Cultura Inclusiva

Dicas e informações sobre eventos culturais acessíveis

Compartilhe #CulturaInclusiva

Contato: atendimentosmped@prefeitura.sp.gov.br

As atividades culturais da Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência em parceria com a Secretaria Municipal da Cultura, contarão com intérprete de Libras e audiodescrição.

Toda a programação é gratuita e contará com intérpretes de Libras e audiodescrição.

logo da audiodescriçãologo da Libras

 



 

 
*Programação sujeita a alterações.

Confira a agenda completa da Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência:


OS RASTROS DAS MARIAS
Data: 17/11 (Sábado)
Horário: 20:00
Local: Centro Cultural da Juventude - Anfiteatro
Sobre: O espetáculo “Os Rastros das Marias”, do Coletivo Baú, conta a história de uma mulher negra que nasceu em um quilombo e não aceitou o destino que diziam ser o seu: o de empregada doméstica. Negras brasileiras como Tereza de Benguela, Maria Firmina dos Reis e Carolina Maria de Jesus servem como fonte de inspiração e referência para Cyda Baú, atriz e idealizadora do projeto, nascida no Quilombo Baú, no Vale do Jequitinhonha, em Minas Gerais.
Serviço: Tradução para Libras.
Observações: Teatro, 60min, gratuito, 16 anos. A distribuição de ingressos inicia 1h antes do evento.

LABIRINTO DE FILÓ
Data: 18/11 (Domingo)
Horário: 16:00
Local: Teatro João Caetano
Sobre: Essa é a história da Menina da Rua de Cima, do Menino da Rua de Baixo e a Minhoca Filó, uma minhoca curiosa e perguntadeira com um monte de dúvidas e ideias na cabeça, e que de tanto pensar se perde num labirinto de buracos e túneis. Espetáculo com músicos e atores, cantando e tocando ao vivo, violão, viola caipira, sanfona e percussão, tendo como temática a poesia e a filosofia para crianças.
Serviço: Tradução para Libras
Observações: Teatro Infantil, 60min, gratuito, livre. A distribuição de ingressos inicia 1h antes do evento.

OISENSA SHOW (ESPETÁCULO DE MÁGICA)
Data: 22/11 (quinta-feira)
Horário: 14:30
Local: Biblioteca Raul Bopp
Sobre: Esqueça a cartola, o fraque e roupas monocromáticas. Oisensa passa longe de ser um mágico tradicional, aliás, ele nem se considera mágico. Trajando um terno laranja e com um sotaque estranho, Oisensa adora contar histórias e durante elas, ilusões acontecem. Para envolver o público, nada como um show cheio de maluquices e diversão. Isso para Oisensa é a verdadeira mágica. Um show de mágicas bem incomuns que agrada crianças de todas as idades.
Serviço: Tradução para Libras
Observações: Circo, 50min, gratuito, livre. Sem necessidade de distribuição de ingressos.


SENTA QUE LÁ VEM HISTÓRIA COM ISABELLA SANTOS
Data: 22/10 (quinta-feira)
Horário: 15:00
Local: Casa de Cultura do Itaim Paulista
Sobre: Maria busca entre os espectadores, características de sua saudosa avó, mulher negra quilombola, através de brincadeiras e questionamentos que fazem com que todos participem pela memória e pelos afetos.
Serviço: Tradução para Libras
Observações: Contação de História, 45min, gratuito, livre. A distribuição de ingressos inicia 1h antes do evento.

 

MOMENTO MÁ(G)ICO
Data: 23/11 (sexta-feira)
Horário: 09:30
Local: Biblioteca Affonso Taunay
Sobre: Maico Silveira lança o seu mais novo trabalho como mágico. Momento Ma(g)ico propõe um jogo de palavras entre o nome do artista e a própria natureza da apresentação. Em cena, o mágico traz histórias e números que encantam públicos de todas as idades, a partir de sua própria vivência no mundo do ilusionismo.
Serviço: Tradução para Libras
Observações: Circo, 50min, gratuito, livre. Sem necessidade de distribuição de ingressos.

