Cemucam

 Centro-Oeste            

Um retângulo com quatro fotografias dentro, separadas por uma fina linha branca. A primeira foto de galhos com folhas verdes formando um túnel sobre a trilha, a segunda foto de uma escada de terra com folhas verdes ao redor, a terceira foto da marquise com detalhes em madeira escura no teto branco, a quarta foto de gangorras nas cores verde, amarelo e vermelho. 

Rua Mesopotâmia, s/n (km 25 da Rodovia Raposo Tavares sentido Capital) - Jd. Passárgada – Cotia
Inaugurado em 02/03/1979
Área: 500.000 m²
Funcionamento: das 6h às 18h (sujeito a alteração na vigência do horário de verão)
Fone: (11) 4702-2126 / Fax (11) 4702-8404

INFRAESTRUTURA

Estacionamento, quiosques com churrasqueiras, sanitário, circuito de mountain bike, campo de futebol, quadra poliesportiva, bebedouros, mesas, bancos, paraciclos, pista de Cooper, trilha para caminhada, bosque, gramado para piquenique, playgrounds e Viveiro Harry Blossfeld (pertencente à Divisão Técnica de Produção e Arborização). Acessibilidade em banheiros, entrada e áreas de circulação.

PARTICULARIDADES

Criado em 1968 com a finalidade de divulgar o campismo e atender o movimento escoteiro, o Centro Municipal de Campismo (CEMUCAM) é o único parque municipal localizado fora do município de São Paulo, situado no município de Cotia.
A vegetação predominante é de remanescentes de Mata Atlântica, além de eucaliptal (Eucalyptus sp.), bosques heterogêneos, brejos e campos antropizados. Sua FLORA tem por destaque: açoita-cavalo (Luehea grandiflora), angico (Anadenanthera colubrina), angico-vermelho (Anadenanthera peregrina), aroeira-mansa (Schinus terebinthifolia), aroeira-salsa (Schinus molle), cambará (Moquiniastrum polymorphum), camboatá (Cupania vernalis), canjerana (Cabralea canjerana subsp. canjerana), cedro (Cedrela fissilis), chico-pires (Leucochloron incuriale), damasqueiro-japonês (Prunus mume), embiruçu (Pseudobombax grandiflorum), falsa-seringueira (Ficus elastica), guabiroba-do-mato (Campomanesia eugenioides), guapeva (Pouteria bullata), guapuruvu, ingá-ferradura (Inga sessilis), ipê-rosa (Handroanthus heptaphyllus), jacarandá-paulista (Machaerium villosum), jerivá (Syagrus romanzoffiana), maria-mole (Guapira opposita), paineira (Ceiba speciosa), pau-de-tamanco (Pera glabrata), pau-ferro (Libidibia ferrea var. leiostachya), pinheiro-do-paraná (Araucaria angustifolia), pinheiro-chinês (Cunninghamia lanceolata), seafórtia (Archontophoenix cunninghamiana), tapiá-guaçu (Alchornea sidifolia), tapiá-mirim (Alchornea triplinervia) e tapirira (Tapirira guianensis). Já foram registradas 316 espécies vasculares, das quais estão ameaçadas de extinção: cambucá (Plinia edulis), canela-amarela (Nectandra barbellata), cedro (Cedrela fissilis), favinha-branca (Rhynchosia reticulata), guapeva (Pouteria bullata), jacarandá-da-bahia (Dalbergia nigra), pau-brasil (Paubrasilia echinata) e pinheiro-do-paraná (Araucaria angustifolia).

O parque abriga o Viveiro Harry Blossfeld (antigo Viveiro Cotia), que fornece espécies para a arborização do município de São Paulo. Neste parque foi coletada a primeira amostra do Herbário Municipal.

Inventário de flora 2018.

O parque é rico em FAUNA: foram registradas 124 espécies, incluindo oito borboletas, cinco répteis (serpentes), 94 aves e 16 mamíferos. A diversificada avifauna inclui tanto espécies florestais quanto as de áreas abertas. O remanescente de Mata Atlântica fornece habitats para diversas espécies endêmicas desse bioma, bem como as ameaçadas de extinção. Pica-paus, pombos silvestres, papagaios e periquitos, beija-flores, sabiás, papa-moscas (tiranídeos – pássaros da família do bem-te-vi), sanhaços, saíras e saís são os grupos de espécies melhor representados no parque. Reúne espécies com grande apelo ao observador de aves, como socó-boi-baio, bacurau-chintã, cuiú-cuiú, tucano-de-bico-verde, joão-bobo, barbudo-rajado, jacuguaçu e as aves ameaçadas, como gavião-pega-macaco, araponga e pequenos mamíferos, como as catitas. Ratos silvestres, caxinguelês, tapitis e cachorros-do-mato complementam os exemplos de mamíferos registrados.

CONSELHO GESTOR
Os Conselhos Gestores dos Parques Municipais foram criados em 2003 para garantir a participação popular no planejamento, gerenciamento e fiscalização das atividades que ocorrem nos parques. O objetivo é envolver a comunidade na discussão das políticas públicas de forma consultiva, com enfoque nas questões socioambientais. Os Conselhos são integrados por representantes da sociedade civil (em geral, três frequentadores e um representante de movimento social ou entidade local), um representante dos trabalhadores do parque e três representantes do Poder Executivo. Saiba mais sobre os Conselhos Gestores no site da SVMA.

COMO CHEGAR:
EMTU – Cotia
Metrô Butantã - Cotia
Metro Butantã – Itapevi
Metro Butantã - Vargem Grande Paulista
Pinheiros – Cotia

+ informações: www.emtu.sp.gov.br