Calçadões do Centro Histórico passarão por requalificação

Serão restauradas 23 vias, garantindo mais segurança, mobilidade e acessibilidade para a população

Com o objetivo da valorizar a região do Centro Histórico de São Paulo, proporcionando mais segurança, mobilidade e acessibilidade para a população, os calçadões da região passarão por requalificação. No último dia 20, a SPObras publicou a retomada da licitação que vai definir a empresa que realizará as obras. A abertura das propostas dos licitantes está prevista para o dia 23 de agosto. As obras foram divididas em dois lotes e estão previstos 22 meses para sua execução, com investimentos de R$ 80 milhões. No total, 23 ruas serão restauradas, com previsão de execução do 2º semestre/2022 ao 1º semestre/2024.

A SP Urbanismo foi a responsável pela conceituação da proposta urbanística do projeto, concebido para promover melhor uso e ocupação do espaço público pela população, tornado-o mais convidativo e seguro. A SPObras ficou responsável pela contratação da elaboração do projeto básico e executivo e pelas intervenções, que consistem na reforma dos pavimentos das calçadas e calçadões do centro histórico, aumentando sua resistência ao tráfego intenso; implantação de acessibilidade universal; nova sinalização turística; instalação de novo mobiliário urbano, proporcionando áreas de convivência adequadas; implantação de nova iluminação funcional e cênica; reestruturação da infraestrutura subterrânea de drenagem; e implantação de valas técnicas para melhor ordenamento das redes de telecomunicações. A SPObras é responsável também pela gestão ambiental e de interferências do empreendimento.

 Situação proposta (imagens ilustrativas)- Fonte: Secretaria de Urbanismo e Licenciamento e SP Urbanismo

 Situação proposta (imagens ilustrativas)-  Fonte: Secretaria de Urbanismo e Licenciamento e SP Urbanismo

 

 Situação proposta (imagens ilustrativas)- Fonte: Secretaria de Urbanismo e Licenciamento e SP Urbanismo

Ruas contempladas

O Centro Histórico paulistano conta com importantes pontos turísticos de valor histórico, artístico, arquitetônico, arqueológico e paisagístico. Na região, circulam cerca de dois milhões de pessoas por dia, tanto para o trabalho, como para o turismo. A área contém importantes centros culturais, bares, restaurantes, edifícios históricos, concentração de comércio especializado, além de diversos serviços públicos nas áreas de saúde, assistência social, cultura, entre outros.

A reforma dos calçadões do Centro vai proporcionar mais segurança e acessibilidade universal para as milhões de pessoas que circulam pela região diariamente. São estimadas 5.400 quedas por ano decorrentes das condições das calçadas da cidade, o que corresponde a um custo médio de R$ 31 milhões anuais em resgate e tratamento, questão que a reforma pretende minimizar no Centro. 

As atuais pedras portuguesas vão passar pela usina de britagem e poderão ser destinadas para outros fins na construção civil. O material resultante poderá, por exemplo, ser utilizado como sub-base de outros pisos.

O novo calçamento será feito em concreto. O material garantirá a mobilidade e acessibilidade universal dos pedestres, além de contar com nova rede de drenagem, galerias técnicas (para passagem de cabos) e também ser de fácil manutenção.

Serão 63 mil m2 de calçadões requalificados, abrangendo 22 ruas.

RUAS PERIMETRAIS

1. Rua Líbero Badaró
2. Largo São Francisco
3. Rua Benjamim Constant
4. Praça da Sé
5. Pátio do Colégio
6. Rua Boa Vista
 

RUAS INTERNAS (CALÇADÃO)

1. Praça Ouvidor Pacheco e Silva
2. Rua São Bento
3. Rua José Bonifácio
4. Rua Quintino Bocaiúva
5. Rua Senador Paulo Egídio
6. Rua Barão de Paranapiacaba
7. Rua Direita
8. Rua XV de Novembro
9. Praça Manoel da Nóbrega
10. Rua Álvares Penteado
11. Rua Miguel Couto
12. Rua da Quitanda
13. Rua Anchieta
14. Rua do Tesouro
15. Rua do Comércio
16. Largo da Misericórdia
17. Rua São João

Importante pontuar que o projeto foi aprovado pelos três órgãos de proteção do patrimônio histórico: IPHAN, CONDEPHAAT E CONPRESP e que não está previsto corte de árvores existentes na região.

A iniciativa representa o resgate do valor histórico, cultural, arquitetônico e paisagístico do centro da cidade, incentivando suas várias formas de uso e reforçando sua identidade como polo de atração turística.

Acesse aqui a apresentação sobre o tema.


Assessoria de Comunicação - SPObras
21/07/2022