Guanhembu Benedicta Ramos Caruso

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Rua Daniel Ribeiro Calado, 40 - Jd. Guanhembu
Inaugurado em 21/09/2011
Subprefeitura de Capela do Socorro
Área: 71.920 m²
Funcionamento: 6h às 18h (sujeito a mudança durante horário de verão)
Telefone: (11) 5661-8101

INFRAESTRUTURA

Playground, pistas de caminhada, quiosques, áreas para piquenique, campos de futebol, quadra de futsal e poliesportiva, pergolado, quiosques para atividades sociais, praças de estar internas e externas, mesas com tabuleiro, bebedouros e paraciclos. Sanitários com acessibilidade para cadeirantes.

PARTICULARIDADES

Formado por dois loteamentos realizados na região na década de 70, o parque foi implantado em uma região carente de áreas verdes e de lazer. Localizado em região de mananciais, o projeto conjuga preservação da área permeável e atendimento social com equipamentos esportivos e de lazer. O projeto Clube Escola (SEME) utiliza os campos do parque.
Possui vegetação composta por áreas ajardinadas e arborizadas, bosques heterogêneos e eucaliptal (Eucalyptus sp.) com sub-bosque.

Destaques da FLORA: aldrago (Pterocarpus rohrii), alfeneiro (Ligustrum lucidum), amoreira (Morus nigra), andá-açu (Joannesia princeps), cedro-japonês (Cryptomeria japonica), cerejeira-do-rio-grande (Eugenia involucrata), embaúba-branca (Cecropia pachystachya), figueira-benjamim (Ficus benjamina), guajuvira (Cordia americana), guapuruvu (Schizolobium parahyba), jambolão (Syzygium cumini), jerivá, leucena (Leucaena leucocephala), paineira (Ceiba speciosa), sombreiro (Clitoria fairchildiana), suinã (Erythrina speciosa) e tapiá-guaçu tipuana (Tipuana tipu).
Já foram registradas 155 espécies vasculares, das quais estão ameaçadas de extinção: cambucá (Plinia edulis), cedro (Cedrela fissilis), jequitibá-rosa (Cariniana legalis), pau-brasil (Paubrasilia echinata) e pinheiro-do-paraná (Araucaria angustifolia).

Inventário de flora 2018.

São 44 espécies de FAUNA representadas, podendo-se destacar sete espécies de borboletas, um lagartinho, exemplares de mamíferos como o gambá-de-orelha-preta e preá e 35 espécies de aves. Dentre as “emplumadas”, destaque para a tiriba, psitacídeo endêmico da Mata Atlântica, e para a maitaca, um pequeno psitacídeo florestal, que ali ocorre devido à proximidade com matas da Represa Billings. Podem ser observadas espécies vistosas como o saí-canário, a pia-cobra, tiê-sangue e o beija-flor-de-peito-azul. Asa-branca, risadinha, ferreirinho-relógio, tico-tico, joão-teneném, tiziu, sabiá-do-campo, cambacica e pitiguari também compõem a fauna local.

O BAIRRO
A região de Capela do Socorro, ao sul do Município de São Paulo, tem superfície de 134 Km², que corresponde a 8,8% do território do município, sendo que 90% de seu território estão inseridos em área de proteção aos mananciais. Sua ocupação está estreitamente relacionada à expansão e estruturação urbanas da Subprefeitura de Santo Amaro, à qual esteve administrativamente ligada até 1985. A região seria habitada pelos índios tupis; no século XX, os guaranis (subgrupo tupi) chegaram a Parelheiros e hoje há remanescentes desse núcleo. As duas aldeias são as de Curucutu e a do Morro da Saudade.

O bairro também traz registros das primeiras tentativas de atrair colonos europeus para o país. A partir de 1927, desembarcaram em Santos os primeiros grupos de colonos alemães. Dentre eles, os mais de 120 que aceitaram terras devolutas em Santo Amaro, localizadas em Colônia e Parelheiros. Ao contrário das colônias alemãs no sul do Brasil, os que se instalaram em São Paulo não conseguiram preservar muitos aspectos de sua tradição cultural e quase nada resta dessa experiência colonizadora; apenas algumas famílias ainda residem na região, tida como um trecho rural dentro da cidade.

Alguns loteamentos residenciais de padrão médio surgiram nesta época, na porção norte da Capela do Socorro, na década de 30, com o objetivo de assentar um bairro residencial de frente para a Represa de Guarapiranga. Boa parte desses imóveis foi ocupada por restaurantes. Mais ao sul, destacava-se a Vila São José, onde já existia um bairro rural de mesmo nome. Estes dois povoados se transformaram, posteriormente, em polos em torno dos quais surgiram densos subúrbios.
A partir de 1975, sua ocupação passou a ser vinculada à Lei de Proteção aos Mananciais, que estabeleceu baixos limites de densidade para a ocupação. Praticamente excluídos do mercado imobiliário formal, os terrenos tiveram seus valores depreciados, atraindo trabalhadores de baixa renda e incentivando a expansão dos loteamentos clandestinos.

Benedicta Ramos Caruso
Nasceu em 1911 em São josé do Rio pardo (SP) e atuou naquela cidade desde a juventude em movimentos populares sindicais, ombro a ombro com o marido, Donato Caruso Filho. Vieram para São Paulo em 1950, fixando-se no bairro da Mooca, onde permaneceram até 1950, quando vieram para o recém-criado bairro de Cidade Dutra, ao lado do autódromo de Interlagos. O bairro havia sido constituído por contribuintes da antiga CAPEFESP (Caixa de Aposentadoria e Pensionistas Ferroviários, Light e CMTC de são Paulo), pois seu marido pertencia à extinta CMTC. À época, estavam entre as 30 primeiras famílias do bairro, sendo pioneiros em uma área com nenhuma infraestrutura. Por isso, foram também os que mais lutaram para buscar as tão almejadas benfeitorias. Dona Benedicta atuava como costureira e tinha forte presença social no bairro, onde fundou o Grupo da Terceira Idade chamado Pioneiros da Cidade Dutra, ligado à Sociedade Amigos de Interlagos. Faleceu em janeiro de 1994.

CONSELHO GESTOR

Os Conselhos Gestores dos Parques Municipais foram criados em 2003 para garantir a participação popular no planejamento, gerenciamento e fiscalização das atividades que ocorrem nos parques. O objetivo é envolver a comunidade na discussão das políticas públicas de forma consultiva, com enfoque nas questões socioambientais. Os Conselhos são integrados por representantes da sociedade civil (em geral, três frequentadores e um representante de movimento social ou entidade local), um representante dos trabalhadores do parque e três representantes do Poder Executivo.
Saiba mais sobre os Conselhos Gestores no site da SVMA.

COMO CHEGAR
637V/10 - Parque América / Terminal Santo Amaro
675R/10 - Grajau / Metrô Jabaquara
+ informações: www.sptrans.com.br