Cemucam

 Centro-Oeste            

Um retângulo com quatro fotografias dentro, separadas por uma fina linha branca. A primeira foto de galhos com folhas verdes formando um túnel sobre a trilha, a segunda foto de uma escada de terra com folhas verdes ao redor, a terceira foto da marquise com detalhes em madeira escura no teto branco, a quarta foto de gangorras nas cores verde, amarelo e vermelho.Rua Mesopotâmia, s/n (km 25 da Rodovia Raposo Tavares sentido Capital) - Jd. Passárgada – Cotia
Inaugurado em 02/03/1969
Decreto de criação: 7.730 de 09/10/1.968
Área: 500.000 m²
Aberto diariamente das 6h às 18h
Fone: (11) 4702-2126 / Fax (11) 4702-8404

INFRAESTRUTURA

Estacionamento, quiosques com churrasqueiras, sanitário, ciclovia (bike park) com 8 km , campo de futebol, quadra poliesportiva, bebedouros, mesas, bancos, paraciclos, pista de Cooper, trilha para caminhada, bosque, gramado para piquenique, playgrounds e Viveiro Harry Blossfeld (pertencente à Divisão Técnica de Produção e Arborização). Acessibilidade em banheiros, entrada e áreas de circulação.

PARTICULARIDADES

Criado em 1968 com a finalidade de divulgar o campismo e atender o movimento escoteiro, o Centro Municipal de Campismo (CEMUCAM) é o único parque municipal localizado fora do município de São Paulo, situado no município de Cotia.
A vegetação predominante é de remanescentes de Mata Atlântica, além de eucaliptal (Eucalyptus sp.), bosques heterogêneos, brejos e campos antropizados. Sua FLORA tem por destaque: açoita-cavalo (Luehea grandiflora), angico (Anadenanthera colubrina), angico-vermelho (Anadenanthera peregrina), aroeira-mansa (Schinus terebinthifolia), aroeira-salsa (Schinus molle), cambará (Moquiniastrum polymorphum), camboatá (Cupania vernalis), canjerana (Cabralea canjerana subsp. canjerana), cedro (Cedrela fissilis), chico-pires (Leucochloron incuriale), damasqueiro-japonês (Prunus mume), embiruçu (Pseudobombax grandiflorum), falsa-seringueira (Ficus elastica), guabiroba-do-mato (Campomanesia eugenioides), guapeva (Pouteria bullata), guapuruvu, ingá-ferradura (Inga sessilis), ipê-rosa (Handroanthus heptaphyllus), jacarandá-paulista (Machaerium villosum), jerivá (Syagrus romanzoffiana), maria-mole (Guapira opposita), paineira (Ceiba speciosa), pau-de-tamanco (Pera glabrata), pau-ferro (Libidibia ferrea var. leiostachya), pinheiro-do-paraná (Araucaria angustifolia), pinheiro-chinês (Cunninghamia lanceolata), seafórtia (Archontophoenix cunninghamiana), tapiá-guaçu (Alchornea sidifolia), tapiá-mirim (Alchornea triplinervia) e tapirira (Tapirira guianensis). Já foram registradas 316 espécies vasculares, das quais estão ameaçadas de extinção: cambucá (Plinia edulis), canela-amarela (Nectandra barbellata), cedro (Cedrela fissilis), favinha-branca (Rhynchosia reticulata), guapeva (Pouteria bullata), jacarandá-da-bahia (Dalbergia nigra), pau-brasil (Paubrasilia echinata) e pinheiro-do-paraná (Araucaria angustifolia).

O parque abriga o Viveiro Harry Blossfeld (antigo Viveiro Cotia), que fornece espécies para a arborização do município de São Paulo. Neste parque foi coletada a primeira amostra do Herbário Municipal.Inventário de flora 2021.

O parque é rico em FAUNA: foram registradas 166 espécies, incluindo 13 tipos de insetos, entre eles oito espécies de (borboletas) , cinco répteis (serpentes), 132 aves e 16 mamíferos. A diversificada avifauna inclui tanto espécies florestais quanto as de áreas abertas. O remanescente de Mata Atlântica fornece habitats para diversas espécies endêmicas desse bioma, bem como as ameaçadas de extinção. Pica-paus, pombos silvestres, papagaios e periquitos, beija-flores, sabiás, papa-moscas (tiranídeos – pássaros da família do bem-te-vi), sanhaços, saíras e saís são os grupos de espécies melhor representados no parque. Reúne espécies com grande apelo ao observador de aves, como socó-boi-baio, bacurau-chintã, cuiú-cuiú, tucano-de-bico-verde, joão-bobo, barbudo-rajado, jacuguaçu e as aves ameaçadas, como gavião-pega-macaco, araponga e pequenos mamíferos, como as catitas. Ratos silvestres, caxinguelês, tapitis e cachorros-do-mato complementam os exemplos de mamíferos registrados.

CONSELHO GESTOR
Os Conselhos Gestores dos Parques Municipais foram criados em 2003 para garantir a participação popular no planejamento, gerenciamento e fiscalização das atividades que ocorrem nos parques. O objetivo é envolver a comunidade na discussão das políticas públicas de forma consultiva, com enfoque nas questões socioambientais. Os Conselhos são integrados por representantes da sociedade civil (em geral, três frequentadores e um representante de movimento social ou entidade local), um representante dos trabalhadores do parque e três representantes do Poder Executivo. Saiba mais sobre os Conselhos Gestores no site da SVMA.

CONSULTE AQUI O REGULAMENTO DO PARQUE

COMO CHEGAR:
EMTU – Cotia
Metrô Butantã - Cotia
Metro Butantã – Itapevi
Metro Butantã - Vargem Grande Paulista
Pinheiros – Cotia

+ informações: www.emtu.sp.gov.br