Benemérito José Brás

 Centro-Oeste            

Um retângulo com quatro fotografias dentro, separadas por uma fina linha branca. A primeira foto de um papagaio verde, a segunda foto de uma flor amarela no canto com a ponte e prédios ao fundo, a terceira foto de duas flores roxas, a quarta foto do parquinho. 

 Rua Piratininga, 365 – Brás
Inaugurado em 08/01/2011
Subprefeitura da Mooca
Área: 26.568 m²
Funcionamento: 6h às 18h (sujeito a alterações durante vigência do horário de verão
Telefone: (11) 3207-4706

INFRAESTRUTURA

Quadras poliesportivas, aparelhos de ginástica, playground, pista de Cooper e caminhada, área de eventos e apresentações culturais, paraciclo, área de estar com mesas de xadrez, minibiblioteca com livros, mesa e bancos, área de estar com mesas e bancos; sanitários acessíveis. Oferece o “Bosque da Leitura” (programa da Secretaria da Cultura).

PARTICULARIDADES 

Reivindicação da comunidade, o parque está inserido num local densamente urbanizado, onde antes havia uma praça, junto à saída da estação Brás do Metrô. A área já era ocupada pela população para a prática de exercícios físicos e esportes, além de atividades infantis. O objetivo foi promover a melhora ambiental do bairro com o aumento de permeabilização do solo, arborização (com preservação das espécies já existentes) e implantação de equipamentos de lazer.

Jardins, arborização esparsa e gramados compõem sua FLORA, e seus destaques são: alfeneiro (Ligustrum lucidum), angico (Anadenanthera colubrina), aroeira-mansa (Schinus terebinthifolia), aroeira-salsa (Schinus molle), chapéu-de-sol (Terminalia catappa), chuva-de-ouro (Cassia fistula), espatódea (Spathodea campanulata), faveira (Peltophorum dubium), falsa-figueira-benjamim (Ficus microcarpa), ipê-de-el-salvador (Tabebuia rosea), ipê-de-jardim (Tecoma stans), jambolão (Syzygium cumini), mangueira (Mangifera indica), paineira (Ceiba speciosa), pau-mulato (Calycophyllum spruceanum) e uva-japonesa (Hovenia dulcis). Das 41 espécies vasculares registradas, está ameaçada de extinção o pau-brasil (Paubrasilia echinata). Inventário de flora 2018.

Em relação às espécies de FAUNA, vale a pena ressaltar o registro do gavião-pombo-pequeno, espécie endêmica e classificada como ameaçada de extinção nas listas estadual, nacional e mundial.


O BRÁS
Os primeiros registros do bairro do Brás remontam ao início do século XVIII, quando foi pedida a edificação de uma capela em homenagem ao Senhor Bom Jesus do Matosinho, em chácara de propriedade do português José Braz (assim mesmo, com “z”). As primeiras referências a ele constam em atas da Câmara dos Vereadores de 1769, quando se despacharam várias petições em seu nome. As terras ficavam na margem de uma estrada, conhecida como Caminhos do José Braz, que passou a ser denominada Rua do Braz e hoje leva o nome de Avenida Rangel Pestana. Nas imediações havia muitas outras chácaras, de propriedade de famílias ricas, como a do engenheiro Carlos Bresser e a Chácara do Ferrão, pertencente à Marquesa de Santos. O parque ganhou o nome do benemérito José Braz pela construção dessa capela, demolida em 1904 para dar lugar à atual Igreja do Brás.

O desenvolvimento do bairro foi lento, até o advento da cultura do café e, com ela, os imigrantes, que desembarcavam em Santos e eram para ali encaminhados de trem, de onde partiam para as lavouras de café no interior do Estado. Muitos desses imigrantes preferiram ficar na capital, o que caracterizou a forte influência italiana na ocupação do bairro. Foram estes os pioneiros de sua industrialização, que após grande seca na década de 40, recebeu também progressiva entrada de nordestinos. Com isso, o bairro misturou às características italianas sua vocação de comércio popular para alimentos, roupas e música.

CONSELHO GESTOR
Os Conselhos Gestores dos Parques Municipais foram criados em 2003 para garantir a participação popular no planejamento, gerenciamento e fiscalização das atividades que ocorrem nos parques. O objetivo é envolver a comunidade na discussão das políticas públicas de forma consultiva, com enfoque nas questões socioambientais. Os Conselhos são integrados por representantes da sociedade civil (em geral, três frequentadores e um representante de movimento social ou entidade local), um representante dos trabalhadores do parque e três representantes do Poder Executivo.
Saiba mais sobre os Conselhos Gestores no site da SVMA.

COMO CHEGAR:
Ônibus
2100-10 – Terminal Vila Carrão / Praça da Sé
2101-10 – Praça Silvio Romero / Praça da Sé
5630-10 – Terminal Grajaú / Metrô Brás
N401-11 – Terminal Vila Carrão / Terminal Parque Dom Pedro II
174M – 10 – Museu do Ipiranga / Jardim Brasil
274P-10 – Penha / Metrô Vila Mariana
Metrô - Estação Brás – Linha 3-Vermelha