Linear Tiquatira - Eng. Werner Eugênio Zulauf

 Leste                         

 

Av. Dr. Assis Ribeiro; Av. Cangaíba;
Av. Governador Carvalho Pinto
Criado por decreto em 13/08/2008
Subprefeitura da Penha
Área de intervenção: 320.000 m²
Fone: (11) 2641-2712

 

INFRAESTRUTURA
Pista de Cooper e caminhada, quiosques com mesas e bancos, sanitários, pista de skate, pista de bicicross, quadras, campo de futebol, áreas de convivência, anfiteatro aberto e bosques. Na área do parque funciona também um Clube Escola (SEME) e um CDC que cuida de um campo de futebol e uma cancha de bocha. Possui rede wi-fi. Acessibilidade em equipamentos de ginástica, sanitários, rampa de acesso ao parque e áreas de circulação.

 

 

PARTICULARIDADES
Considerado o primeiro parque linear da cidade de São Paulo, foi implantado ao longo do Córrego Tiquatira, possuindo uma extensão de mais de três quilômetros.

 

Sua vegetação é composta por áreas ajardinadas e arborizadas e bosques heterogêneos. Destaques da FLORA: araribá-rosa (Centrolobium tomentosum), aroeira-mansa (Schinus terebinthifolia), aroeira-salsa (Schinus molle), bambu-imperial (Bambusa vulgaris), cedro (Cedrela fissilis), cedro-de-bussaco (Cupressus lusitanica), chapéu-de-sol (Terminalia catappa), córdia-africana (Cordia myxa), falsa-seringueira (Ficus elastica), figueira-benjamim (Ficus benjamina), guapuruvu (Schizolobium parahyba), ipê-de-el-salvador (Tabebuia rosea), jerivá (Syagrus romanzoffiana), mutambo (Guazuma ulmifolia), paineira (Ceiba speciosa), palmeira-imperial (Roystonea sp.), pau-brasil (Paubrasilia echinata), timboúva (Enterolobium contortisiliquum) e tipuana (Tipuana tipu). Já foram registradas 166 espécies vasculares, das quais estão ameaçadas de extinção: cambucá (Plinia edulis), cedro (Cedrela fissilis), pau-brasil (Paubrasilia echinata) e pinheiro-do-paraná (Araucaria angustifolia). Inventário de flora 2018.

Quanto à FAUNA, em sua área foram observadas 45 espécies de aves, incluindo três espécies endêmicas da Mata Atlântica, periquito-rico, teque-teque e tiê-preto. Entre as aves aquáticas figuram o irerê, marreca-cabocla, graça-branca-grande e garça-branca-pequena. Também frequentam o parque o tuim, o periquitão, a maracanã-pequena e o papagaio. Chama a atenção entre os rapinantes o imponente gavião-de-rabo-branco. Ao menos dois pássaros visitantes de primavera/verão, o suiriri e a tesourinha, foram registrados.

O BAIRRO
Desde a fundação do Colégio de Anchieta, onde se estabeleceram os descendentes de Tibiriçá e Caiubi, havia um temor: o ataque iminente que poderia ocorrer pelos goianos, carijós e tamoios. Esses ataques ocorreram, mas os jesuítas trataram de “espalhar” os aldeamentos como forma de proteger essas ocupações. Os pontos estratégicos da Vila eram Guarulhos, Ururai, Barueri, Pinheiros, Carapicuíba, Itaquaquecetuba, Embu, Itapecerica etc, funcionando como linhas de resistência.

O primeiro ataque ocorreu em 1562 e o último, em 1596. Os adversários foram vencidos e essas linhas de ocupação se transformaram em bairros – um deles é a Penha. Esse primitivo arraial teria surgido a partir da trilha usada pelos filhos de Tibiriçá rumo a Bertioga, mas há outras duas versões. A de uma vila na qual os bandeirantes acampavam, a caminho das Minas Gerais, e também um local de trânsito onde tropas de burros ou boiadas transitavam a caminho das feiras de gado.

A versão histórica é a de que, desde o Tatuapé às divisas de Guarulhos e São Miguel, estendia-se uma imensa "fazenda com ermida e curral de gado" de propriedade do licenciado Mateus Nunes de Siqueira, adquirida dos sucessores de Francisco Jorge. Ao redor dessa fazenda surgiram as casas dos colonos. Mateus mandou erguer uma capela no topo da colina, no local onde hoje se situa o Santuário de Nossa Senhora da Penha de França, originando daí seu nome.

QUEM FOI WERNER EUGÊNIO ZULAUF?
Werner Eugênio Zulauf, engenheiro civil e sanitarista, consagrou-se como um grande idealista, consultor e gestor público. Foi o primeiro secretário municipal da Secretaria do Verde e do Meio Ambiente (SVMA) e ocupou outros cargos de grande relevância no cenário político. Apoiou a aprovação da Lei Municipal nº 8.001, de 24 de dezembro de 1973, que dispõe sobre o uso e a ocupação do solo.

Foi idealizador da Diretoria de Tecnologia de Resíduos Sólidos (DTRES), promovendo parceria com a Associação Brasileira de Limpeza Pública (ABLP) na realização do primeiro curso por correspondência para qualificação de chefes, administradores, engenheiros e técnicos da CETESB. Em 1976, Werner Zulauf já lutava pela despoluição do rio Tietê, além de propor medidas de controle da qualidade do ar e uso racional das fontes hídricas. Foi um dos primeiros a alertar a sociedade paulistana, dizendo que o desperdício e a falta de investimentos levariam à crise de abastecimento de água na cidade de São Paulo.

CONSELHO GESTOR
Os Conselhos Gestores dos Parques Municipais foram criados em 2003 para garantir a participação popular no planejamento, gerenciamento e fiscalização das atividades que ocorrem nos parques. O objetivo é envolver a comunidade na discussão das políticas públicas de forma consultiva, com enfoque nas questões socioambientais. Os Conselhos são integrados por representantes da sociedade civil (em geral, três frequentadores e um representante de movimento social ou entidade local), um representante dos trabalhadores do parque e três representantes do Poder Executivo. Saiba mais sobre os Conselhos Gestores no site da SVMA.

ÔNIBUS:
1177-42 Engenheiro Goulart - Term. Pq.D. Pedro II
1177-51 Term. A. E. Carvalho - Term. Amaral Gurgel
1178-10 Sao Miguel - Pca. Do Correio
1178-42 Conj. Hab.Vl.Silvia - Pca. Do Correio
2041-10 Vila Nova Silvia - Term. Penha
2080-10 Cid. Kemel - Term. Aricanduva
211R-10 Jd. Das Oliveiras - Estação Da Luz
211V-10 Vila Paranagua - Estação Da Luz
2363-10 Jd. Danfer - Terminal Pq. D. Pedro Ii
2363-22 Jd. Danfer - Pq. D. Pedro Ii
+ informações: www.sptrans.com.br  

CICLOFAIXA DE LAZER
Circuito Zona Leste - Funciona no entorno do parque aos domingos e feriados das 7h às 16.