Cresce número de jovens mulheres chefes de família

Estudo mostra crescimento de 116% no número de jovens mulheres na posição de chefe de família entre 2000 e 2010. No mesmo período, número de jovens mulheres que moram sozinhas cresceu 15%.

Este trabalho explora alguns aspectos da transição à idade adulta relacionados à situação familiar. Uma das maneiras de se definir juventude é entendê-la como fase de preparação e transição à idade adulta, fase cada vez mais marcada, na sociedade contemporânea, pela incerteza, insegurança, instabilidade, criatividade, abertura a novas situações, flexibilidade. A definição de juventude adotada é a mesma do recém-promulgado Estatuto da Juventude (2013), ou seja, considera a população residente na cidade de São Paulo com idade entre 15 a 29 anos. Os dados são provenientes dos Censos Demográficos 2000 e 2010 do IBGE.

O estudo mostra que o aumento do número de jovens responsáveis pelos domicílios ocorreu em todas as faixas etárias, mas em muito maior grau entre os adolescentes de 15 a 17 anos. Nesta faixa etária, os responsáveis pelos domicílios, que eram em 2000, 2.924 indivíduos (0,5% da faixa etária), em 2010 passaram a 16.436 (3,2% ) conforme Mas o fator determinante para o aumento do número de jovens responsáveis pelo domicílio foi o forte crescimento (tanto absoluto quanto relativo) do número de mulheres jovens nessa posição, que passou de 99.475 (6,5%) em 2000, para 214.922 (14,5%) em 2010. Também indica o aumento do número de jovens que moram sozinhos, de 57.290 (1,9%), em 2000, para 65.827 (2,35%), em 2010. As mulheres tem sido as grandes responsáveis por essas mudanças de posição do jovem no interior da família: elas estão assumindo, com maior intensidade, a responsabilidade pelo domicílio, estão, em maior grau, morando sozinhas, e, ao mesmo tempo, retardando a maternidade.
 

Acesse o estudo na íntegra