Programação do Circuito Municipal de Cultura

Agosto 2018

Programação de Agosto
Circuito Municipal de Cultura

CASAS DE CULTURA

| Casa de Cultura M’boi Mirim. Av. Inácio Dias da Silva, s/nº - M’Boi Mirim. Zona Sul |Tel.: 5514-3408
Dia 04/08, Sáb.
14h30 - Ciclistas Bonequeiros (Infantil)
16h30 - Batalha de Passinho RJ X SP (Dança)
18h30 - Discopédia (Música)
20h - Dom Paulinho Lima (Música)

| Casa de Cultura Santo Amaro. Pça Dr. Francisco Ferreira Lopes, 434, Santo Amaro. Zona Sul | Tel: 5522-8897
Dia 04/08, Sáb.
14h - Velha Guarda do Camisa Verde (Música)
16h - Deispera (Circo)
18h - Horácio (Teatro)
20h - Vírginia Rosa canta “Nêga Música” (Música)

| Casa de Cultura Tremembé. R. Maria Amália Lopes de Azevedo, 190 - Tremembé. Zona Norte | Tel.: 2991-4291
Dia 04/08, Sáb.
15h - Barbatuques (Música)
16h - Bora Brincar? - A Trupé – Cia de Artes (Dança)
17h - O Fantástico Circo de Bonecos Brincantes (Circo)

| Casa de Cultura Itaquera Raul Seixas. R. Murmúrios da Tarde, 211, Cohab 2 José Bonifácio - Itaquera. Zona Leste | Tel.: 2521-6411
Dia 05/08, Dom.
14h - A Ilha de Tesouro (Infantil)
15h - Virgínia Rosa canta “Nêga Música”” (Música)
16h - Barbatuques (Música)
17h - Dudu Braga - RC na Veia (Música)

| Casa de Cultura Brasilândia. Pça Benedicta Cavalheiro, s/nº - Brasilândia. Zona Norte | Tel.: 3922-9123
Dia 05/08, Dom.
14h - Hora de Brincar (Infantil)
15h - O Fantástico Circo de Bonecos Brincantes (Circo)
17h - Horácio (Teatro)
18h - Yassir Chediak (Música)

| Casa de Cultura Butantã. Av. Junta Mizumoto, 13, Jardim Peri Peri. Zona Oeste | Tel.: 3742-6218
Dia 05/08, Dom.
13h - Ciclistas Bonequeiros (Circo)
15h - Claudio Goldman (Música)
17h - Deus deve estar distraído (Teatro)
19h - Luiza Possi (Música)

| Casa de Cultura de Guaianases. Rua Castelo de Leça, s/n – Jardim Soares – Guaianases. Zona Leste
Dia 11/08, Sáb.
10h - Hora de Brincar (Infantil)
13h - Deispera (Circo)
15h - Fernando Ferrer (Música)
17h - Quando as Máquinas Param (Teatro)

| Casa de Cultura Freguesia do Ó. Largo da Matriz de Nossa Senhora do Ó, 215 - Freguesia do Ó. Zona Norte | Tel.: 3931-8266
Dia 11/08, Sáb.
17h30 - O Fantástico Circo de Bonecos Brincantes (Circo)
18h30 - Batalha de Passinho RJ X SP (Dança)
19h30 - Horácio (Teatro)
20h30 - Dom Paulinho Lima (Música)

| Casa de Cultura Campo Limpo. R. Aroldo de Azevedo, 100 - Campo Limpo. Zona Sul | Tel: 5841-8164
Dia 19/08, Dom.
14h - Hora de Brincar (Infantil)
16h - A Ilha do Tesouro (Infantil)
18h – O Sorriso da Rainha (Infantil)

| Casa de Cultura São Rafael. Rua Quaresma Delgado, 376 - Parque São Rafael. Zona Leste.
Dia 18/08, Sáb.
13h - A Ilha do Tesouro (Infantil)
15h - Batalha de Passinho RJ X SP (Dança)
17h - Quando as Máquinas Param (Teatro)
19h - Black Mantra (Música)

