Logo SMDHC

Prefeitura de São Paulo inaugura espaço inédito para imigrantes

Centro de Referência e Acolhida para Imigrantes prestará atendimentos de assistência jurídica a intermediação para trabalho

A Prefeitura de São Paulo inaugurou nesta terça-feira, dia 11, uma série de serviços de atendimento aos imigrantes no Centro de Referência e Acolhida para Imigrantes (CRAI). No local, a partir de hoje, os imigrantes receberão atendimento especializado em diversos idiomas (inglês, francês, espanhol, criole, árabe e português), agendamento para atendimento na Polícia Federal, intermediação para trabalho e informações sobre regularização migratória, documentação, cursos de qualificação e acesso aos serviços públicos municipais.

Uma equipe multidisciplinar será responsável por oferecer suporte à população em trânsito ou residente na cidade, independente da nacionalidade, do status migratório ou do amparo legal para a sua estada em território nacional. Entre os serviços previstos estão orientação jurídica, realizada por profissionais especializados na questão migratória, e apoio psicológico com atenção especial aos solicitantes de refúgio e imigrantes em situações de maior vulnerabilidade.

Os serviços vêm complementar o trabalho de acolhida, que está em funcionamento desde agosto e abriga no CRAI, atualmente, cerca de 100 imigrantes em situação de vulnerabilidade.

 

O prefeito Fernando Haddad durante visita de inauguração do CRAI 

 

Cerimônia de inauguração do Centro de Referência e Acolhida para Imigrantes

 

“São Paulo é uma cidade forjada por migrantes e imigrantes, um caldeirão de culturas. Mesmo na área tradicional da assistência social é possível inovar e é isto que estamos fazendo hoje, com o poder público se adequando às necessidades dos diferentes imigrantes que escolheram São Paulo para viver”, disse na solenidade o prefeito Fernando Haddad.

Para Rogério Sottili, secretário municipal de Direitos Humanos e Cidadania de São Paulo, o CRAI é um equipamento que pode entrar para a história da cidade, sendo o primeiro no Brasil a oferecer, de forma integrada, o serviço de acolhida e de ampla orientação. “Estamos levando dignidade e criando as condições para que os imigrantes alcancem sua autonomia.” Sottili destacou que a inauguração do CRAI soma-se a uma série de outras iniciativas pioneiras na construção de políticas públicas para os imigrantes, como, por exemplo, a eleição de imigrantes para o Conselho Participativo de São Paulo, o apoio e o reconhecimento de festas e atividades culturais no calendário oficial e a regularização de feiras típicas. “A força de São Paulo está nos seus diferentes, na força cultural de todos os povos”, disse Sottili.

A secretária municipal de Assistência e Desenvolvimento Social, Luciana Temer, afirmou que o CRAI representa uma política de respeito à diversidade. “Antes se dizia que para atender bem, todos deviam ser tratados de modo igual. Estamos quebrando esse paradigma. As pessoas não são iguais e para atender bem e com respeito, é preciso considerar a diversidade”, ponderou a secretária.

 

Fernando Haddad em visita aos aposentos do Centro de Referência e Acolhida para Imigrantes 

 

Quarto do do Centro de Referência e Acolhida para Imigrantes 

 

Centro de Referência e Acolhida para Imigrantes

Para abrigar o CRAI, a Prefeitura reformou um imóvel de 840 m² localizado na rua Japurá, próximo à Câmara Municipal. O Centro possui três pavimentos, pelos quais estão distribuídos pelo menos dez dormitórios - com a média de dez leitos em cada -, banheiros, áreas de convivência, cozinha, refeitório e vestiário. O edifício atende a normas de acessibilidade, tendo um quarto e um banheiro no térreo adaptados a cadeirantes e pessoas com mobilidade reduzida.

O projeto é uma iniciativa da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania (SMDHC) e da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS). O equipamento será mantido por intermédio de um convênio com o Ministério da Justiça, que investiu R$ 1,2 milhão, verba que deverá ser utilizada ao longo de 18 meses. O serviço de acolhimento, por sua vez, ficará a cargo da ONG Serviço Franciscano de Solidariedade (Sefras).

Centro de Referência e Acolhida para Imigrantes
Rua Japurá, 234, Bela Vista
Atendimento todos os dias, das 8h às 17h

 

Fotos: Luiz Guadagnoli/SECOM