Linear Rapadura

 Leste                         

Um retângulo com quatro fotografias dentro, separadas por uma fina linha branca. A primeira foto do parquinho, a segunda foto quadra poli esportiva, a terceira foto equipamento da academia da terceira idade, a quarta foto grama verde, com árvores ao fundo e folhas secas no chão. 
Av. Aricanduva; Rua Caçaquera, 1000; rua do Zodíaco, 368, Jardim Têxtil
Criado por decreto em 13/05/2010
Subprefeitura de Aricanduva/Vila Formosa
Área: 63.224 m²
Aberto diariamente das 6h às 18h, a partir de sábado (31/10)

INFRAESTRUTURA

Possui equipamentos de lazer e esporte como áreas de estar, gramados, quadras poliesportivas e pista de skate. Possui estacionamento gratuito. Equipamentos de ginástica, banheiros, rampa de acesso ao parque e áreas de circulação acessíveis.

PARTICULARIDADES
Inaugurado em 2008 e implantado em parceria com a Subprefeitura Aricanduva, o parque foi criado para qualificar áreas de preservação do Córrego Rapadura, afluente do Rio Aricanduva e possui intervenções de contenção da margem do córrego.

Apresenta vegetação composta por áreas ajardinadas e arborizadas, bosque heterogêneo e vegetação ruderal nos taludes do córrego. Destaques da FLORA: aroeira-salsa (Schinus molle), eucalipto (Eucalyptus sp.), figueira-benjamim (Ficus benjamina), ipê-de-el-salvador (Tabebuia rosea), jacarandá-mimoso (Jacaranda mimosifolia), jerivá (Syagrus romanzoffiana), pau-ferro (Libidibia ferrea var. leiostachya), romãzeira (Punica granatum) e sibipiruna (Poincianella pluviosa var. peltophoroides). Já foram registradas 108 espécies vasculares, das quais estão ameaçadas de extinção: cedro (Cedrela fissilis), pau-brasil (Paubrasilia echinata) e pinheiro-do-paraná (Araucaria angustifolia). Inventário de flora 2020.

Sua FAUNA é composta majoritariamente de aves, como o periquito-rico, maracanã-pequena, periquitão-maracanã, anu-branco, anu-preto, joão-de-barro, ferreirinho-relógio, guaracava-de-barriga-amarela, sabiá-laranjeira, sanhaço-do-coqueiro e cambacica. Além das aves, nas noites quentes e úmidas, o sapo-cururu pode ser avistado.

O BAIRRO
Em meados do século XVII, Brás Cubas possuía uma chácara de veraneio onde hoje seriam os bairros do Pari ou Tatuapé. A área hoje pertencente à V. Formosa desde meados do século XIX foi ocupada por chacareiros e sitiantes. As notícias dessa época dão conta de que, em 1885, a chácara pertencia à família "Casa Grande". Em 1911, passou a pertencer aos irmãos Jacob, de modo que uma parte de Vila Carrão, onde se localiza a atual Av. Guilherme Giorgi e a Vila Mafra, pertenciam à Rafael Jacob, o antigo Sítio Salles.

A zona do atual Jardim Vila Formosa e parte do cemitério de mesmo nome pertenciam à Companhia Melhoramento do Brás. Efetivamente, o bairro teve seu desenvolvimento iniciado em 1933. A denominação "Formosa" foi escolhida pelos donos das terras para homenagear a cidade de mesmo nome, que hoje se chama Ilhabela.

CONSELHO GESTOR
Os Conselhos Gestores dos Parques Municipais foram criados em 2003 para garantir a participação popular no planejamento, gerenciamento e fiscalização das atividades que ocorrem nos parques. O objetivo é envolver a comunidade na discussão das políticas públicas de forma consultiva, com enfoque nas questões socioambientais. Os Conselhos são integrados por representantes da sociedade civil (em geral, três frequentadores e um representante de movimento social ou entidade local), um representante dos trabalhadores do parque e três representantes do Poder Executivo. Saiba mais sobre os Conselhos Gestores no site da SVMA.

COMO CHEGAR?
3762/10 – Jd. Iva / Metrô Tatuapé
+ informações: www.sptrans.com.br