| Casa de Cultura Hip Hop Leste. Av. Sarah Kubitschek 165 – Cidade Tiradentes
| Tel.: 3396-0106
Dia 18/08, Sáb.
14h - Hora de Brincar (Infantil)
16h - O Fantástico Circo de Bonecos Brincantes (Circo)
18h - Tribo Now (Música)
20h - Samba Power de Nereu Gargalo (Música)

| Casa de Cultura São Mateus. R. José Francisco dos Santos, 502. São Mateus. Zona Leste. | Tel.: 3793-1071
Dia 18/08, Sáb.
10h - Hora de Brincar (Infantil)
14h - Jujuba la luchadora e Chicote La Muerte (Circo)
16h - Edgar (Música)
19h – Black Alien (Música)

| Casa de Cultura São Miguel. R. Irineu Bonardi, 169, Vila Pedroso - São Miguel Paulista. Zona Leste | Tel.: 2297-9177
Dia 19/08, Dom.
15h - Jujuba la luchadora e Chicote La Muerte (Circo)
16h30 - Brinquedos de Palavras (Infantil)
17h30 - Quando as Máquinas Param (Teatro)
19h - Atração do projeto “De Palco em Palco” - Bbaylon011 (Música)

| Casa de Cultura Vila Guilherme. Praça Oscar Silva, 111 - Vila Guilherme. | Tel. 2909-0065
Dia 25/08, Sáb.
16h30 - Jujuba la luchadora e Chicote La Muerte (circo)
17h30 - Batalha de Passinho RJ X SP (dança)
18h30 - Edgar (música)
20h - Black Alien (música)

| Casa de Cultura Hip Hop Sul. R. Sant’Ana, 201, Vila São Pedro. Zona Sul
| Tel.: 5631 0740
Dia 26/08, Dom.
11h - Jujuba la luchadora e Chicote La Muerte (circo)
14h - Quando as Máquinas Param (teatro)
17h - Edgar (música)
19h - Dom Paulinho Lima (música)

| Casa de Cultura Itaim Paulista. Rua Monte Camberela, Vila Silva Teles. Zona Leste. | Tel.: 2963-2742
Dia 26/08, Dom.
11h - Cabaré Circo 70 (Circo)
15h - Hora de Brincar (Infantil)
18h - Batalha de Passinho RJ X SP (Dança)
19h - Ambulantes (Música)

 


CENTROS CULTURAIS

| Centro Cultural Santo Amaro. Pça Dr. Francisco Ferreira Lopes, 434, Santo Amaro. Zona Sul | Tel: 5522-8897
Dia 15/08, Qua.
10h - Hora de Brincar (Infantil)
Dia 18/08, Sáb.
20h - Dudu Braga (RC na Veia) - (Música)

| Centro Cultural Grajaú. R. Prof. Oscar Barreto Filho, 252 - Capela do Socorro. Zona Sul | Tel.: 5925-4943
Dia 31/08, Sex.
15h - Hora de brincar (Infantil)
20h – Edi Rock (Música)

| Centro Cultural Jabaquara. Rua Arsênio Tavolieri, 1 - Jardim Oriental. | tel. 5011-7445
Dia 02/08, Qui.
15h - Pia Fraus - Bichos do Brasil (Infantil)
Dia 03/08, Sex.
15h - Hora de Brincar (Infantil)

| Tendal da Lapa. R. Guaicurus, 1.100 - Lapa. Zona Oeste. | Tel.: 3862 1837
Dia 02/08, Qui.
20h - Black Alien (Música)
Dia 14/08, Ter.
11h - Brinquedos das Palavras (Infantil)

| Centro Cultural Olido. Av. São João, 473. Centro. | tel. 3331-8399 e 3397-0171
Dia 04/08, Sáb.
19h - Black Mantra (Musica)
Dia 09/08, Qui.
19h - Virgínia Rosa canta “Nêga Música” (Música)

