HIV/AIDS

Orientações ao cidadão

O que é HIV

HIV é a sigla em inglês para Human Immunodeficiency Virus, que em português significa vírus da imunodeficiência humana. É o vírus causador da AIDS, também uma sigla que vem do inglês (Acquired Immune Deficiency Syndrome) e que em português quer dizer Síndrome da Imunodeficiência Adquirida.

Esse vírus têm como características: período prolongado entre a infecção e o aparecimento dos sintomas da doença (período de incubação), infecção das células do sangue e do sistema nervoso e enfraquecimento do sistema de defesa do organismo.

O HIV ataca as células de defesa deixando o indivíduo vulnerável a outras infecções e doenças que se aproveitam do organismo enfraquecido para se manifestarem. Os linfócitos são as células mais atingidas. O vírus entra nessas células, altera seu DNA e se multiplica várias vezes, rompendo-as e saindo para a circulação para invadir outras células.

Muitos portadores do HIV (soropositivos) vivem anos sem apresentar sintomas, mas podem transmitir o vírus por relações sexuais desprotegidas, compartilhamento de seringas contaminadas ou da mãe para filho durante a gravidez, parto e a amamentação.


O que é aids

A aids é um estágio mais avançado da doença. Como o vírus ataca as células de defesa do nosso corpo, o organismo fica mais vulnerável a diversas doenças, de um simples resfriado a infecções mais graves.

Hoje em dia, é possível ser soropositivo e viver com qualidade de vida. Basta tomar os medicamentos indicados e seguir corretamente as recomendações médicas.

Saber precocemente que está doente é fundamental para aumentar a sobrevida da pessoa, então recomenda-se fazer o teste sempre que passar por alguma situação de risco


O que é sistema imunológico

O corpo reage a ataques por meio do sistema imunológico, garantindo a defesa do organismo e mantendo a saúde.
Os linfócitos T CD4+, principais alvos do HIV (vírus causador da aids) são glóbulos brancos de defesa, que destroem os micro-organismos que entram no corpo humano.
O HIV liga-se a um receptor (CD4) da membrana externa dessa célula e penetra em seu interior para se multiplicar. O sistema de defesa vai perdendo a capacidade de resposta e o corpo fica mais vulnerável a doenças, ficando doente facilmente e então, tem aids.


O que é janela imunológica

Janela imunológica é o tempo entre a infecção pelo HIV e a detecção de anticorpos contra o HIV no sangue. Esses anticorpos são produzidos pelo sistema de defesa do indivíduo em resposta ao contato com o vírus.
A duração da janela imunológica depende do tipo de exame e da reação do organismo. Geralmente, a sorologia é positiva 30 a 60 dias após a exposição ao HIV. Podem ocorrer casos em que esse tempo é maior, sendo necessário realizar o teste 120 dias após a exposição de risco.
Se um teste de HIV é feito durante o período da janela imunológica, pode apresentar um falso resultado negativo. É recomendado esperar mais 30 dias e repetir o teste.

 

Por que fazer o teste?

Saber da infecção pelo HIV precocemente aumenta a expectativa de vida do soropositivo. Quem busca tratamento rápido e segue as recomendações do médico, ganha qualidade de vida.
As mães soropositivas têm 99% de chance de terem filhos sem o HIV se seguirem o tratamento recomendado durante o pré-natal, parto e pós-parto.

 

Diagnóstico do HIV

O diagnóstico da infecção pelo HIV é feito a partir da coleta de sangue. Temos os exames laboratoriais e os testes rápidos, que detectam os anticorpos contra o HIV em até 30 minutos, com uma gota de sangue da ponta do dedo. Esses testes são realizados gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS), nas Unidades da rede pública. A infecção pelo HIV pode ser detectada com, pelo menos, 30 dias a partir da situação de risco.

 

  • Gestantes

Nas gestantes a testagem para HIV deve ser realizada no 1º trimestre, no 3º trimestre e no momento do parto. As gestantes que descobrirem a infecção durante o pré-natal devem ser tratadas com os medicamentos que previnem a transmissão para o bebê.

  • Crianças e adolescentes

Nas crianças e adolescentes o cuidado deve ser maior. O diagnóstico da infecção pelo HIV transforma a vida de qualquer um. Dependendo da idade, a revelação é fundamental para o sucesso do tratamento. Família e equipe médica precisam respeitar o momento de cada um, levando em conta o nível de informação, o contexto psicossocial e familiar.

  • Idosos

Nos idosos com mais de 60 anos de idade, o diagnóstico torna-se mais difícil devido a fragilidade do seu sistema imunológico. Isso ocorre porque, com o envelhecimento, algumas doenças tornam-se comuns e os sintomas da aids podem ser confundidos com os dessas outras infecções.