PATRONO DA BIBLIOTECA MONTEIRO LOBATO

José Renato Monteiro Lobato nasceu em 18 de abril de 1882 em Taubaté, SP. Modificou seu nome para José Bento Monteiro Lobato, desejando usar a bengala do pai gravada com as iniciais J.B.M.L. Monteiro Lobato ficou órfão aos 17 anos e permaneceu sob a tutela de seu avô, o Visconde de Tremembé.

Em 1904 bacharelou-se em Direito pela Faculdade do Largo de São Francisco. Em 1911 seu avô faleceu deixando como herança uma fazenda; Lobato passou de promotor a fazendeiro. Leu e escreveu muito nessa fase da vida, trabalhou no meio rural e colaborou com inúmeros jornais e revistas. Criou o polêmico Jeca Tatu, personagem símbolo de sua obra.

Em 1917 vendeu a fazenda e mudou-se para São Paulo. Comprou a Revista do Brasil Publicou aos trinta e seis anos seu primeiro livro: Urupês. Com A menina do Narizinho Arrebitado deu início à saga do Sítio do Picapau Amarelo e suas imortais personagens.

Foi dono de editora, jornalista, crítico de arte, tradutor, adido comercial da Embaixada Brasileira nos Estados Unidos durante quatro anos. Em 1929 lançou o livro Circo de Escavalinho, onde surge o Sítio do Picapau Amarelo, batizado por Emília.

Faleceu em 4 de julho de 1948, em São Paulo. Lobato deixou uma vasta obra tanto para crianças e adolescentes quanto para adultos. Modernizou a indústria editorial brasileira, lutou pela preservação do nosso petróleo e por um Brasil mais moderno.

Algumas obras: Saci Pererê, Urupês, Negrinha, Cidades Mortas, Idéias de Jeca Tatu, Contos escolhidos, O escândalo do petróleo, Narizinho arrebitado, Aventuras de Hans Staden, As reinações de Narizinho, Emília no país da gramática, Aritmética da Emília, O museu da Emília, O Picapau Amarelo e a reforma da Natureza.


Fontes de pesquisa:

SÃO PAULO (Cidade). Secretaria Municipal de Cultura. Departamento de Bibliotecas Infanto-Juvenis. Biobibliografia dos patronos das Bibliotecas Infanto-Juvenis da Cidade de São Paulo. São Paulo, 1999. p. 3-17.