Dicas de Leitura - Consciência Negra no Brasil

Conheça um pouco mais sobre a história dos negros no nosso país. Veja algumas dicas de leitura e contações de histórias com a temática África e Brasil que acontecem nas bibliotecas

História da Cultura Afro-brasileira


Em 20 de novembro comemoramos o Dia da Consciência Negra, dedicado à reflexão sobre a inserção do negro na sociedade brasileira. O dia foi escolhido por ser a data de morte de Zumbi dos Palmares, herói da resistência à escravidão.

O Dia da Consciência Negra procura ser uma data para se lembrar a resistência do negro à escravidão de forma geral, desde o primeiro transporte de africanos para o solo brasileiro em 1594. A data é celebrada desde a década de 1960, mas as comemorações só ganharam notoriedade nos últimos anos.

Apesar de o Brasil ser um país de todas as nacionalidades, de rica miscigenação, os negros ainda sofrem preconceitos no dia de hoje. Aproveite a data para ler sobre a rica cultura negra e sua vida na nossa sociedade atual.

20 de novembro - A consciência nasceu na luta
Alfredo Boulos Jr
As datas comemorativas são momentos importantes na formação de uma memória Nacional, têm um sentido político e cultural profundo. Os títulos desta coleção querem contribuir para que as datas cívicas se tornem momentos de reflexão e reavaliação do nosso passado à luz da experiência do presente. Este exemplar traz como título o 20 de novembro que é o dia nacional da consciência negra, abordando vários assuntos pertinentes ao tema.

A cor do preconceito
Carmen Lucia Campos, Sueli Carneiro e Vera Vilhena
Mira é uma garota negra cheia de entusiasmo que acaba de ingressar numa escola bem-conceituada. Porém, essa euforia se desmancha quando ela descobre o preconceito das pessoas ao seu redor no colégio, onde estudam muitos brancos de uma classe rica. Ao mesmo tempo, Mira vai ter de enfrentar o sentimento de intolerância que surge dentro de si própria. O livro ainda traz páginas complementares com cultura africana, letras de música e infográficos.

História e cultura afro-brasileira
Regiane Augusto de Mattos
O ensino da história e cultura afro-brasileira se tornou obrigatório nas escolas. Esse fato foi considerado um importante passo pelos movimentos de luta dos negros em todo o país. Com linguagem fácil, a obra mostra que, apesar dos obstáculos impostos pela escravidão no Brasil, os africanos e seus descendentes encontraram meios para se organizar e manifestar suas culturas e, assim, influenciaram profundamente a sociedade brasileira como um todo.

O negro no Brasil de hoje
Kabengele Munanga e Nilma Lino Gomes
A construção do Brasil é centrada no encontro de várias civilizações. Nisto está a importância de se estudar a história dos negros e mestiços no país, focando em sua rica bagagem cultural e nas desigualdades sociais que ainda enfrenta em território nacional.

Racismo – A verdade dói. Encare.
Conceição Lourenço
Constantemente ouvimos falar sobre a igualdade racial presente no país, que gera oportunidade independente da etnia. Mas será que essa é realmente a realidade?  Tanto a mídia, quanto as autoridades insistem em propagar esse ideal de democracia, o que acaba encobrindo o problema, fazendo com que a prática do racismo se torne velada e quase sem punições.

Tramas da Cor: Enfrentando o preconceito no dia-a-dia escolar
Rachel de Oliveira
Jéssica é uma menina negra. Em seu ambiente escolar, é constantemente zombada por meio de expressões pejorativas. Tendo seus sentimentos feridos, ela sente que luta em vão contra a agressividade dos outros alunos. Entretanto, ela também nega tudo o que envolva os valores afro-brasileiros. De forma sensível, a autora Rachel de Oliveira mostra os estereótipos e preconceitos que existem no universo escolar.


Contações de histórias com a temática África e Brasil:

Histórias que vieram da África
Com Cecília Graner
Mergulho nas lendas africanas  em comemoração ao Dia da Consciência Negra. Serão contadas as histórias : ''O peixinho vermelho''(Egito), "O hipopótamo azul" (Egito), "Ananse e o Baú de histórias" (Gana) e "As tranças de Bintou" de Sylviane A. Diouf. Livre.
1º de novembro às 14h  Biblioteca Paulo Duarte
8 de novembro às 14h    Biblioteca Paulo Duarte
11 de novembro às 14h  Biblioteca Chácara do Castelo

Karingana
Com Érica Coracini e Rômulo Nardes
De como o adivinho escolheu sua esposa entre três pretendentes: a paciência, a discórdia e a riqueza; de como Iansã salvou o reino de seu pai, e por fim, de como Iemanjá deixou de ser só, tornando-se mãe de todas as divindades. Essas são as histórias contadas e cantadas nesse pequeno espetáculo repleto de canções inspiradas nos ritmos afro-brasileiros. 45 min.
12 de novembro às 14h30 Biblioteca Anne Frank

África de tantos contos e tantos cantos
Com Ode Amorim
Contação interativa que traz histórias coletadas nas tradições africanas e afrobrasileiras, justapostas com outras criações de escritores contemporâneos. Em alguns momentos há dinâmicas nas quais o público interfere diretamente, experimentando um amplo leque de expressões artísticas. Livre. 90 min.
Ônibus-biblioteca
18 de novembro às 14h Ônibus-biblioteca Roteiro Jardim Primavera
19 de novembro às 12h Ônibus-biblioteca Roteiro Balneário São Francisco
22 de novembro às 14h Ônibus-biblioteca Roteiro Jardim Paz de Lima