Ecológico Chico Mendes

 Leste                         

Um retângulo com quatro fotografias dentro, separadas por uma fina linha branca. A primeira foto árvore com tronco grande e galhos finos com folhas verdes, a segunda foto partes de troncos de árvores caídos sobre a grama cobertos de musgo verde, a terceira foto uma estatua de uma mulher segurando um jarro, a quarta foto queda d’água sobre as pedras com grama ao redor. 

Rua Cembira, 1201 – Vila Curuçá Velho
Inaugurado em 04/06/1989
Subprefeitura de Itaim Paulista
Área: 61.600 m²
Hora: 7h às 18h
Fone: (11) 2035-2270

 

INFRAESTRUTURA

Churrasqueiras, quiosques, quadras de futebol, pista de Cooper, sanitários, playgrounds, trilha, nascentes, córrego e lago. Casarão para reuniões e exposições, que abriga também um telecentro (SMPP) e um CECCO (SMS). Oferece rede wi-fi e possui entrada acessível para pessoas com deficiência.

PARTICULARIDADES

Localizado em uma região carente de cobertura vegetal, a área pertencia à antiga Fazenda Chácara Figueira Grande, desapropriada em 1987 para a implantação do parque público, aberto em 1989. O nome dado ao parque foi uma homenagem ao seringueiro, sindicalista e ambientalista assassinado Francisco Mendes Filho (Chico Mendes), conhecido internacionalmente por sua luta pela sustentabilidade. O parque tem seu uso definido como cultural, de lazer passivo e voltado para pesquisa e conhecimento do meio ambiente.


Sua FLORA traz vegetação com eucaliptal (Eucalyptus sp.) com sub-bosque, remanescente de Mata Atlântica ao longo do córrego, áreas ajardinadas, pomar e horta. São seus destaques: abacateiro (Persea americana), aroeira-mansa (Schinus terebinthifolia), bambu-chinês (Bambusa tuldoides), bambu-imperial (Bambusa vulgaris), canela-peluda (Endlicheria paniculata), cafeeiro (Coffea arabica), cafezinho (Maytenus evonymoides), castanha-portuguesa (Castanea sativa), cedro-japonês (Cryptomeria japonica), embaúba-prateada (Cecropia hololeuca), gameleira-brava (Ficus organensis), guaçatonga (Casearia sylvestris), guapuruvu (Schizolobium parahyba), helicônia (Heliconia farinosa), ipê-amarelo (Handroanthus chrysotrichus), jambolão (Syzygium cumini), jaboticabeira (Plinia sp.), jaqueira (Artocarpus heterophyllus), jatobá (Hymenaea courbaril), jerivá (Syagrus romanzoffiana), leiteira-dois-irmãos (Tabernaemontana catharinensis), magnólia-amarela (Magnolia champaca), mamica-de-porca (Zanthoxylum rhoifolium), mangueira (Mangifera indica), marinheiro (Guarea macrophylla subsp. tuberculata), olho-de-dragão (Dimocarpus longan), paineira (Ceiba speciosa), pindaíba (Xylopia brasiliensis), pitangueira (Eugenia uniflora), sibipiruna (Poincianella pluviosa var. peltophoroides), suinã (Erythrina speciosa), tapiá-guaçu (Alchornea sidifolia) e unha-de-vaca (Bauhinia variegata). Já foram registradas 156 espécies vasculares.

Inventário de flora 2018.

Reúne em sua FAUNA 74 espécies de animais, das quais 56 são aves. Dentre elas, guaracava-de-barriga-amarela, bentevizinho-de-penacho-vermelho, figuinha-de-rabo-castanho, garça-branca, irerê, joão-teneném, pitiguari, pula-pula, sabiás, saí-canário e socó-dorminhoco. Os rapinantes, como quiri-quiri, gavião-carijó e coruja-orelhuda, refugiam-se no bosque. Aves migratórias, como suiriri, bem-te-vi-rajado e tesourinha, podem ser vistas de setembro a março. Algumas espécies de aves endêmicas de Mata Atlântica podem ser observadas, como beija-flor-preto, tucano-de-bico-verde, picapauzinho-verde-carijó, periquito-rico, arredio-pálido e cigarra-bambu. O parque conta com a presença de caranguejo-de-água-doce, cágado-pescoço-de-cobra, lagarto teiú, saguis e gambás-de-orelha-preta.


