Perguntas frequentes

1 – O que é um dependente químico?

A dependência química é uma condição biopsicossocial, que se manifesta quando um usuário de drogas (ilícitas ou lícitas, como o álcool) perde o controle do uso e começa a ter problemas em alguma área de sua vida, seja familiar, no trabalho, problemas físicos, psíquicos ou financeiros.

2 - Como conseguir tratamento?
O primeiro passo é a avaliação clínica e psicossocial que é oferecida na Rede de Atenção Psicossocial (RAPS) do Sistema Único de Saúde (SUS). Para acessar os serviços os usuários devem buscar preferencialmente os Centros de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS AD) e as Unidades Básicas de Saúde (UBS) que são portas de entrada para a RAPS da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de São Paulo. Essa rede conta com 30 CAPS AD. Na região Central da cidade o acesso pode ser feito também na Unidade Redenção (Praça Princesa Isabel, 75).

3 – O tratamento é igual pra todos?
Não. O dependente que procura tratamento é acolhido e participa da elaboração de um Projeto Terapêutico Singular (PTS) específico para as suas necessidades e demandas. Uma equipe multiprofissional composta por médicos, psicólogos, assistente social, enfermeiro e terapeuta ocupacional realiza a avaliação e se responsabiliza pelo cuidado adequado para cada pessoa.

4 – Há necessidade de internação?
A internação é oferecida para os casos graves onde o tratamento ambulatorial não apresenta sucesso.

5 – Quanto tempo dura o tratamento?
O tratamento tem início na abordagem. A fase de desintoxicação em média tem a duração de quatro semanas, porém o tratamento completo em geral é um problema de médio e longo prazo.

6 – O tratamento é apenas para dependentes de crack, ou também para outros tipos de drogas e dependência de álcool?
O tratamento é para todo e qualquer tipo de dependência.

7 – Como lidar com recaídas?
A recaída faz parte do quadro clínico e, embora não desejável, pode acontecer com alguma frequência.

8 – Um conhecido é dependente químico e não quer buscar tratamento. Como posso ajudá-lo?
Uma boa conversa explicando os motivos pelos quais você está preocupado com a saúde dessa pessoa é uma ação muito importante para iniciar um tratamento nessa área.