Barra de Impressão

Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente


  • Início
  • Secretarias
  • Meio Ambiente / Programas e projetos


    Educação Ambiental e Cultura de Paz

     

     Educação Ambiental e Cultura de Paz

    Programas e projetos

    Umapaz


    A Universidade Aberta do Meio Ambiente e da Cultura de Paz (UMAPAZ) tem o propósito de oferecer programas e atividades de educação ambiental e para a convivência, abertos a pessoas de diferentes faixas etárias e formação, numa perspectiva transdisciplinar, com o objetivo de contribuir para a sustentabilidade em São Paulo. A proposta da UMAPAZ foi formulada como projeto no ano de 2005, considerando experiências similares como a UNILIVRE, em Curitiba, a UPEACE, na Costa Rica e o SCHUMACHER COLLEGE, na Inglaterra. Em janeiro de 2006 instalou-se no Parque Ibirapuera (Av. IV Centenário, 1268).
    Na sua programação a UMAPAZ busca articular três dimensões: o indivíduo como parte da comunidade da vida; a família humana como partícipe de um destino comum, construído nas relações entre seus membros e com os outros seres vivos; e a construção, no tempo e no espaço, do destino e das perspectivas da comunidade da vida do planeta Terra. Amparada no seu propósito e pressupostos, a UMAPAZ tem estruturado o perfil da sua oferta ao longo dos seus três anos de funcionamento.
    Em 2006, as ênfases foram: a exposição CORPO D´ÁGUA, que atraiu grande número de visitantes; a primeira turma do Curso Educação Gaia – Design de Sustentabilidade; a primeira turma do Curso Água: recurso estratégico para a vida; o início do Programa Aventura Ambiental e o Ciclo de Palestras que anunciou conteúdos que vieram a ser tratados nos cursos da UMAPAZ nos anos seguintes.
    Em 2007, a oferta foi sendo diversificada, com cursos, oficinas e programas contínuos. A UMAPAZ sediou o Programa Ambientes Verdes e Saudáveis, produto de uma ampla parceria com as Secretarias Municipais de Saúde e de Promoção Social, o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) e organizações parceiras do Programa de Saúde da Família, que capacitou cerca de 5.000 agentes comunitários de saúde e de promoção social.
    Em 2008, com a possibilidade de contratação de professores devidamente cadastrados como palestrantes, a UMAPAZ pode ampliar suas atividades. Foram oferecidas 3.290 horas/aula/ atividades, sendo 2.716 horas em 47 cursos (41 com uma única turma e sete com mais de uma turma), sete oficinas, 40 horas de palestras e 540 horas em seis programas de atividades continuadas. Além do fortalecimento da programação, com a estruturação da carteira de cursos e programas, merece destaque o trabalho realizado em parceria com a Secretaria Municipal de Educação para a Difusão da Carta da Terra na rede municipal de educação, com 30 turmas descentralizadas nas regiões da cidade, alcançando cerca de 800 escolas.
    A UMAPAZ vem descentralizando suas atividades com a oferta de atividades nos vários parques municipais.

    De 2009 a 2011 foram atendidas 80 mil pessoas e foram promovidas 25 mil atividades descentralizadas.

     

    Saiba mais

    Rede de Ação pela Paz em São Paulo


    A Secretaria do Verde participou da elaboração do Guia da Cultura de Paz de São Paulo, que surgiu da necessidade de mapear todas as instituições que trabalham com a promoção da cultura de paz. A ar ticulação para sua elaboração surgiu no âmbito da Rede Ação pela Paz, criada na Campanha pelo Desarmamento. O Guia tem por objetivo ser vir como mecanismo de integração das entidades, divulgação dos trabalhos e troca de conhecimento entre os membros da Rede e todo e qualquer cidadão que queira par ticipar e entender este movimento.
    A Campanha cont ra o Desarmamento também é apoiada pela Prefeitura de São Paulo, que teve par t icipação at iva no recolhimento de armas na cidade.

    Penas Alternativas


    A SVMA, através de cooperação da Prefeitura com a Central de Penas e Medidas Alternativas do Estado, acolhe em seus parques dezenas de prestadores de serviços à comunidade. Atualmente conta com cem pessoas em 20 parques municipais cumprindo penas alternativas. Em alguns casos há incorporação destes prestadores de serviço ao grupo de trabalhadores dos parques,de acordo com a vocação de cada espaço. Há prestadores de serviços que foram contratados pelas empresas de manutenção (terceirizadas). Outros tornam-se voluntários, continuando o mesmo serviço que tinham iniciado sob a pena.