| Centro Cultural Cidade Tiradentes. R. Inácio Monteiro, altura do nº 6.900, Cidade Tiradentes. Zona Leste. | tel.: 2555-2840
Dia, 04/08, Sáb.
20h - Eduardo (Música)
Dia 05/08, Dom.
16h - Despautérios (Circo)

| Centro Cultural Penha. Largo do Rosário, 20, Penha. Zona Leste. | tel. 2295-0401
Dia 25/08, Sáb.
20h - Quando as máquinas param (Teatro)
Dia 26/08, Dom.
19h - Bora Brincar? - A Trupé – Cia de Artes (Dança)

| Centro Cultural Vila Formosa. Av. Renata, 163, Vila Formosa. Zona Leste. | tel. 2216-1520.
Dia 11/08, Qua.
16h - Despautérios (Circo)
Dia 12/08, Qui.
16h - É Hora de Brincar (Infantil)

| CCJ Ruth Cardoso. Av. Deputado Emílio Carlos, 3.641, Vila Nova Cachoeirinha. Zona Norte. | tel. 3984-2466
Dia 04/08, Sáb.
20h - Edi Rock (Música)
Dia 05/08, Dom.
18h - O sorriso da Rainha (Teatro)

| Teatro Flávio Império. R. Prof. Alves Pedroso, 600, Cangaíba. Zona Leste. | tel. 2621-2719.
Dia 18/08, Sáb.
20h - Deus Deve Estar Distraído (Teatro)
Dia 19/08, Dom.
16h – Cabaré Circo 70 (Circo)

| Décio de Almeida Prado. R. Lopes Neto, 206 - Itaim Bibi. Zona Oeste.| tel. 3079-3438
Dia 26/08, Dom.
18h – Yassir Chediak (Música)


MUSEUS DA CIDADE

| Casa Sertanista. Pça Dr. Ênio Barbato, s/nº, Caxingui. Zona Oeste. | tel. 3726-6348
Dia 18/08, Sáb.
11h - Deispera (Circo)
Dia 25/08, Sáb.
11h - O Fantástico Circo de Bonecos Brincantes (Circo)

| Casa do Bandeirante. Praça Monteiro Lobato, s/nº - Butantã. Zona Oeste | tel.: 3031-0920
Dia 18/08, Sáb.
14h - Choro em Linha de Passe (música)
Dia 25/08, Sáb.
14h - Zezo Ribeiro (música)

SINOPSES DAS ATRAÇÕES:

MÚSICA


Discopédia
O Projeto Discopédia nasceu a partir da necessidade em que os DJs: Dandan [Criolo], Marco [Céu] e Nyack [Emicida] sentiam de se encontrar e mostrar o que eles vinham ouvindo, comprando e pesquisando em turnês e shows dentro e fora do Brasil junto aos seus respectivos artistas ou em buscas individuais. O objetivo desse encontro além de incentivar o uso e a valorização dos discos de vinil e resgatar a essência de um dos elementos da cultura Hip-Hop – o DJ - era de poder compartilhar com diferentes pessoas, variados gostos e estilos,
pois apesar da festa ter uma característica voltada ao Hip Hop, ela não segue apenas a um segmento musical. A festa vem pra reunir dançarinos, MCs, DJs, Grafiteiros, Skatistas, Produtores, pais, mães e familiares, apaixonados, apreciadores e/ou simpatizantes da boa música.

Black Alien
Os últimos show’s abriramm espaço para novos projetos de Black Alien, como o single “Sangue de Free" e isso foi só o aquecimento para o que está por vir. Gustavo completa agora 25 anos de carriera em 2018 e abre as comemorações com o show da Virada Cultural. O show conta com a participação do DJ Marcos Castro ( Quinto Andar, BNegão, Zuêra- RJ ) que o acompanha a 20 anos. Para a apresentação, Black Alien antecipa que público pode esperar muita telepatia no palco, clássicos da sua carreira e claro, novidades!

Black Mantra
Idealizada por Leonardo Marques e Caio Leite, Black Mantra teve início em 2014 e desde sempre trabalhou com a simplicidade paradoxal e minimalista do Funk 70’s Agora, após dois anos de experiências acumuladas produzindo releituras, a banda concentra forças num repertório 100% autoral trazendo composições sobre o esqueleto do groove setentista e a contemporaneidade da música atual.

