RAIVA HUMANA

Orientações ao cidadão!

 Como uma pessoa pode pegar a Raiva?

Através de mordeduras, arranhaduras e lambeduras por mamíferos com potencial em transmitir o vírus da raiva. No caso de morcegos, pode ser transmitido pelo simples contato!

Quais os animais que transmitem o vírus da raiva?

TODOS OS MAMÍFEROS:

ü  Animais domésticos: cães e gatos;

ü  MORCEGOS: todas as espécies;

ü  Animais Silvestres: primatas (saguis), capivaras, guaxinim, gambás, quatis, etc

ü  Herbívoros ou Animais de Produção: eqüinos, bovinos, caprinos, ovinos, suinos.

ü  Roedores urbanos não transmite raiva

Como evitar os acidentes com animais potencialmente transmissores do vírus da raiva?

ü  Domiciliação dos animais, ou seja, cães e gatos não devem ficar soltos nas ruas, ou estar sem a supervisão dos tutores, como por exemplo, soltos em telhados;

ü  Castração dos cães e gatos;

ü  Conhecimento do comportamento dos animais 

ü  Vacinação antirrábica anual de cães e gatos;

ü  Locais arborizados (prédios, comércios casas, apartamentos), usar telas nas janelas para evitar a entrada de morcegos;

ü  Nunca manipular morcegos;

ü  Não oferecer comida para primatas e quatis e outros animais silvestres.

O que devo fazer quando for agredido por um animal?

ü  IMPORTANTE! Lavar imediatamente o ferimento com água corrente e sabão por pelo menos 15 minutos;

ü  Procurar imediatamente o Serviço de Saúde mais próximo;

ü  Não MATAR e não ABANDONAR o animal;

ü  Em caso de morte, ligar 156 para remoção do corpo para diagnóstico de raiva animal

 

EM CASO DE ACIDENTE:

Qualquer Unidade de Saúde pode realizar o primeiro atendimento. Nos casos com indicação de tratamento (vacina ou soro), o médico fará o encaminhamento para uma das unidades de referências que fazem a aplicação

IMPORTANTE:

Não falte ou abandone o tratamento, mesmo que as feridas sejam superficiais. O tratamento completo é a garanti do sucesso na prevenção da doença.

TRATAMENTO: NÃO TEM CONTRAINDICAÇÃO!

Indivíduos imunodeprimidos, gestantes, em lactação podem receber o tratamento.

 

ACIDENTES COM CÃES E GATOS

1- Animais Vivos e saudáveis que podem ser observados: Estes animais são as únicas espécies que podemos observar seja dos vizinhos, parentes, comunitários ou do morador de rua. O período de observação são 10 dias (conduta indicada no município de São Paulo). O cão ou gato deve receber água e alimentação normalmente e deve-se evitar sua fuga para evitar que agrida outras pessoas ou animais e possa completar o período de observação.

2- Animais desaparecidos, desconhecidos, mortos e/ou eutanasiados em clínicas veterinárias. Neste caso, a vítima tem indicação de tratamento, então deve procurar imediatamente a unidade de saúde para avaliação médica. O profissional médico realizará o primeiro atendimento e encaminhará para as UNIDADES DE REFERÊNCIA DA PROFILAXIA DE PÓS EXPOSIÇÃO DA RAIVA 

Nas referências, o médico indicará a conduta de acordo com o acidente:

1. Exposição das lesões: (leves ou graves), região do corpo;
2. Profundidade: (superficial ou profundo);
3. Extensão: (únicos ou múltiplos);

4. Espécie Agressora. A condição vacinal do cão ou do gato não interfere na conduta!

 

 

 

 

 

 

O animal será resgatado e encaminhado para o laboratório do DVZ - Divisão de Vigilância de Zoonoses, conhecido como: Centro de Controle de Zoonoses onde será realizado o exame para o diagnóstico de Raiva Animal.

A vítima deve iniciar imediatamente o tratamento de profilaxia de pós-exposição da raiva.

Caso a morte do animal seja por outras causas poderá acessar o link para descarte seguro.

 

 

ACIDENTES COM MORCEGOS E OUTROS ANIMAIS SILVESTRES

1-MORCEGOS: Os morcegos, atualmente, são as espécies de maior importância para a Saúde Pública na transmissão do vírus da raiva. Por se tratar de um mamífero silvestre e sem o conhecimento detalhado como essa doença se manifesta neles, o acidente com estas espécies é GRAVÍSSIMO! Na natureza eles atuam no reflorestamento e também são protegidos pelas leis: 5.197/1967 e 9.605/1998, que penalizam indivíduos de “condutas e atividades lesivas ao meio ambiente”

Acidente por morcego hematófago

 

O risco de transmissão ocorre em mordeduras, arranhaduras, lambeduras e também pelo contato direto (pegar na mão).


O FERIMENTO OU LOCAL DE CONTATO COM O MORCEGO DEVE SER LAVADO COM ÁGUA E SABÃO!

 PROCURE IMEDIATAMENTE ATENDIMENTO MÉDICO!