    Carta da Terra


    A Carta da Terra é um documento idealizado na Cúpula da Terra, realizada no Rio de Janeiro em 1992 e escrito por muitas mãos ao redor do mundo. Contém quatro princípios: respeito e cuidado com a comunidade; integridade ecológica; justiça social e econômica; democracia, não violência e paz. Tem sido utilizada como um código de ética planetário, capaz de iluminar uma perspectiva de futuro sustentável, equânime, democrático e pacífico.
    A Secretaria desenvolveu, através da UMAPAZ, o Programa Difusão da Carta da Terra na rede municipal de ensino, que contou com 30 turmas descentralizadas nas diversas regiões da cidade, alcançando cerca de 800 escolas. Foram reproduzidos 65 mil exemplares da Carta, distribuídos a todos os professores da rede municipal.
    A Carta da Terra pode trazer novas perspectivas para a escola, iluminando questões centrais da nossa sociedade e do futuro, articulando dimensões transdisciplinares na formação do cidadão e da família humana como parte da comunidade da vida na Terra.

    Ambientes Verdes e Saudáveis


    O Projeto Ambientes Verdes e Saudáveis (PAVS) tem como objetivo fortalecer a gestão integrada entre três secretarias: Verde e Meio Ambiente, Saúde e Desenvolvimento e Ação Social, para o desenvolvimento de uma agenda de proteção e de promoção de ambientes verdes e saudáveis com enfoque interdisciplinar: saúde e meio ambiente. Para isso, promoveu o diálogo ambiental com os Agentes Comunitários de Saúde da Secretaria Municipal de Saúde e da Secretaria de Desenvolvimento e Ação Social.
    No ano de 2007 foram capacitados 4.967 agentes, sendo 4.864 agentes comunitários de saúde e 68 agentes de proteção social. Eles estudaram os temas lixo, água, energia, biodiversidade, convivência saudável com animais
    e zoonoses, consumo consciente, cultura de paz e não violência. O Projeto visa também promover a qualificação dos gestores das organizações responsáveis pela gestão e formulação de políticas públicas ambientais e de saúde para a tomada de decisões e implementação de uma agenda integrada. Neste momento, o PAVS está em uma segunda fase, realizando a implementação de projetos e ações de intervenção em nível local.

    Escola de Jardinagem


    A Escola tem uma tradição de décadas na cidade, ministra vários cursos relacionados à área de jardinagem, além de contar com um programa de palestras e oficinas. Sua programação oferece subsídios técnicos na área de jardinagem e meio ambiente, direcionados ao público em geral. Em 2008, foram oferecidas 14 turmas de jardinagem, 10 de recursos paisagísticos, quatro de orquídeas, três de hortas e quatro de prática em jardinagem. O projeto CRER-SER, em parceria com o CECCO, passou a integrar a Escola neste ano. Também foram ministradas 80 oficinas, além de 19 oficinas e minicursos no “Programa Fora da Escola!”, em parceria com outras Instituições, dentro e fora da SVMA.
    Ainda no “Programa Fora da Escola!”, iniciamos a vertente de cursos de capacitação com o objetivo de atender a parcerias intersecretariais. Em parceria com a Secretaria do Trabalho, foram oferecidos 06 cursos de “Capacitação em Jardinagem com Foco em Manutenção”, tendo como público alvo albergados e população em situação de risco social, com faixa etária aproximada entre 21 e 59 anos. O objetivo é facilitar a inserção deste público no mercado de trabalho.

    Saiba mais sobre a Escola de Jardinagem

    Zeladores de Praças


    A Secretaria do Verde desenvolve desde 2008, em parceria com a Secretaria de Trabalho e as Subprefeituras, o projeto Zeladoria de Praças, promovendo o cuidado com as áreas verdes e gerando empregos. O Projeto já foi implantado em dez Subprefeituras, e já capacitou cerca de 1800 trabalhadores para cuidar da vegetação, fazer pequenos reparos, melhorar o visual paisagístico e dar condições regulares de uso a praças e áreas verdes na cidade.
    Além da melhoria da estética e da conservação da área verde, o programa tem como objetivo principal a capacitação de pessoas que perderam o emprego. Com conhecimentos e habilidades profissionais, obtém-se maiores possibilidades de acesso ao mercado de trabalho, além de melhor qualidade de vida. Os zeladores frequentam curso de jardinagem e recebem um auxílio mensal de R$ 535,00, por meio do Programa Operação Trabalho, da SEMDET

    Programa Florir São Paulo

    O Programa de Zeladoria foi contemplado com o Florir São Paulo, que tem como objetivo revitalizar e requalificar as praças da cidade com ações de paisagismo e jardinagem - plantio de flores e forrações coloridas que embelezam a cidade. As Subprefeituras, responsáveis pelo paisagismo dos espaços verdes, já encaminharam diversos projetos de praças para a análise e aprovação da Secretaria do Verde e do Meio Ambiente.

    A Subprefeitura do Butantã, que é responsável por 17 praças da região, totalizando 57.000 m2, está com os trabalhos adiantados e deve entregar as praças com projeto paisagístico implantado até meados de outubro. A Subprefeitura da Vila Mariana, responsável por 26 praças, já está com 10 delas em execução e a de Santo Amaro, que gerencia 15 praças, está com 12 praças com o Florir em andamento. As subprefeituras do Itaim, Penha, Perus, Pinheiros, São Mateus, São Miguel Paulista, Sé e Vila Maria, estão aguardando a finalização de licitação ou a liberação de recursos para a implantação do projeto.

