Programação para o mês de novembro

“ENTRE RISOS E LÁGRIMAS”- O TEATRO NO CIRCO é o nome do projeto do Centro de Memória do Circo que mostra um pouco do teatro circense.

A programação do projeto conta com uma série de Diálogos entre artistas circenses de várias gerações para debaterem o papel do circo na cultura nacional.

Os convidados para o primeiro diálogo que acontece no dia 8 são a atriz Vic Militello e o ator Raul Barreto. Vic Militello tem mais de 50 anos de carreira no teatro, cinema e televisão. Atuou em novelas como Estúpido Cupido e Kubanacan. É filha da atriz circense Dirce Militello e do ator e palhaço Humberto Militello. Raul é palhaço especializado em malabares e arremesso de facas e faz parte do grupo Parlapatões, Patifes e Paspalhões.

Já o segundo diálogo, no dia 22 contará com a preseça de Mário Bolognesi e Domingos Montagner.  Mário é professor, doutor e pesquisador do Instituto de Artes da UNESP de São Paulo.Foi consultor e pesquisador do espetáculo “Reprise” e “Rádio Varieté” da Cia La Mínima.Além de ser autor do livro “Palhaços”. Já Montagner é fundador da Cia La Mínima, juntamente com Fernando Sampaio, que já montou nove espetáculos todos ligados à arte do picadeiro.

O projeto do Centro de Memória do Circo está sendo realizado com a parceria do Arquivo Miruel da Silveira(ECA-USP), dos Doutores da Alegria e do curso de humor da Escola São Paulo de Teatro.

As oficinas e palestras são gratuitas, com classificação livre e duração de 90 min. Elas acontecem nos dias 8 e 22 (2ª feira) às 19 horas, na Galeria Olido. Av São João, 473. Centro

 

No dia 29 de novembro, 2ª feira á partir das 16 horas, o espetáculo “LARGO DO PASSAINDU, ONDE O CIRCO SE ENCONTRA” terá suas portas abertas na Galeria Olido.

O conteúdo que poderá ser apreciado pelos visitantes é um vídeo documentário de aproximadamente 2 horas sobre a memória oral do circo brasileiro.

Estarão reunidos no documentário depoimentos a respeito da presença do circo no Largo do Paissandu. Para isso, 13 artistas circenses foram entrevistados por Verônica Tamaoki, em fevereiro de 2008, durante o processo que culminou com a criação do Centro de Memória do Circo.

Para conferir o vídeo documentário é só comparecer no Centro de Memória do Circo. A classificação é livre e a entrada gratuita.