APA CAPIVARI-MONOS

Área de Proteção Ambiental - APA CAPIVARI-MONOS

Cachoeira da Usina, Rio Capivari-Monos - Foto: Joca Duarte/SVMA

Através da Lei Municipal nº 13.136, de 09 de junho de 2001, foi criada a Área de Proteção Ambiental – APA Capivari-Monos, a primeira Unidade de Conservação Municipal de São Paulo, uma área protegida de 25.138 hectares (251 km²) o que equivale a um sexto do território da cidade.

LOCALIZAÇÃO
A APA Capivari-Monos está localizada no extremo sul do município de São Paulo, nos distritos de Parelheiros e Marsilac, Subprefeitura de Parelheiros. O limite norte é o divisor de águas do ribeirão Vermelho e a Cratera de Colônia; ao sul, junto a Serra do Mar, os municípios de São Vicente (SP) e Itanhaém (SP); a leste; o município de São Bernardo do Campo (SP) e a oeste os municípios de Juquitiba (SP) e Embu-Guaçu (SP). A APA é vizinha a APA Bororé-Colônia, segunda Unidade de Conservação de Uso Sustentável da cidade, além de coexistir em seus limites, com outras áreas protegidas, como a Terra Indígena Tenondé-Porã, a Reserva Particular do Patrimônio Natural - RPPN Sítio Curucutu e o Parque Estadual da Serra do Mar - PESM Núcleo Curucutu.

CARACTERIZAÇÃO
Em 2004 foi elaborado o Zoneamento Geoambiental (Lei Municipal n° 13.706/2004), instrumento que estabelece as normas de uso do solo e de utilização dos recursos naturais, organizando o território da APA, uma Unidade de Conservação de Uso Sustentável, em zonas com graus diferenciados de proteção, com diretrizes e restrições específicas e que juntamente ao Plano de Manejo e demais ações, promove sua proteção e uso para conservação.
Segundo o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza (SNUC – Lei Federal nº 9.985/2000), toda Unidade de Conservação deve possuir um Plano de Manejo. O da APA Capivari-Monos foi elaborado pela Divisão de Gestão de Unidades de Conservação – DGUC da Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente - SVMA entre 2009 e 2010 e reconhecido pela Portaria Municipal nº 35/SVMA.G/2011. O Plano de Manejo é dividido em duas partes: a primeira é composta por um Diagnóstico Socioambiental, e, a segunda é constituída pelos Programas de Gestão, que foram construídos de forma participativa com o Conselho Gestor e a comunidade da APA.

 

APA Capivari-Monos, outras Unidades de Conservação e áreas protegidas que coexistem em seus limites. Mapa:
Plano de Manejo da APA-CM/SVMA/2011.
 

O Plano de Manejo tem como objetivo orientar a gestão da unidade, pretendendo ser uma carta de navegação em relação ao futuro, pautada no conhecimento do território e dos vetores de pressão que o afetam. É também um documento de referência para pesquisadores, órgãos públicos, organizações da sociedade civil, além de servir para todos e todas as interessadas em desenvolver projetos, estudos e pesquisas na APA.

Rio Capivari-Monos - Foto: Joca Duarte/SVMA

ATRIBUTOS

Dos atributos naturais destacam-se as cachoeiras e rios de água cristalina, como o rio Capivari, considerado um dos últimos rios com qualidade de água de São Paulo. As formações vegetais naturais pertencem ao Domínio Fitogeográfico da Mata Atlântica, em especial, pelos remanescentes de Floresta Ombrófila Densa, representados pelas matas nebular, de planalto e de encosta, além de outras variadas formações vegetais como os campos naturais e de várzea e, ambientes formados por diferentes usos do solo, como lavouras, pastagens e reflorestamentos de pinheiros e eucaliptos. Já foram identificadas mais de 700 espécies vegetais, dentre as quais, espécies ameaçadas de extinção, como a palmeira-juçara (Euterpe edulis), jaborandi (Piper lanceolatum) e o cedro-do-brejo (Cedrela odorata).

 

Floresta Ombrófila Densa, um dos ecossistemas florestais da Mata Atlântica característicos da APA Capivari-Monos.
Foto: Luccas G. R. Longo.

Na APA Capivari-Monos já foram registradas mais de 500 espécies de animais, sendo que destas, cerca de 400 são de vertebrados, dentre as quais, o mono-carvoeiro (Brachyteles arachnoides), o maior primata das Américas; a anta (Tapirus terrestris), o maior mamífero brasileiro e considerada a “jardineira da floresta” devido a seu papel ecológico na dispersão de sementes; o sagui-da-serra-escuro (Callithrix aurita), espécie de primata endêmica da Mata Atlântica; a perereca-flautinha (Aplastodiscus albosignatus); a maria-leque-do-sudeste (Onychorhynchus swainsoni), uma ave restrita a poucas áreas de Mata Atlântica no Estado de São Paulo; a onça-pintada (Panthera onca), o terceiro maior felino do mundo e; a onça-parda ou suçuarana (Puma concolor), espécie símbolo da cidade de São Paulo e o segundo maior felino do Brasil.

