Alfredo Volpi

 Centro-Oeste            

Um retângulo com quatro fotografias dentro, separadas por uma fina linha branca. A primeira foto pedras cobertas de musgo verde com uma queda d’água entre elas, a segunda foto uma trilha com banco verde na lateral esquerda e árvores ao redor, a terceira foto de ponte de madeira com folhas secas na ponta, a quarta foto de uma pequena fonte de madeira. 

Av. Eng. Oscar Americano, 480 Morumbi
Inaugurado em 27/04/1971
Subprefeitura Butantã
Área: 142.400 m²
Horário: das 6 às 18h
Telefone: (11) 3031-7052

INFRAESTRUTURA
Trilhas rústicas são usadas para corridas, caminhadas e contemplação pelo meio da mata, permitindo visualizar nascentes e lagos. Há aparelhos de ginástica (barras e pranchas), inclusive em versões de baixo impacto, além de playground, praças de piquenique com mesas e bancos, estacionamento, sanitários com acessibilidade e paraciclo. O parque oferece rede wi-fi e acessibilidade nos banheiros, entrada do parque e playground. Oferece monitoria em educação ambiental.
Seu nome atual – Alfredo Volpi - é uma homenagem a Alfredo Foguebecca Volpi (1896-1988), nascido em Lucca, Itália, no dia 14 de abril de 1896. Foi um dos mais conceituados pintores brasileiros, destacando-se na Segunda Geração da Arte Moderna Brasileira. Suas pinturas são caracterizadas por casarios e bandeirinhas coloridas.

Localizado no bairro do Morumbi, o parque fazia parte de grande fazenda no século XIX, com o plantio de chá. A área foi dividida, dando origem a várias chácaras. Com o desenvolvimento imobiliário, em 1940, o sucesso de vendas do Jardim América valorizou o bairro e a Companhia Imobiliária Morumby decidiu comercializar os lotes da fazenda. Os futuros compradores, no entanto, deveriam concordar com a regra de não criar áreas comerciais ou edifícios no local. A região passou a ser habitada por famílias de alto poder aquisitivo, e o bairro tornou-se diferenciado com a construção do Estádio do Morumbi, em 1952. A região abriga também o Palácio dos Bandeirantes, sede do Governo Paulista.

PARTICULARIDADES
Visando à preservação de uma área remanescente de Mata Atlântica do Planalto Paulista, o projeto paisagístico, de 1966, tem por base a proposta paisagística apresentada por Rosa Grena Kliass, com colaboração do arquiteto Carlos Welker e do botânico Helmut Shlik, responsável pelo levantamento florístico da área. O projeto aproveitou as clareiras naturais do local para implantação dos setores de recreação infantil. O local é ponto de coleta de lixo eletrônico (e-lixo) e óleo comestível.
O Parque trabalha com Educação Ambiental em conjunto com a DRE Butantã, que disponibiliza ônibus para o evento e agenda as escolas das regiões para participar dessa atividade. O parque recebe gratuitamente o agendamento das escolas de 1°e 2° graus através do e-mail pqalfredovolpi@gmail.com ou pelo telefone (11) 3031-7052.

Sua FLORA tem predomínio de remanescente de Mata Atlântica em estágio médio de sucessão, além de bosque implantado e áreas ajardinadas. São destaques da flora: açoita-cavalo (Luehea grandiflora), angico (Anadenanthera colubrina), araticum-do-mato (Annona sylvatica), bambu-chinês (Bambusa tuldoides), caá-açu (Bathysa australis), cabuçu (Miconia cabucu), camboatá-de-folhas-largas (Cupania oblongifolia), camboatá-do-miúdo (Matayba intermedia), cambuci (Campomanesia phaea), canafístula (Cassia ferruginea), canjica (Roupala montana var. brasiliensis), cedro (Cedrela fissilis), copaíba (Copaifera langsdorffii), costela-de-adão (Philodendron bipinnatifidum), embaúba-prateada (Cecropia hololeuca), embaúba-vermelha (Cecropia glaziovii), embiruçu (Pseudobombax grandiflorum), erva-de-santo-antônio (Mollinedia uleana), erva-mate (Ilex paraguariensis), figueira-branca (Ficus adhatodifolia), guaçatonga (Casearia sylvestris), guamirim (Eugenia cerasiflora), guatambu (Aspidosperma olivaceum), guapuruvu, jatobá (Hymenaea courbaril), jerivá (Syagrus romanzoffiana), jequitibá (Cariniana estrellensis), laranjeira-do-mato (Actinostemon concolor), marinheiro (Guarea macrophylla subsp. tuberculata), palmito-jussara (Euterpe edulis), palmeira-de-leque-da-china (Livistona chinensis), passuaré (Tachigali denudata), pau-jacaré (Piptadenia gonoacantha) seafórtia (Archontophoenix cunninghamiana), sibipiruna (Poincianella pluviosa var. peltophoroides), tapiá-guaçu (Alchornea sidifolia), tipuana (Tipuana tipu) e tucum (Bactris setosa). Já foram registradas 305 espécies vasculares, das quais estão ameaçadas de extinção: cedro (Cedrela fissilis), palmito-jussara (Euterpe edulis) e pinheiro-do-paraná (Araucaria angustifolia). 

Inventário de Flora 2018.

Há registro de 107 espécies de FAUNA, em sua maioria aves, com destaque para algumas endêmicas de Mata Atlântica, como tucano-de-bico-verde, capitão-de-saíra, saíra-ferrugem e cigarra-bambu, além de registros ocasionais de anambé-branco-de-rabo-preto, em rápida escala no parque. Pica-paus, sanhaços e saíras (traupídeos) e papa-moscas/tiranídeos (pássaros da família do bem-te-vi) estão bastante diversificados – maior número de espécies. É possível se observar também irerês, socó-dorminhoco, garça-branca, martins-pescadores, carão e algumas aves de rapina, como gavião-peneira, gavião-carijó, corujinha-do-mato e caracará. Constam também peixes (carpa), rãzinha-do-folhiço, lagarto “papa-vento”, bicho-preguiça e saguis.

CONSELHO GESTOR
Os Conselhos Gestores dos Parques Municipais foram criados em 2003 para garantir a participação popular no planejamento, gerenciamento e fiscalização das atividades que ocorrem nos parques. O objetivo é envolver a comunidade na discussão das políticas públicas de forma consultiva, com enfoque nas questões socioambientais. Os Conselhos são integrados por representantes da sociedade civil (em geral, três frequentadores e um representante de movimento social ou entidade local), um representante dos trabalhadores do parque e três representantes do Poder Executivo.

Saiba mais sobre os Conselhos Gestores no site da SVMA.

CONSULTE O REGULAMENTO DO PARQUE

COMO CHEGAR:
5119/10 – Term. Capelinha / Lgo. São Francisco
6291/10 – Inocoop Campo Limpo / Term. Bandeira
647A/10 – Valo Velho / Pinheiros
647P/10 – Cohab Adventista / Term. Pinheiros
7040/10 – Paraisópolis / Pinheiros
775F/10 – Jd. Das Palmas / Hosp. Das Clínicas