança. A parceria sexual também deverá comparecer ao serviço de saúde para ser orientada e tratada, a fim de evitar a reinfecção da(o) gestante.

A testagem para o HIV é recomendada na 1ª consulta do pré-natal, 2º  e 3º trimestres e no parto. No caso de gestantes que não tiveram acesso ao pré-natal, o diagnóstico pode ocorrer no momento do parto, na própria maternidade, por meio do teste rápido para HIV. As(os) gestantes que souberem da infecção durante o pré-natal têm indicação de tratamento com os medicamentos antirretrovirais durante a gestação e ainda no trabalho de parto para prevenir a transmissão. O recém-nascido também deve receber o medicamento antirretroviral por quatro semanas e ser acompanhado no serviço de saúde.

A transmissão do HIV também pode acontecer durante a amamentação, por meio do leite materno, por isso a mãe que tem o vírus não deve amamentar a criança. É orientada a suspensão da amamentação e a inibição da lactação. Portanto, o leite da mãe deve ser substituído por leite artificial.
 

Pra Cego Ver: Arte composta por duas caixas, sendo uma cinza ao fundo e outra verde água em primeiro plano. Dentro da caixa verde água, há duas setas brancas para direita e o texto em branco Testagem de HIV e outras ISTs



O teste para diagnóstico do HIV quando feito precocemente aumenta a expectativa de vida do soropositivo. Quem busca tratamento especializado no tempo certo e segue as recomendações do médico ganha em qualidade de vida. A infecção pelo HIV pode ser detectada com, pelo menos, 30 dias a contar da situação de risco. Isso porque o exame (o laboratorial ou o teste rápido) busca por anticorpos contra o HIV no sangue. Esse período é chamado de janela imunológica.

Os testes estão disponíveis em todas as unidades da Rede Municipal Especializada (RME) em IST/Aids e nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) de São Paulo.

Pra Cego Ver: Arte composta por duas caixas, sendo uma cinza ao fundo e outra salmão em primeiro plano. Dentro da caixa salmão, há duas setas brancas para direita e o texto em branco Imunização




A vacina contra Hepatite B é bastante eficaz, mas são necessárias as três doses para garantir a proteção. Está disponível nos serviços de saúde; para a Hepatite C não existe vacina até o momento. É importante também manter a vacinação de adolescentes em dia para o HPV. 

Atenção especial para vacinação de: gestantes, trabalhadores da saúde, bombeiros, policiais, manicures, populações indígenas, doadores regulares de sangue, gays, lésbicas, travestis e transexuais, profissionais do sexo, usuários de drogas, pessoas com ISTs.

Pra Cego Ver: Banner de fundo vermelho com o texto Prevenção Combinada ao HIV ao centro. Abaixo, há o texto também em branco A melhor forma de se prevenir é a sua! Ao redor do banner, há ilustração de camisinhas, frascos, comprimidos e plaquetas de testes.

 

 Botão cinza chumbo, com fina tarja preta na parte superior,escrito Página Anterior, com uma seta à esquerda.Botão cinza chumbo, com fina tarja preta na parte superior,escrito Home. Há um ícone de uma casa à esquerda.