CAROLINA MARIA DE JESUS, DIÁRIO DE BITITA
Data: 23/11 (Sexta-feira)
Horário: 21:00
Local: Teatro Arthur Azevedo
Sobre: A peça é uma adaptação das obras “Quarto de Despejo” e “Diário de Bitita” da escritora mineira Carolina Maria de Jesus. A encenação segue o fluxo de memória de Carolina, refazendo sua trajetória da infância miserável em Sacramento no interior de Minas, quando a chamavam de Bitita, até o lançamento do seu primeiro livro - com enorme sucesso. Uma história surpreendente e inspiradora: A menina que estudou apenas dois anos do primário virou uma grande escritora. Em cena, Carolina cata papel nas ruas de São Paulo para sustentar a família. As coisas encontradas lembram os acontecimentos marcantes de sua vida. Ela vai “bititando”, desenhando o espaço, dando alma. Tudo ganha corpo, presença: a alfabetização, o primeiro contato com os livros, os sonhos da meninice, as festas populares, a enfermidade que a obrigou a mendigar, a prisão injusta, a religiosidade, o trabalho na roça, os laços afetivos, a mãe lavadeira, o pai ausente, o avô descendente de escravos, as madrinhas, os meninos que zombavam dela... Personagens de uma história fantástica de superação, inesperada e comovente.
Serviço: Tradução para Libras e Audiodescrição
Observações: Teatro, 70 min, gratuito, 14 anos. A distribuição de ingressos inicia 1h antes do evento.

NUMVAIDUÊ
Data: 18/11 (Domingo)
Horário: 14:00
Local: Teatro Leopoldo Fróes – Centro Cultural Santo Amaro
Sobre: O que acontece quando um hospital é descoberto e explorado por palhaços “besteirologistas”? O que eles construirão com suas fantasias, sonhos, lembranças? Que novos significados e dimensões terão os objetos que os médicos usam, os sons que viram música nas suas mãos curiosas, as imagens que se descortinam nas suas escutas e olhares surpreendentes? Com poesia e humor, ‘Doutores da Alegria’ traz respostas para tais questões, levando ao palco esse hospital dos sonhos que gostaria de construir, onde a cura passa pela emoção e a gargalhada se junta ao sorriso num encantamento de magia, música e busca de sentidos.
Serviço: Tradução para Libras
Observações: Teatro, 60 min, gratuito, livre. A distribuição de ingressos inicia 1h antes do evento.


MEDEA MINA JEJE
Data: 26/11 (segunda-feira)
Horário: 19:00
Local: Biblioteca Mário de Andrade - R. da Consolação, 94, República
Sobre: O poema cênico a seguir constitui-se a partir da fricção entre a narrativa polissêmica da Medea negra da Mina Jeje, escravizada na Vila Rica de Nossa Senhora de Pilar de Ouro Preto, nas Minas Gerais do Brasil século XVIII, e a leitura da tragédia de Eurípides, datada de 431 a.C. Num espaço de cena diminuto e praticamente vazio, concebido como uma instalação, com estrutura que é completada pelos movimentos sutis da luz e pela materialização de elementos sonoros, é o ator quem orquestra a expressividade deste canto de sacrifício e obstinação e esculpe as demais dinâmicas da cena, numa trama que reúne performance e narrativa, canto e dança. A peça busca mover para a candura da cantiga do luto maternal o ardor profundo da resistência das negras e negros adentro dos brasis – como um mar revolto.
Serviço: Tradução para Libras e Audiodescrição
Observações: Teatro, 40min, gratuito, 14 anos. A distribuição de ingressos inicia 1h antes do evento.

 

 

 * Baixe os símbolos de acessibilidade: Libras, Audiodescrição e Closed Caption.