O BAIRRO
A Subprefeitura Itaim Paulista é cortada por seis córregos no sentido norte-sul que deságuam no rio Tiête: Itaquera-Itaqueruna, Água Vermelha, Lajeado, Itaim, Tijuco Preto e Três Pontes. Essa característica hidrográfica favoreceu o nascimento das olarias, que no início do século passado multiplicou-se para acompanhar o desenvolvimento da cidade, ávida por materiais de construção; pedregulhos e areia eram extraídos do rio Tietê.
A região do Itaim começou a receber seus primeiros moradores apenas no final do século18. Com a chegada da Ferrovia Estrada do Norte, antiga Central do Brasil, no século 19, o bairro começou a se desenvolver com as casas surgindo ao longo das margens dos trilhos. Em 1957 o Itaim Paulista ganhou sua primeira paróquia, de João Batista. Juntamente com o desenvolvimento econômico, o Itaim conquistou sua emancipação política. Em 1980 a região foi elevada à condição de distrito autônomo, desmembrando-se de São Miguel Paulista.

CHICO MENDES
Chico Mendes nasceu no seringal Porto Rico, em Xapuri, cidade do Acre próxima à fronteira com a Bolívia. O sistema de extração da borracha, que impunha miséria aos seringueiros e até castigos físicos aos que ousavam desrespeitar os donos dos seringais, levou o jovem a lutar por melhores condições de trabalho e por um sistema que também poupasse a floresta. Aos 16 anos, aprendeu a ler e a escrever e, em 1975, passou a integrar a diretoria do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Brasiléia, o primeiro criado no Acre, presidido por Wilson Pinheiro.
A grande batalha desse sindicato, além de defender melhores condições aos seringueiros, era proteger a própria floresta, ameaçada pela pecuária que, como se sabe, levou à especulação fundiária e ao desmatamento de grandes extensões de terras, impedindo a permanência nos seringueiros na floresta. Chico foi eleito para presidir o sindicato após o assassinato de Wilson Pinheiro e trouxe consigo uma teoria: a de que os benefícios derivados da manutenção da floresta são maiores do que o valor que se obtém com a sua derrubada.
Foi graças a essa matriz ideológica que o sindicalista conquistou o respeito de organismos internacionais, após ser tema do documentário inglês “Eu Quero Viver”, produzido pelo cinegrafista inglês Adrian Cowell, em 1987. Foi quando ganhou o Global 500, prêmio da ONU, na Inglaterra, e a Medalha de Meio Ambiente da Better World Society, nos Estados Unidos. Foi assassinado em 22 de dezembro de 1988 a mando do grileiro Darly Alves (fonte: http://memorialchicomendes.org/chico-mendes/)

CONSELHO GESTOR
Os Conselhos Gestores dos Parques Municipais foram criados em 2003 para garantir a participação popular no planejamento, gerenciamento e fiscalização das atividades que ocorrem nos parques. O objetivo é envolver a comunidade na discussão das políticas públicas de forma consultiva, com enfoque nas questões socioambientais. Os Conselhos são integrados por representantes da sociedade civil (em geral, três frequentadores e um representante de movimento social ou entidade local), um representante dos trabalhadores do parque e três representantes do Poder Executivo.
Saiba mais sobre os Conselhos Gestores no site da SVMA.

COMO CHEGAR:
2780-10 – Jd. Camargo Novo / Metrô Itaquera
273D-10 – Pq. Dom João Nery / Metrô Artur Alvim
2059-10 - São Miguel / CPTM Guaizanazes
2582-10 - Term. Pq. D. Pedro II / Vila Nova Curuçá
2704-10 - Metrô Itaquera / Jardim Robru
273L-10 - Metrô Artur Alvim / CPTM José Bonifácio
2755-10 - Metrô Penha / Guaianazes
273N-41- Metrô Vl. Matilde / Itaim Paulista

+ informações: www.sptrans.com.br