Dicas de Leitura Especial - São Paulo 461 anos

Em comemoração ao aniversário de São Paulo no dia 25 de janeiro, selecionamos algumas obras para você prestigiar nossa cidade com literatura!


Marco Augusto Gonçalves, Zélia Gattai, Luiz Ge, Antônio de Alcântara Machado, Mário de Andrade, Márcia Camargos e Militão Augusto de Azevedo foram os autores da vez, mas há muito sobre a cidade de São Paulo. Consulte o nosso catálogo online para saber em quais bibliotecas estão disponíveis estes e outros livros. Veja também a lista das bibliotecas pelas regiões de São Paulo.

Dicas de leitura especial São Paulo
 

1922: A semana que não terminou – Marco Augusto Gonçalves
Misturando reportagem e relato histórico, o livro de Marco Augusto Gonçalves desvenda, a partir de intensa pesquisa a documentos e principais veículos da imprensa, um dos principais momentos culturais da história de São Paulo e da arte brasileira: A semana de arte moderna, que aconteceu em fevereiro de 1922. Entre biografias dos principais envolvidos, relatos dos antecedentes que levaram à semana e ‘causos’ curiosos do decorrer do evento, Gonçalves descortina a lógica e o cotidiano das cordas motoras da cidade no início do século XX.

Anarquistas, graças a Deus - Zélia Gattai

Misturando literatura e autobiografia, o romance de estreia de Zélia Gattai relata crônicas da infância da autora, criada em São Paulo por sua família de pobres italianos anarquistas, que desaguaram na cidade com uma série de outros conterrâneos durante a industrialização brasileira. Numa narrativa leve e que, por muitas vezes, alcança o bom humor e a comédia, Zélia acaba traçando um perfil visto “de dentro” dessa parte tão expressiva da população paulistana do século XX. O sucesso do livro rendeu uma minissérie de mesmo título, exibida pela Rede Globo em 1984.

Avenida Paulista – Luiz Ge

Figurando, talvez, entre os mais prestigiados HQ’s contemporâneos, a obra de Luiz Gê ganhou novas edições nos últimos anos e está em prateleiras de livrarias e bibliotecas de toda a cidade. Resultado de uma pesquisa profunda e uma ficção fantasiosa, os quadrinhos vão compondo a trajetória dos cem anos de história da avenida mais importante da cidade e do país.

Brás, bexiga e barra funda – Antônio de Alcântara Machado

Publicado em 1927, em plena efervescência modernista, o livro de Antônio de Alcântara Machado sobre os italianos que aportaram na cidade é, talvez, um dos mais lidos em literatura infanto-juvenil brasileira, retratando um período importante para o desenvolvimento dessa metrópole que hoje é a mais importante do país.

Contos Novos – Mário de Andrade
Obra publicada posteriormente à morte do poeta paulistano, as nove histórias do volume são resultados de processos longos de elaboração por parte do autor. À revelia do modernismo inventivo que Mário ajudou a caracterizar e popularizar no Brasil, esses contos apresentam preocupação estética mais voltada ao realismo, com personagens, enredos e histórias mais bem acabados, laborados até a exaustão em várias versões de texto.

Em que ano estamos? Uma expedição pela história da São Paulo – Márcia Camargos
No livro publicado pela doutora em história Márcia Camargos, cinco crianças e seu tio embarcam em viagens no tempo para momentos importantes da história de São Paulo. O contato feito pela ótica da literatura infanto-juvenil torna a leitura e a análise de fatos e eventos históricos prazerosa e orgânica para todos os públicos. Diversas fotos e ilustrações históricas vão aparecendo no decorrer do livro.

Militão Augusto de Azevedo: São Paulo nos 1860 – Militão Augusto de Azevedo
Este livro reúne trabalhos de um dos mais ativos fotógrafos da cidade no século XIX. Neste trabalho, podem-se conhecer retratos de como se constituiu as ruas, os bairros e, enfim, as histórias de uma cidade que hoje pouco ou nada existe, mas que foi o ponto de onde se formou a megalópole que hoje conhecemos.