Coleta Domiciliar Seletiva

Saiba como funciona o processo de Coleta Domiciliar Seletiva da capital


A coleta domiciliar seletiva está presente em 94 distritos do município de São Paulo, cobrindo cerca de 76% das vias. O serviço de coleta domiciliar conta com aproximadamente 6 mil funcionários e 555 veículos. As duas concessionárias responsáveis pela coleta da cidade são: Loga, encarregada pela prestação dos serviços divisíveis no agrupamento Noroeste (Centro, Norte e Oeste) e Ecourbis, responsável pelo agrupamento Sudeste (Sul e Leste); ambas possuem concessão de 20 anos.

Na prática, as empresas recolhem os resíduos recicláveis nas residências e destinam prioritariamente para as 24 cooperativas de reciclagem habilitadas no Programa Socioambiental de Coleta Seletiva da Prefeitura, que ficam com 100% do lucro das vendas dos materiais, gerando renda para cerca de 930 famílias de cooperados.

Os resíduos remanescentes são encaminhados para às duas Centrais Mecanizadas de Triagem da capital (Carolina Maria de Jesus e Ponte Pequena), que são operadas pela cooperativa habilitada Coopercaps. Ao chegarem nas Centrais, os materiais passam pelo processo de triagem, prensagem, pesagem e depois são comercializados pela cooperativa através de um leilão eletrônico.

De acordo as diretrizes da resolução 109/AMLURB/2017, o dinheiro da venda dos recicláveis deve ser destinado para o Fundo das Centrais de Triagem Mecanizadas - onde 50% do lucro das vendas deve retornar para as cooperativas habilitadas, através do custeio das despesas com manutenção e com a operação de triagem, equipamentos, espaço físico e veículos. O restante do fundo deve ser destinado para investimento em capacitação profissional e auxílio aos cooperados.
Somente em 2019 foram recolhidas cerca de 80,4 mil toneladas de materiais recicláveis, o que representa um aumento de 4,6% em relação ao mesmo período de 2018, quando foram coletadas 76,9 mil toneladas. Demais quantitativos, clique aqui

 

 


 

Consulte os dias e horários da coleta seletiva de acordo com a região:

 

Loga:

Butantã, Casa Verde, Freguesia / Brasilândia, Jaçanã/Tremembé, Lapa, Vila Maria/Vila Guilherme, Mooca, Penha, Pinheiros, Pirituba/Jaraguá, Perus, Sé e Santana/Tucuruvi.

Pesquise aqui sua rua
www.loga.com.br

 

Ecourbis:

Cidade Ademar, Aricanduva/Formosa/Carrão, Campo Limpo, Capela do Socorro, Cidade Tiradentes, Ermelino Matarazzo, Guaianases, Ipiranga, Itaquera, Itaim Paulista, Jabaquara, M'Boi Mirim, São Miguel Paulista, Parelheiros, Santo Amaro, Sapopemba, São Mateus, Parelheiros e Vila Prudente.

Pesquise aqui sua rua
www.ecourbis.com.br

 

Pontos de Entrega Voluntária (PEV’s)

Além do serviço de coleta domiciliar seletiva, o descarte correto dos recicláveis pode ser feito nos Pontos de Entrega Voluntária (PEV’s). Atualmente a cidade conta com 8.353 equipamentos distribuídos pelas vias.

                                                                                                                                                              

 

 

Cooperativas:

A AMLURB possui uma rede de 24 cooperativas habilitadas no Programa Socioambiental de Coleta Seletiva da Prefeitura que oferece investimento social, econômico e ambiental para cerca de 930 cooperados.

As cooperativas habilitadas recebem os materiais recicláveis provenientes do serviço de coleta domiciliar seletiva do município, onde diariamente são coletadas cerca de 280 toneladas de recicláveis, uma média de 7 mil por mês - 100% do material comercializado é revertido em renda para as famílias dos cooperados.

A fim de desenvolver profissionalmente os catadores de materiais recicláveis, a autarquia investiu no Reciclar para Capacitar, um programa de formação básica em materiais recicláveis que profissionalizou 2.120 catadores atuantes no município. Em parceria com a Fundação Instituto de Administração (FIA) foram oferecidos três cursos presenciais simultaneamente em onze Subprefeituras, kit alimentação e auxílio-curso. Esse programa faz parte do convênio com a Subsecretaria Nacional de Economia Solidária (SENAES).

O programa foi uma iniciativa da AMLURB para atingir a meta 28 do Programa de Metas da Prefeitura de São Paulo 2019 -2020, que estabelece a qualificação técnica de 2.100 pessoas na gestão das cooperativas, sistema de monitoramento de sua sustentabilidade e inserção social de integrante.

 

Confira a lista das cooperativas habilitadas na Amlurb.

