Vacina Hepatite A

Veja aqui a ampliação dos grupos!

Transmissão

Tradicionalmente, a forma de transmissão da Hepatite A se dá por meio de água e alimentos contaminados com fezes ou no contato íntimo com pessoas infectadas. O doente já transmite antes de manifestar os sintomas (até 2 semanas antes).

Entretanto, em 2017, foram observados no Brasil e no Mundo, surtos entre homens que fazem sexo com homens (sexo oral/anal). É preciso esclarecer que não se trata de Infecção Sexualmente Transmissível (IST) como as Hepatites B e C, Sífilis e HIV, pois a contaminação não se dá por secreção vaginal ou sémen e sim, por contaminação oral por fezes no ato sexual.

Dados Epidemiológicos

Entre janeiro de 2016 e abril de 2017, a capital paulista registrava uma média de cinco novos casos de hepatite A por mês. Em maio do ano passado, o número triplicou e atingiu o pico de 156 notificações em julho de 2017. O Município de São Paulo fechou o ano de 2017 com 786 casos confirmados da infecção, 176 hospitalizações e dois óbitos. Cerca de 80% dos registros foram em homens e a maioria com idade entre 18 e 39 anos. Em mais de 40% dos casos a infecção foi de forma sexual (oral/anal).

Desta forma, a Secretaria Municipal de Saúde, em consonância com as recomendações do Ministério da Saúde, está oferecendo a vacina Hepatite A para pessoas que pratiquem sexo de risco para contaminação por fezes, ou seja, prática oral/anal.

Sobre a Vacina

Disponível para este grupo de pessoas nos Serviços de Assistência Especializada (SAE) e nos Centros de Referência (CRs) em infecções sexualmente transmissíveis (ISTs)/AIDS da capital paulista. As unidades funcionam de segunda a sexta, das 7h às 19h. Para se vacinar, basta levar a carteira de vacinação. Clique para abrir a lista de SAE e CR que oferecem a vacina.

Além dessas unidades municipais, as doses também estão sendo ofertadas nos Centros de Referência pra Imunobiológicos Especiais (CRIE) do Emílio Ribas (Av. Dr. Arnaldo, 165), do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP - Rua Dr. Ernesto de Carvalho Aguiar, 155 – Cerqueira César - Prédio dos Ambulatórios) e da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp - R. Borges Lagoa, 770 – Vila Clementino), além do Centro de Referência e Treinamento DST/AIDS (CRT DST/AIDS - Rua Santa Cruz, 81 – Vila Mariana), que são serviços de saúde do estado na capital paulista.

A proteção contra a infecção começa após 10 dias da primeira dose. Em adolescentes e adultos, são necessárias duas aplicações da vacina, com intervalo de seis meses, para efetividade completa.

 

Para saber mais sobre a Hepatite A, clique na figura

Para acessar o calendário de vacinas em todas as faixas etárias, clique na figura