HISTÓRICO DA BIBLIOTECA

historicoA Biblioteca Municipal do Ipiranga foi inaugurada em 26 de novembro de 1953, localizada na rua Bom Pastor nº 1137 em um prédio alugado e adaptado, sendo no térreo a biblioteca circulante e no primeiro andar uma sala com mesas para 25 leitores. De acordo com a Secretaria da Educação e Cultura, o bairro foi escolhido para a instalação da 2ª biblioteca circulante da cidade por ser um núcleo bastante populoso e por contar com muitos estabelecimentos de ensino.

O acervo, na época de 2 mil volumes, aumentou consideravelmente e em 1961 o prédio já não comportava o grande número de obras. A população e autoridades locais reivindicaram um prédio maior e melhor localizado. Antes da construção do novo prédio, a biblioteca permaneceu atendendo ao público em um galpão situado no terreno do Colégio Visconde de Itaúna.

O novo prédio, situado à rua Cisplatina nº 505 e declarado de utilidade pública pelo decreto 5.949 de 24 de setembro de 1964, foi projetado pelo arquiteto Aluízio da Rocha Leão e inaugurado em 3 de abril de 1965. Possuia auditório com capacidade para 154 pessoas.

Em 1973 a biblioteca foi denominada Biblioteca Municipal Ministro Genésio de Almeida Moura, e em 2005 teve seu nome alterado para Roberto Santos, em homenagem ao cineasta, roteirista e produtor de cinema brasileiro.

Em 14 de junho de 2008, a biblioteca inaugura seu acervo temático de Cinema e retorna a programação de filmes. A escolha do tema partiu da vocação natural da biblioteca, que há mais de uma década é ponto de encontro de cinéfilos da cidade, com a tradicional sessão do Cineclube Ipiranga, todo sábado, com projeções de clássicos no formato 16mm. O auditório também foi reformado e passou a ter 101 lugares com mais conforto e ganhou um sistema de projeção eletrônica e de som de alta qualidade, exibindo Mostras com as mais variadas vertentes e estilos da sétima arte. 

Para isso, o prédio foi reformado, ganhando nova ambientação. O projeto foi feito a partir da carreira e obra do diretor Roberto Santos. Foi criada uma linha do tempo do cinema brasileiro, no hall de entrada. Todo o mobiliário e a sinalização remetem a sets de filmagem. Há cadeiras de diretor de cinema com logotipo da biblioteca, equipamentos antigos de iluminação, câmeras 16mm, moviola e outros, que compõe uma exposição permanente.

Em janeiro de 2008, pelo Decreto nº 49.172 passou a denominar-se Biblioteca Pública Roberto Santos e em dezembro de 2016, pelo Decreto nº 57.528, Biblioteca Pública Municipal Roberto Santos.

Em 2017 a sala de cinema foi reformada pela SPCine e passou a ter 70 lugares, sendo dois para cadeirantes; os filmes digitalizados são exibidos com sistema de som Dolby. As sessões de cinema acontecem de terça, quinta, sexta, sábado e domingo em três horários.

 Em 12 de março de 2018 o imóvel da biblioteca foi tombado, com enquadrado na Zona Especial de Preservação Cultural - ZEPEC. Veja Oficio Compresp - Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo

 
Legislação referente à biblioteca
Denominação: Decreto nº 10.310 de 8 de janeiro de 1973 (Biblioteca Min. Genésio de Moura)
Desapropriação: Decreto 5.949 de 24 de setembro de 1964
Inauguração: 3 de abril de 1965
Criação de SMB e nova denominação: Decreto nº 46.434 de 6 de outubro de 2005 (Biblioteca Roberto Santos)
Alteração de denominação: Decreto nº 49.172, de janeiro de 2008 e Decreto nº 57.528, de 12 de dezembro de 2016

Transferência para subprefeitura: Decreto nº 42.772 de 3 de janeiro de 2003
Transferência para SMC: Decreto nº 48.166 de 2 de março de 2007