Claudio Goldman
Goldman junta nesse show duas de suas paixões: a música brasileira e a música erudita, num clima de total prazer e liberdade... Tocando de Chopin à Tom Jobim, de Bach às Bachianas do Villa-Lobos, colocando letras emotivas na Gymnopedie do Satie, no Adagietto do Mahler, ou brincando livremente com Summertime, Fígaro, Pour Elise, La Donna È Mobile... Um show para as audiências de todas as classes e idades.

Ambulantes
Os AMBULANTES apresentam um reggae vibrante dialogando com diversas tradições, do ancestral ao contemporâneo. Com uma musicalidade plural percorrem o reggae agregando influências do rock, dub, rap e ritmos brasileiros. As apresentações são marcadas por muita energia e integração com o público. Com um show cativante os AMBULANTES apresentam seu repertório autoral com músicas dos dois discos já lançados e novas composições. Seguindo um caminho sem fronteiras, a música como troca e consciência dos sentimentos de um
mundo solidário, colaborativo e festivo. Um Reggae reflexivo. Reggae resistência.

Tribo Now
A TRIBO NOW resgata situações experimentais da realidade humana. Transitando entre fragmentações musicais, poéticas, filosóficas e mitológicas, em busca de dois princípios vitais: a SIMPLICIDADE e a BATIDA. A TRIBO NOW faz o seu som com influência de temas das civilizações que habitam o planeta. É a "LEVADA" do ROCK, do FUNK, do SOUL, do JAZZ, do BLUES, do HIP-HOP, do BATUQUE, de todas as vertentes e tendências musicais através das eras, de todos os sons profanos que encantam a TRIBO NOW.

Dom Paulinho Lima
Cantor e baterista, Dom Paulinho Lima ganhou notoriedade como intérprete de soul music, R&B e black music, homenageando grandes nomes como marvin Gaye, Ray Charles, Stevie Wonder, Tim Maia, Al green, entre outros. Apadrinhado pelo cantor Tony Tornado, quem lhe concedeu a alcunha de "Dom", neste show apresenta-se ao lado da "Fabulosa Banda de Soul Music".

Velha Guarda do Camisa Verde
Formada atualmente pelos sambistas e compositores: Dadinho, Melão, Paulinho, Mário Luís, Mesquita e Márcio Graxa, que representam nos palcos a Velha Guarda Musical do Camisa Verde e Branco, apresentarão ao grande público músicas do seu primeiro disco "Canto pra Viver" 2006 e do novo projeto "O Peso da Tradição"(2018) sob arranjos e direção musical de Everson Pessoas e produção de Luart Produções Artísticas.
No repertório estiveram grandes sambas de suas autorias como “Canto Pra Viver” (Dadinho, Melão e Paulinho), “Nata do Samba” (Mário Luiz e Airton Sta Maria), “Se eu Chorar (Hailtinho), e também obras de grandes nomes como Talismã, Ideval, Zelão, Zeca da Casa Verde dentre outros, além dos imortais sambas de enredo da verde e branco da Barra Funda.

Dudu Braga - RC na Veia
As músicas do Rei Roberto Carlos são tão clássicas, levam tamanha parte tanto do consciente quanto do inconsciente dos brasileiros, que todos têm certeza que as conhecem de cabo a rabo. O DVD “RC na Veia” mostra justamente que o alcance dessas canções eternas é ainda maior.
A tacada de mestre de Dudu Braga, filho de Roberto e baterista da banda, veio nos arranjos do repertório e na relação de convidados para a apresentação e gravação, na Casa Natura, em São Paulo.
“Como as músicas do Roberto estão muito do inconsciente de todos, o objetivo foi fazer releituras não influenciadas pelo próprio Roberto. Os músicos da banda teriam o desafio de fazer os arranjos como se estivessem ouvindo as canções pela primeira vez. Assim como a escolha dos convidados”, diz Dudu Braga.

