Departamento de Agricultura

A função primordial do departamento de agricultura é implementar ações que atendam o desenvolvimento rural sustentável e a política de segurança alimentar e nutricional.

O corpo técnico é composto por engenheiros agrônomos, que fornecem assistência técnica aos agricultores, com o objetivo de promover a adoção de melhores técnicas e práticas de cultivo, levando em consideração aspectos ambientais, de saúde e econômicos.   O serviço é descentralizado, com vistas a facilitar o acesso dos agricultores cadastrados, bem como a mobilidade dos técnicos. São duas casas de agricultura, uma na zona leste e outra na zona sul da cidade.
O departamento, além da assistência técnica e da orientação, estimula e cria espaços de comercialização dos produtos.

Sobre a Casa de Agricultura Ecológica

As atividades das Casas de Agricultura Ecológicas (CAEs), coordenadas pela Secretaria Municipal de Trabalho e Empreendedorismo (SMTE), contemplam diversos aspectos das política municipal de desenvolvimento rural sustentável, de segurança alimentar e nutricional e da política de geração de emprego e renda.

Técnicos, engenheiros (agrônomos e ambientais) e gestores ambientais que trabalham nas CAEs, localizadas em Parelheiros e no Parque do Carmo, oferecem assistência técnica e auxílio para a organização dos produtores, rodução, distribuição e comercialização dos produtos.

A CAE de Parelheiros conta com uma câmara fria para auxiliar os produtores no armazenamento dos alimentos, e também com uma estufa onde são realizadas capacitações praticas de cultivos em ambiente protegido e produção de mudas. Conta ainda com um viveiro onde são armazenadas mudas para serem utilizadas nas recuperação e adequações ambientais das propriedades rurais. Cerca de 5.500 mudas, produzidas pela Prefeitura de São Paulo, foram utilizadas nos últimos doze meses neste tipo de ação.

Na zona leste, com a expansão das hortas urbanas, geralmente localizadas sob as linhas de transmissão de energia (Eletropaulo), adutoras da Sabesp, além das áreas públicas cedidas pelas prefeituras regionais da região, a CAE do Parque do Carmo atende um produtor com perfil diferente, mais urbano do que rural, e também atua com o objetivo de dar assistência técnica para manejo do solo e cultivo de hortaliças, frutas, flores e plantas durante todo o processo produtivo.
Outras informações sobre as CAEs

É de responsabilidade da CAE a interlocução regional com as outras ações da prefeitura como melhorias de estradas e condições aos agricultores, articulação de feiras na região, eventos temáticos do desenvolvimento rural e os grupos do Programa Operação Trabalho Hortas e Viveiros da Comunidade da Secretaria Municipal de Trabalho e Empreendedorismo (SMTE), em Parelheiros.

A CAE também realiza o acompanhamento formal dos trabalhos das entidades que participam dos projetos do Fundo Especial do Meio Ambiente (FEMA) que promovem a agricultura e seu desenvolvimento, além da parceria com a Secretaria do Verde – com ações do Conselhos das Áreas de Proteção Ambiental (APA´s), e apoio as iniciativas do Polo Ecoturístico de Parelheiros com suas interfaces na agricultura.

O quadro técnico da CAE é composto por três engenheiros agrônomos e um gestor ambiental;

Apoio ao produtor rural

Segundo último levantamento realizado pela Coordenadoria de Segurança Alimentar e Nutricional (COSAN) da SMTE, em 2010, estima-se que somente na região de Parelheiros existam aproximadamente 400 produtores rurais cadastrados.
Criada em 2011, com o apoio da CAE Parelheiros, a única cooperativa na região, Cooperativa Agroecológica dos Produtores Rurais e de Água Limpa da Região Sul de São Paulo (Cooperapas), reúne 30 produtores associados. Entre eles, existem os que já possuem certificados orgânicos e em fase de transição agroecológica (protocolados), e comercializam os seus produtos em venda direta para o consumidor ou em locais de distribuição.

“A organização em cooperativa é muito melhor para nós. Negociar preço individualmente é difícil e quando discutimos isso em conjunto temos condições de ganhar mais e pagar menos. A compra coletiva é uma grande vantagem”, avalia a presidente da Cooperapas, Valéria Maria Macoratti.

Hortas urbanas e geração de emprego e renda

As hortas urbanas do município, se caracterizam como pólos de desenvolvimento da política de segurança alimentar e nutricional, e oferecem uma possibilidade de complementação de renda a populações em vulnerabilidade social.

“Sabemos que houve uma melhora significativa dos padrões de vida, pois a renda gerada com a produção ajuda na manutenção das despesas das residências. Às vezes, a venda dos produtos cultivados na horta é a única fonte de renda das famílias”, disse a engenheira agrônoma da CAE Parque do Carmo Tatiana Soares.

A atenção à política agrícola do município, o fomento aos pequenos agricultores e o fortalecimento da segurança alimentar e nutricional, associada à geração de emprego e renda, vai de encontro às expectativas da atual administração.

Endereços das CAEs:

Casa de Agricultura Ecológica - Zona Sul
Avenida Sadamu Inoue, 5.252
Jardim dos Álamos - Parelheiros

Casa de Agricultura Ecológica - Zona Leste
Avenida Afonso de Sampaio e Sousa, 951
Casarão Parque do Carmo - Parque do Carmo