Jardins de chuva minimizam efeitos de alagamentos em São Paulo

Áreas verdes inovadoras aumentam a permeabilidade do solo na cidade. Desde 2017, mais de 210 unidades já foram entregues à população

 

 

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal das Subprefeituras, está entregando à população áreas verdes inovadoras, que somam a beleza de folhas e flores à funcionalidade de captação de águas pluviais. Tratam-se dos jardins de chuva, cujo objetivo é ampliar a permeabilidade do solo na cidade e minimizar os efeitos de alagamentos.

Além das funções em infraestrutura verde, essas modalidades ampliam as possibilidades de bem-estar, lazer, permeabilidade e biodiversidade urbana, enquanto auxiliam no escoamento da água da chuva. Os jardins filtram a água para uma rede de drenagem subterrânea e evitam o acúmulo na superfície. Este é o objetivo da SMSUB, que já implantou mais de 210 unidades, desde 2017, por meio das Subprefeituras.

"A implantação de áreas verdes é muito importante para diminuir a aridez da cidade, com a utilização de plantas e flores. Porém mais do que isso, os jardins de chuva têm como diferencial a capacidade de drenar a água que até então ficava acumulada no asfalto. É mais uma medida para diminuir os pontos de alagamentos", afirma Alexandre Modonezi, secretário municipal das Subprefeituras.

Os jardins estão distribuídos nas zonas norte, sul, leste, oeste e centro. Entre os distritos contemplados estão Aricanduva, Butantã, Capela do Socorro, Cidade Tiradentes, Ipiranga, Lapa, Penha, Pinheiros, Santana/ Tucuruvi, Sé, Casa Verde/Cachoeirinha, Ermelino Matarazzo e Vila Mariana. Todas as obras foram realizadas por equipes já contratadas pelas Subprefeituras, sem contratações excepcionais.

A região central da capital foi escolhida para receber o projeto-piloto de Soluções baseadas na Natureza (SbN) e concentra a maior parte dos jardins. São cerca de 60 mil m², se considerarmos também outras intervenções com a mesma função de captação de água, como as vagas verdes, biovaletas, escadarias verdes, poços de infiltração, land art e bosques de conservação urbana.

Está prevista a entrega de 400 unidades até o final de 2024. A Prefeitura tem trabalhado para conseguir financiamento internacional para ampliar a quantidade de obras desse tipo para 2 mil.

Confira aqui a lista de jardins de chuva distribuídos pelas Subprefeituras.

 *FOTO:SECOM