Yassir Chediak
Referência em viola brasileira, Yassir é um músico que transita por vários meios e gêneros. Compõe trilhas para televisão e rádio, além de jingles e assinaturas. Apresenta o quadro "Música na Estrada", no programa "Brasil Caminhoneiro", atração assistida por mais de 3 milhões de pessoas.
Em seus shows, Yassir se apresenta em formato solo ou acompanhado por banda, com repertório de composições próprias, instrumentais ou canções, e versões personalizadas de clássicos brasileiros.
Ouvir Yassir Chediak é fazer uma viagem pelas nuances sonoras do Brasil, mas com um sotaque diferenciado. Traz as raízes do Brasil impressas em seu trabalho, mas sempre modernizando e reinventando a viola brasileira.

Fernando Ferrer
Fernando Ferrer nasceu em Santiago de Cuba, radicou-se em São Paulo e desde então tem trazido os melhores ritmos da ilha às mais exigentes plateias. O cantor Fernando Ferrer já se apresentou também nos Estados Unidos, Canadá, Europa e Oriente Médio, destacando-se nos Festivais de Jazz de Vancouver, Montreux, Holanda, Alemanha, e Líbano. Apresentou-se também com o pianista Mac Coy Tiner em diferentes Festivais na Itália, além de realizar apresentações junto a Juan de Marcos (Buena Vista Social Club), e o grupo “Afro Cuban All Stars” em turnês por todo o mundo. Ferrer começou sua carreira em 1982, formando-se em Canto pela Escola Superior “Ignacio Cervantes.” Em Cuba, participou dos grupos “Raison”, “Cubanismo” Agrupación Popular “Ayer y Hoy”; Conjunto “Los Chuqui”; Conjunto “Los Latinos” e “Son del Caribe”. Como solista, participou do Cabaret Salón Rojo, do Hotel Capri, durante cinco anos. Conquistou o primeiro lugar no Concurso Nacional da Televisão “Mi Salsa, Buscando el Sonero”. Fernando Ferrer é considerado pela crítica e público um dos mais completos intérpretes atuais da música latina. O repertório de seu show é composto por cha cha cha, bolero, guajira, cumbia, merengue, salsa, além de outros ritmos latinos. Ferrer é acompanhado por sua banda, composta por teclado, baixo, percuteria, congas e 02 instrumentos de sopro. Fernando Ferrer e sua banda convidam a todos para bailar!

Choro em Linha de Passe
O Grupo “Choro em linha de passe” acredita no valor da nossa música brasileira e é ela que desperta a dança de nossas deusas e então nossos ritos, construindo a identidade de nosso povo. A partir das canções de lutas e paz em tempo de bossas e choros, tocando suavemente pelos ouvidos de nosso público, com notas açucaradas e ao mesmo tempo com a malemolência de um craque de futebol. Misturamos ginga, beleza e paixão.
À vontade de fazer boa música, a afinidade entre os componentes aconteceu como num passe da mágica e as canções fluíram de nossos instrumentos como mandingas improvisadas cheias de poder.
Começamos na noite, avançamos o dia e estamos por aí com nossa música, ou como diria Milton Nascimento “todo artista tende ir onde o povo está” e é assim que se desenrola nossa história, com a habilidade de Agnaldo dos Dias (Bandolim), as mãos mágicas de Lipe Canindé (Violão 7 cordas) e o toque certeiro de Tico Macambira (pandeiro) nasce “Choro em linha de passe”.

Zezo Ribeiro
Zezo Ribeiro consolida-se como um dos grandes músicos, instrumentistas e compositores brasileiros da atualidade por seu trabalho de busca e expansão da linguagem do violão, no cenário internacional, com a utilização de diversos aspectos técnicos do violão flamenco, do jazz ao rock e do pop a inovação do sentido melódico de suas composições.
O amadurecimento natural do conceito surgiu após 11 anos de estar radicado na Espanha, onde supervisionado por um dos ícones do violão flamenco, Manolo Sanlucar, pôde isolar as técnicas do violão cigano e neste novo momento de sua carreira explorar a fusão desses elementos com o jazz nas suas composições.