 

Centrais de Triagem:

A cidade de São Paulo é a única cidade da América do Sul que possui um sistema de triagem mecanizada para separação de resíduos recicláveis. A capital paulista conta com duas modernas centrais mecanizadas de triagem (Carolina Maria de Jesus e Ponte Pequena), que possuem maquinários europeus de primeira linha para o fracionamento de 500 toneladas de materiais processados diariamente (250 toneladas cada). Ambas dispõem de uma capacidade de tratamento anual de aproximadamente 80 mil toneladas.

As duas centrais são administradas pela Cooperativa Coopercaps, que é habilitada no programa Socioambiental da Prefeitura. Após o recebimento dos resíduos recicláveis, os cooperados realizam a triagem, prensagem, pesagem e comercialização destes materiais. De agosto de 2018 a setembro de 2020, as duas centrais reciclaram cerca de 55.5 mil toneladas de recicláveis.

 

 

 

Central Mecanizada de Triagem Ponte Pequena

Em junho de 2014, o município de São Paulo inaugurava a primeira Central Mecanizada da cidade e da América Latina. A Central Mecanizada de Triagem Ponte Pequena funciona integrada à Estação de Transbordo Ponte Pequena, formando um complexo de 19 mil metros quadrados, totalmente dedicado à gestão de resíduos na cidade. A unidade é gerenciada pela concessionária Loga, e possui capacidade para processar 250 toneladas por dia, sendo 15 toneladas por hora. 

Endereço: Avenida do Estado, nº 300 – São Paulo

Clique aqui para conferir o processo de triagem da central.

 


 

 

Central Carolina Maria de Jesus

A segunda central da capital, inaugurada em 16 de julho de 2014, recebeu o nome de Central Mecanizada de Triagem Carolina Maria de Jesus, em homenagem a renomada escritora mineira. A unidade é administrada pela empresa Ecourbis Ambiental e também possui capacidade para processar 250 toneladas de materiais por dia.

Endereço: Avenida Miguel Yunes, nº 345, Vila Sabará – São Paulo

Clique aqui para conferir o processo de triagem da central.


 

 

Educação Ambiental
 


O Recicla Sampa, movimento lançado ano passado que visa ampliar a coleta seletiva na capital, possui uma plataforma online de amplo conteúdo com vídeos, webdocs, tutoriais, jogos, materiais para impressão, reportagens, notícias da cidade, do Brasil, do mundo e entrevistas para orientar e informar os cidadãos que é preciso aumentar a quantidade de materiais reaproveitáveis e diminuir o volume dos resíduos enviados aos aterros sanitários da capital paulista. Como resultado, em 2019, mais de 4,7 milhões de pessoas foram impactadas pelos conteúdos.

No site também é possível consultar os dias e horários que a coleta domiciliar passa nas vias, e os pontos de descarte para diversos tipos de resíduos, como eletrônicos, óleo de cozinha, vidro, entre outros. A plataforma ainda disponibiliza para baixar materiais gráficos que ajudam na hora de separar o lixo em dois: comum e reciclável.

A ação é resultado da parceria entre a Loga e a EcoUrbis, concessionárias de limpeza urbana de São Paulo, e conta com o apoio institucional da Autoridade Municipal de Limpeza Urbana (Amlurb), responsável pela regulação dos contratos de limpeza. O Movimento atende a meta 24, do Plano de Metas da Prefeitura de São Paulo para 2020, que determina a redução, em quatro anos, de 500 mil toneladas de resíduos enviados aos aterros municipais.

Site: www.reciclasampa.com.br
 

 

Nova identidade visual dos uniformes e caminhões de coleta

Os caminhões e uniformes do serviço de coleta domiciliar, comum e reciclável, receberam novas cores e layouts, a fim de harmonizar com a nova identidade visual dos serviços de varrição e padronizar as cores entre os consórcios de coleta.

Os uniformes de coleta seletiva das duas empresas serão de cor verde, e da coleta comum, cinza. Os uniformes do modelo feminino agora possuem um lenço no pescoço e foi acrescentado mais faixas retrorrefletivas para aumentar a visibilidade e segurança dos coletores durante o período noturno.

 

Portanto, a cor laranja passa a representar os serviços de limpeza urbana; a cinza, a coleta domiciliar comum; e o verde, a coleta de recicláveis. Essa mudança é de extrema importância para facilitar o entendimento dos munícipes em relação aos diversos serviços prestados pela Prefeitura, como por exemplo, que existe um caminhão diferente para recolher somente os resíduos recicláveis.


Central de atendimento

Em casos de falha no atendimento do serviço da coleta domiciliar comum ou reciclável e/ou para denúncias de munícipes que depositam os sacos de lixo nas vias antes do horário ligue para central de atendimento 156.