    Na segunda fase do Programa Florir, também serão contempladas as subprefeituras do Jabaquara, Lapa e Cidade Tiradentes. A execução dos projetos totaliza investimentos da ordem de 15 milhões de reais.

    A união do Programa Zeladoria de Praças ao Projeto Florir São Paulo está promovendo geração de empregos, conservação e melhoria estética das praças da cidade. Acima de tudo cria perspectivas para a reinserção social e melhoria da qualidade de vida desses trabalhadores.

     

     

    Astronomia e Astrofísica


    O Planetário do Ibirapuera e a Escola Municipal da Astrofísica Prof. Aristóteles Orsini foram restaurados e voltaram a receber público interessado nos temas estelares.
    O prédio da Escola passou por uma grande reforma de suas instalações, sendo reaberto em agosto de 2008 com acessibilidade uni ver sal. Rampas e um elevador panorâmico foram acrescidos ao projeto or iginal, e a Escola também ganhou uma nova e preciosa Rosa dos Ventos. O Planetário do Ibirapuera foi totalmente restaurado em 2006, ganhou novo projetor e acessibilidade uni versal.
    De janeiro de 2008 a maio de 2009, o atendimento feito pelo Planetário do Ibirapuera alcançou um público de aproximadamente 228 mil pessoas, incluindo sessões de projeção, atividades de observação, palestras e cursos, com exibição de quase mil sessões.Além das sessões abertas, o Planetário realizou a Virada Astronômica, participou do evento Campus Party, na Bienal ( com 1.600 pessoas); criou os programas Banho de Lua; Cosmo-ilusionismo; I:Cube; Bate-Papo com Astrônomo; Sarau Astronômico e RioKo – em comemoração aos 100 anos da Imigração Japonesa.
    Um terceiro equipamento cientifico-cultural foi aberto à população em 2005 - o Planetário do Carmo. Entretanto, problemas estruturais no prédio (vazamentos, rachaduras etc), concluído em 2004, fizeram com que ele fosse interditado ao público. A obra foi uma doação da Telefônica e, após negativa da empresa em arcar com a reforma do prédio como seria esperado, a Secretaria do Verde licitou a obra e cobrará na justiça os custos da empresa.

    Acesse o site

    Programa A3P
     

    A Agenda Ambiental na Administração Pública - A3P, é um Programa criado pelo Ministério do Meio Ambiente em 1999, baseado na compreensão de que o estado possui um papel estratégico na revisão dos padrões de produção e consumo e na adoção de novos referenciais em busca da sustentabilidade socioambiental, incentivando a adoção de tecnologias mais eficientes, que poupem matériaprima, e a reciclagem de seus resíduos.
    Na Prefeitura, tem o propósito de atuar na redução do uso de recursos naturais, minimizando impactos negativos das atividades de governo, promovendo programas de mudança de hábitos e combate ao desperdício, incentivando padrões tecnológicos de produção de baixo impacto sobre o meio ambiente, reduzindo o consumo e preservando os recursos naturais, incentivando compras verdes e a valorização dos servidores

    Agenda 21


    A Agenda 21 é um instrumento de planejamento para a construção de sociedades sustentáveis em diferentes bases geográficas que concilia métodos de proteção ambiental, justiça social e eficiência economica.
    Os objetivos do programa Agenda 21 da SVMA são: a construção dos processos de agenda 21 nos territórios de abrangência das subprefeituras, a organização, a coordenação e a condução institucional para que seja estabelecida a relação de parceria entre os três setores de forma a articular e difundir uma cultura de sustentabilidade. Foram instituídas cinco macro regiões (Norte, Sul, Leste, Oeste e Centro) como estratégia de ação para a construção dos processos.
    A Secretaria do Verde tem fortalecido as relações institucionais na construção da Agenda 21 no território das Subprefeituras, em consonância com as políticas públicas estaduais e federais e em parceria com a sociedade civil e o setor privado.

    Programa Trilhas Urbanas


    O Programa Trilhas Urbanas tem como área de atuação os parques municipais. Potencializando o aspecto pedagógico dos parques, desenvolve nestes espaços trilhas monitoradas como estratégia em educação ambiental.
    Com a finalidade de dar suporte às suas atividades de educação ambiental a equipe cria materiais instrucionais, tais como folders e cadernos educativos, para serem utilizados pela população atendida. Em datas e ocasiões especiais, o programa prepara projetos diferenciados que envolvem elementos artísticos como música e teatro. Foram desenvolvidos folders dos Parques Jardim da Luz e Independência, a segunda edição revista do folder do Jardim da Luz, folder do Parque do Piqueri, folder do Aquário da Luz e folder do Jardim da Luz em inglês (editados ou no prelo).

    Veja aqui o material do Programa

     

    voltar para

    PROGRAMAS E PROJETOS SVMA

     

     


    • Copyright
    • SAC