Virginia Rosa “Nêga Música”
Virgínia Rosa, acompanhada pelo maestro e pianista Ogair Júnior, faz show em homenagem a alguns dos grandes compositores negros que gravou como Itamar Assumpção, Cartola, Milton Nascimento e Monsueto.

Eduardo
Eduardo perseguiu o sonho de ser rapper e, no fim da década de 1980, formou um grupo integrado por garotos de rua - entre os quais Washington Roberto Santana, mais conhecido como Dum-Dum – chamado "Esquadrão Menor". Sem conseguir engrenar, o grupo se desfez e Eduardo aceitou um convite do sogro, então maître do Hotel Hilton, para trabalhar como ajudante de cozinha. Passou dois anos nessa função. Ainda em 1989, ele funda o Facção Central com a formação de Nego (atualmente conhecido como Rapper Mag) e Jurandir - os dois últimos deixaram o grupo, enquanto Garga e Dum-Dum se juntaram a Eduardo e iniciaram as atividades do grupo. Manteve-se como líder e principal letrista do Facção Central até 18 de Março de 2013, quando comunicou oficialmente em um vídeo no Youtube que anunciava sua saída do grupo, devido a algumas desavenças pessoais e divergências ideológicas

Luiza Possi
Seu show de Piano e voz é uma mistura de emoções em um dos formatos mais viscerais. Acompanhada apenas por um piano, o grande espetáculo acontece na suavidade da voz da cantora e em sua presença marcante no palco. A cada show os fãs podem esperar um repertório diversificado, que transita entre os hits da carreira, como “Me Faz Bem” e “Eu Espero”, e releituras, passando por clássicos do jazz, MPB e também pelo rock nacional, de Rita Lee a Raimundos.

Edi Rock
Edivaldo Pereira Alves (São Paulo, 20 de setembro de 1968), conhecido pelo seu nome artístico, Edi Rock, é um cantor e compositor brasileiro. Começou sua carreira em 1984, quando fazia bailes em residências ao lado de seu companheiro DJ KL Jay. Em 1988, na periferia da cidade de São Paulo, ao lado do próprio KL Jay, Mano Brown e Ice Blue, fundou o grupo de rap Racionais MC's do qual é integrante até os dias de hoje. São de autoria de Edi Rock as canções "Mágico de Oz" ,"Tempos Difíceis", "Negro Drama", "A vida é desafio" e "Rapaz Comum", além de várias outras as quais fez em parceria com Mano Brown e Ice Blue. Além disso, compôs uma canção em parceria com a banda inglesa Asian Dub Foundation na faixa 19 Rebellions sobre as rebeliões orquestradas pelo PCC (Primeiro Comando da Capital) em 2001 e seu exemplo como ação organizada contra o Estado e o status quo. Em 2012, Edi Rock lançou a canção "That's My Way" junto com Seu Jorge, a qual foi indicada para Prêmio VMB em "Melhor Videoclipe", onde perdeu para "Marighella", do próprio Racionais MC's. Em carreira solo, paralela ao grupo Racionais, Edi Rock lançou o álbum "Contra Nós Ninguém Será" com participações de grandes nomes da música.

TEATRO

Horácio - Solo: Celso Frateschi
Roma está em guerra contra Alba. Ao mesmo tempo, Roma e Alba estão sendo ameaçadas pelos etruscos. Para não enfraquecer os exércitos contra o inimigo em comum, os chefes decidem que um Horácio lutará por Roma contra um Curiácio que lutará por Alba. A irmã do Horácio escolhido era noiva do Curiácio. Mas mesmo assim os dois resolveram lutar. Na luta, o Horácio mata o Curiácio e volta para Roma coberto de glórias, como um grande herói. A irmã do Horácio chora a perda do noivo, ignorando a vitória do irmão e de Roma. O Horácio, então, indignado com essa atitude, utiliza-se da mesma espada glorificada por seu povo, para matar a noiva do inimigo, sua irmã. Os Romanos cessam imediatamente os festejos. Tiram a espada das mãos do vencedor e se organizam para tentar entender e julgar a atitude do Horácio, divididos entre considerá-lo um herói ou um assassino.