 Anta, filhote (Tapirus terrestris). Foto: Daniel Zupanc

Além dos atrativos naturais da APA Capivari-Monos, merecem também destaque os atributos culturais, históricos e turísticos, como a Terra Indígena Guarani (Mbya) Tenondé-Porã, cujo povo conserva suas práticas e saberes tradicionais na relação com a Terra, seu uso sustentável. A maior parte da Zona Rural da cidade de São Paulo está na APA Capivari-Monos, sendo representada pela agricultura familiar, que gradativamente veem aderindo a transição para as práticas de Agroecologia, Permacultura e Sistemas Agroflorestais (SAF), atividades menos agressivas ao ambiente, que valorizam a agricultura e promovem a conservação.

 

Aldeia Tenondé-Porã, Terra Indígena Tenondé-Porã. Foto: Solange Klein

Outros atrativos que também merecem destaque, são a Cratera de Colônia, um sítio geológico de interesse histórico, científico e ambiental formado pelo impacto de um corpo celeste há milhões de anos atrás e que vem sendo ambiente de constante estudos científicos nacionais e internacionais. Na Cratera, encontramos o Parque Natural Municipal (PNM) Cratera de Colônia, o segundo parque natural municipal criado na cidade de São Paulo; a Vila Ferroviária e a Estação de Evangelista de Souza, esta última inaugurada em 1935 pela Estrada de Ferro Sorocabana (Ramal Mairinque-Santos) com o propósito de conectar o interior ao litoral paulista, cruzando a Serra do Mar.

Cratera de Colônia, patrimônio histórico que guarda o testemunho do impacto de um corpo celeste e dados sobre a biodiversidade e o clima do passado. Foto: Vinicius Almeida.

Esse conjunto de atributos e atrativos, além de possibilitarem a manutenção dos serviços ecossistêmicos, estimulam o desenvolvimento de inúmeras alternativas de geração de renda sustentável local, como pela produção de alimentos e artesanato, pelo turismo rural, pedagógico e de natureza, esse último, por exemplo, por meio da observação de aves e outras atividades.

COMO CHEGAR

Para chegar até a APA Capivari-Monos de carro, o principal acesso é pela Estrada Ecoturística de Parelheiros, na Zona Sul da cidade. A partir do centro de Parelheiros pode-se acessar a APA via Estrada de Engenheiro Marsilac, até o bairro de Engenheiro Marsilac, ou via Estrada da Colônia, até a Estrada da Barragem. Outros acessos possíveis são via Embu-Guaçu (SP), pelo distrito de Cipó e por São Bernardo do Campo (SP), e pela Estrada do Rio Acima, via de terra que interliga a região da Barragem com o km 37 da rodovia dos Imigrantes.

GESTÃO

A gestão da APA Capivari-Monos é feita em conjunto com seu Conselho Gestor, uma instância participativa, deliberativa, formada por órgãos do poder público e representantes da sociedade civil e presidida pela SVMA. É função do Conselho articular a gestão participativa para integrar os órgãos públicos e organizações da sociedade civil para interagir no território da APA em torno da promoção do desenvolvimento sustentável. Ele define prioridades, manifesta-se sobre o licenciamento de empreendimentos de significativo impacto ambiental, além de estabelecer acordos e buscar parcerias para que os objetivos da APA sejam alcançados.O Conselho mantém atuação conjunta e integrada com o Conselho Gestor da APA Bororé-Colônia por meio de Câmaras Técnicas e Grupos de Trabalho, que além de possibilitar uma ampliação dos membros de ambos os conselhos, enriquece as discussões e permite ações integradas para a conservação da natureza.

Conselho Gestor da APA Capivari-Monos. Foto: Luccas G. R. Longo.

O conselho teve sua criação em 2002 e em seu âmbito, já surgiram muitas políticas públicas fundamentais, como a defesa da Zona Rural, o Polo de Ecoturismo da Zona Sul de São Paulo, a Casa de Agricultura Ecológica de Parelheiros, dentre outras. As reuniões do Conselho Gestor são abertas à população e ocorrem sempre na primeira quarta-feira de cada mês. Devido à pandemia do Covid-19, as reuniões ordinárias e extraordinárias do Conselho Gestor, tem sido realizadas mensalmente via formato virtual, conforme define a Portaria n° 49/SVMA.G/2020. Mais informações, você pode obter pelo email: apasmunicipais@prefeitura.sp.gov.br e pelo telefone, 011-5187-0321/0322. 

 

Próxima Reunião  do Conselho Gestor da APA CAPIVARI - MONOS

233º Reunião Ordinária em 05/06/2024 das 10h às 12h
A reunião ocorrerá de forma Remota, atravéz do LINK
Alteração com de acordo do Conselho Gestor da APA CM

 
DOCUMENTOS E PUBLICAÇÕES

Plano de Manejo da APA Capivari-Monos

Caderno do Plano de Manejo da APA Capivari-Monos

Regimento interno do Conselho Gestor