08/03/2017 19h07

Share

Secretaria Municipal de Direitos Humanos lança Virada Feminina no Dia Internacional da Mulher

Primeira edição acontecerá no Parque Ibirapuera em 28 de maio, com palestras, workshops, atividades culturais e serviços de saúde

Secretaria Patrícia Bezerra discursa para mulheres durante celebração na Praça das Artes, Centro de São Paulo

A Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania da Prefeitura de São Paulo anunciou, neste 8 de março, a Virada Feminina, um movimento de educação cidadã e atendimento às mulheres com 12 horas de atividades. O evento acontecerá em parceria com a Coordenação de Políticas para a Mulheres do Governo do Estado e a Liga das Mulheres Eleitoras do Brasil (LIBRA).

A Virada Feminina ocorrerá todos os meses em um parque de São Paulo. A primeira edição está marcada no Parque Ibirapuera em 28 de maio, o Dia Internacional de Combate à Mortalidade Materna e de Ação da Saúde da Mulher. A proposta é reunir diferentes segmentos da sociedade para tratar de temas a partir do olhar feminino.

Haverá workshops e palestras nas áreas de educação, saúde, mobilidade urbana, cultura, segurança e meio ambiente. O evento também contará com quiosques para atendimentos de saúde, orientação jurídica e de reinserção no mercado de trabalho, espaços de beleza, além de orientação individual sobre proteção contra violência.

O público poderá participar de painéis sobre o papel da mulher na política, na economia, meio ambiente e educação cidadã. O evento terá ainda entretenimento, arte, cultura, cidadania, além de temas nacionais e internacionais sobre a mulher. Será também uma oportunidade de reunir diferentes segmentos da sociedade, lideranças femininas empresariais, políticas e sociais para tratar de temas diversos.

Dia da Mulher
O Dia Internacional das Mulheres é a data global de celebração das conquistas sociais, econômicas, culturais e políticas das mulheres. É também um marco para avançar na conquista da igualdade de gênero. A data é lembrada há mais de 100 anos, tendo como inspiração as lutas femininas por melhores condições de vida e de trabalho, e pelo direito ao voto, na passagem século XIX para o XX.

Em 1975, durante o Ano Internacional das Mulheres, as Nações Unidas oficializaram o dia 8 de março como o Dia Internacional da Mulher.

A ONU Mulheres ressaltou que os “direitos das mulheres são direitos humanos. Porém, nesses tempos difíceis, à medida que nosso mundo se torna mais imprevisível e caótico, os direitos das mulheres e das meninas estão sendo reduzidos, restringidos e reservados”.

A Comissão Interamericana de Direitos Humanos afirmou que “a discriminação contra as mulheres continua arraigada nas desigualdades estruturais e iniqüidades entre homens e mulheres em todos os países do hemisfério”.