O Sorriso da Rainha
Texto Maria Shu | Direção Alexandre Brazil | Elenco Cacau merz
Em “O Sorriso da Rainha”, a atriz que interpreta a Rainha Elizabeth I, traça um paralelo entre a vida da monarca, as comédias de Shakespeare e as fake news trazendo questões atuais de uma forma ousada e divertida.

Quando as Máquinas Param - Baccan Produções
As angústias de Nina e Zé em um casamento fragilizado pela recessão e o desemprego. Em meio a ondas de demissões e a falta de perspectiva devido à baixa qualificação, a única distração de Zé é jogar bola com os meninos na rua. Nina torna-se a provedora da casa costurando roupas e recebendo ajuda de sua mãe, algo inaceitável para Zé, orgulhoso. A situação se agrava com a gravidez inesperada, quando Zé teme não poder sustentar seu grande sonho de ter um filho: o aborto surge como opção... Mas Nina quer ter o filho. A dramaturgia seca e direta de Plínio Marcos coloca o espectador diante das mazelas do casal de forma crua, sem rodeios ou romantismos, em um realismo que torna palpável a vida dos personagens de seu universo.

Deus deve estar distraído - Teatro Enlatado
A partir de contos de um dos maiores escritores do Brasil, Caio Fernando Abreu, a pec?a trata da tema?tica da solida?o, da sexualidade, da falta de fe? no humano e da incomunicabilidade. A direc?a?o traz a forc?a da literatura projetando o texto do autor misturado a imagens da paisagem humana e geogra?fica das grandes metro?poles durante todo o mono?logo. O clima denso e intimista se da? pela ambientac?a?o sonora e trilha executados com baixo acu?stico ao vivo e tambe?m pela fisicalidade da inte?rprete. Deus Deve Estar Distrai?do e? um espeta?culo de humor a?cido sobre a obra de um autor que permanece e sobrevive atemporal e universal.

DANÇA

“Bora Brincar”, A Trupé – Cia de Artes
Sinopse: A Trupé - Cia de Artes é um coletivo artístico que trabalha as danças do universo da cultura popular brasileira. O espetáculo “Bora Brincar” adentra as danças brasileiras do norte e nordeste: Coco, Carimbó, Afoxé e Ciranda trazem a alegria do dançar, do festejar, da trupé. Além disto, a Cia busca envolver o público, abrindo espaço para eles dançarem junto ao grupo, conhecendo a sonoridade, as danças, os gestos, fazendo uma imersão nas raízes da cultura popular brasileira.

“Batalha de Passinho RJ x SP”
Sinopse: Os Clássicos do Passinho apresenta ao público as principais características que tornaram esta dança um fenômeno, a partir do encontro entre dançarinos cariocas e paulistas de Passinho. Um encontro cheio de ginga brasileira e muita animação que não deixa ninguém parado.

INFANTIL
Brinquedos de palavras - Trupe Pitirilo
Brinquedos de Palavra é um show musical para toda a família. Nele as crianças cantam e dançam poesias, histórias enroscadas, trava-línguas e parlendas. Um encontro muito interativo para pais e filhos brincarem juntos com os artistas.

"Um duelo no Caminho do Peabiru" - Jujuba La Luchadora e Chicote La Muerte
Jujuba é uma viajante indo para uma festa no Peru, Chicote é um fiscal de fronteira
recém empossado, ambos se encontram em uma fronteira inesperada bem no meio do Caminho do Peabiru, um caminho ancestral que corta a América do Sul em direção ao Sol. Em algum lugar dessa estrada, onde nada pode, nem aqui, nem ali, nem lá, muito menos acolá, a única forma de acabar com tantas proibições é enfrentar UM DUELO CONTRA A MORTE! Livremente inspirado nas Cholitas Luchadoras da Bolívia o projeto é uma criação coletiva que “exterpreta” leituras sobre a questão de gênero, classe e poder, que inquietam os artistas nessa busca de uma identidade Latino Americana.

Bichos do Brasil - Pia Fraus
“Bichos do Brasil” é um espetáculo que busca mostrar a riqueza da fauna brasileira através de recursos plásticos. Pautado nos bonecos, na música e na coreografia, procura criar o ambiente da mata sem exigir um comportamento humano de seus personagens. As fábulas, onde os bichos simbolizam as virtudes e vícios humanos, são deixadas de lado, buscando-se atenção às influências que as mesmas exerceram na cultura popular. Ao beber na mesma fonte inspiradora dos mitos populares, essa produção acaba por fazer uma reverência aos bichos brasileiros, onde sua humanização não faz com que o público pressuponha um final moral. São bonecos feitos a partir de materiais naturais, cujas formas são estabelecidas por cabaças, que ganham novo tratamento e cores diversas, buscando dar uma abordagem contemporânea a elementos rústicos. É a retomada da Pia Fraus às suas origens, fundamentada em temas, formas e pensamentos que formaram a companhia.

A Ilha do Tesouro - Cia o que de que
A Ilha do Tesouro conta as aventuras do corajoso Jim, um jovem que conhece um velho lobo do mar, ganha um velho mapa, singra os mares dentro de um enorme navio, enfrenta piratas, vence os perigos de uma ilha deserta, encontra um fantasma e por fim, descobre o seu tesouro.

Hora de Brincar
Abrir os olhos para redescobrir e reinventar o mundo! Um musical que convida crianças de todas as idades para sonhar e brincar de imaginar! O espetáculo explora de forma simples e cuidadosa a riqueza e a importância do brincar. Entre os temas abordados estão: a autoaceitação, o respeito às diferenças e o cuidado com o planeta.

Barbatuques
Tum Pá é o primeiro espetáculo do Barbatuques totalmente dedicado ao público infantil, grupo referência internacional em música corporal e com 18 anos de carreira. No show são apresentadas as faixas que compõe o disco, repertório formado por canções autorais do grupo e outras da cultura popular em versões originais e inusitadas.Tum Pá é uma jornada através de sons que brincam com todo o corpo. Jogos rítmicos, assobios e cantos, imitação de instrumentos musicais, adivinhas e muito mais na busca pelos mais variados sons através do corpo. Proporciona as crianças (e aos adultos) uma forma diferente de perceber e brincar com a sonoridade do mundo.Venha conferir esta experiência musical inventiva e única.

CIRCO

O Fantástico Circo de Bonecos Brincantes
A intervenção O Fantástico Circo dos Bonecos Brincantes foi criada a partir do universo lúdico circense. Durante uma hora, os brincantes do grupo La Barraca recriam os mais belos números dos circos de antigamente. Até mesmo os animais tem vez nesta apresentação, representados na figura do Cavalinho Lua-Nova e da Boneca "A Barraqueira". É diversão garantida para toda a família!

Deispera
O Espetáculo possui linguagem híbrida e caráter musical, mesclando diferentes técnicas de acrobacia, dança, teatro físico e muito humor. A Trama acontece em um salão de bar, a atmosfera é de um cabaret. Os múltiplos personagens ao longo da história vão desvendando os mistérios de Deise.

Despautérios - Cia. Suno
Recheada de peripécias, malabarismos e números de equilibrismo, a peça trata da vida cotidiana de três palhaços longe do picadeiro. Mesmo distante da lona do circo eles não deixam de atuar; até nas ações diárias mais banais estão sempre representando. Presos a um pequeno universo, criado por eles próprios, os palhaços criam situações insólitas para escapar da mesmice do cotidiano.

Cabaré Circo 70
A proposta desse espetáculo é juntar artistas tradicionais de circo que fizeram a história do circo paulista e que mantiveram vivo esse segmento artístico tão importante, que gerou grandes nomes da artes cênicas. Amercy Marrocos, Marília de Dirceu, Rokan e Rani, Pepin e Maria e Bruno Edson, todos nomes gabaritados dos picadeiros.