Grupo de Educação e Prevenção às Drogas - GEPAD, comemora 26 anos na Guarda Civil Metropolitana

Programa de Ação Comunitária atua em instituições de ensino, para promover ações educativas contra o uso de substâncias químicas nocivas à saúde

O Grupo de Educação e Prevenção às Drogas - GEPAD, da Guarda Civil Metropolitana de São Paulo, nasceu do sonho de alguns GCMs, que sempre acreditaram que a educação é a melhor maneira de abertura de um diálogo com os jovens, através de ações educativas contra o uso de drogas.

 A idealização do projeto surgiu quando o Inspetor Superintendente Euclides Conradim, que em meados de 1993 exercia a função de Chefe da Inspetoria Regional de Guaianases, em conversa com um integrante de Guaianases, o GCM Sávio Nepomuceno, que era adventista e dizia que na sua igreja realizavam prevenção ao uso de álcool e tabaco, tiveram a ideia de criar um grupo voluntário da GCM-SP, que fizesse o trabalho de prevenção ao uso destas e todas as demais drogas.

“Percebi que o policiamento fixo nas escolas era importante, mas algo mais deveria ser feito, então a ideia foi ajudar as escolas a desenvolverem projetos de prevenção às drogas junto aos alunos e familiares. Fiz uma reunião com todo efetivo, anunciei a ideia e selecionamos os voluntários. Começamos a realizar cursos voluntariamente de dia, às vezes à noite e até de finais de semana, sem prejuízo do serviço. Denominamos o projeto aplicado nas escolas de Projeto Luz, porque representa esperança, vida, resposta. Sempre há uma luz no final de um túnel, e era isso que esta comunidade necessitava”, relata o IS Conradim.

 A Prefeitura de São Paulo, por meio da Guarda Civil Metropolitana, instituiu o Grupo de Educação e Prevenção às Drogas em 26 de junho de 1994, com a finalidade de prevenir o uso primário e secundário de drogas, pelo público infantojuvenil em escolas, por meio de palestras socioeducacionais com alunos, pais e docentes.

Segundo informações do IS Conradim, os principais impactos do Programa GEPAD na escolas e demais segmentos da sociedade são os seguintes: - quebra do paradigma, pois a sociedade em geral vê o profissional de segurança como truculento e como quem não tem conhecimento intelectual, formação acadêmica ou especializada, e assim mudamos completamente essa visão, através do vínculo com o público alvo; - redução da violência e criminalidade, pois se afastarmos os jovens das drogas, afastamos eles do ingresso no mundo do crime; - melhoria das relações com a comunidade, profissionais da educação e alunos; - aumento da rede de proteção à criança e ao adolescente, pois formamos multiplicadores; - fomento de políticas públicas de educação e prevenção às drogas, pois a sociedade muitas vezes necessita de uma liderança, e os integrantes do GEPAD fazem este papel - aplicação da filosofia de Polícia Comunitária estreitando os laços da GCM-SP com  a sociedade; - orientação e encaminhamento de usuários de álcool e outras drogas;  - referência interna na GCM-SP, para orientar e encaminhar guardas e familiares com problemas de álcool e outras drogas; - redução da violência e criminalidade, já que a ação socioeducativa e comunitária é uma forma moderna, preventiva e  comunitária de se fazer Segurança Pública e Segurança Urbana.

 A formação encerra-se na instituição de ensino, com a implantação de projetos de prevenção às drogas. As equipes permanecem por um período determinado para que a instituição coloque o projeto em prática, com base nas informações passadas aos grupos envolvidos nas fases anteriores.

 Atualmente existem 3 núcleos do GEPAD distribuídos pela capital, e seus respectivos coordenadores são: GEPAD Leste – Subinspetor Donizete; GEPAD Oeste – Subinspetor Nilson; GEPAD Sul – Subinspetora Mac Arthur. O GEPAD faz parte do Programa de Ações Comunitárias, da Inspetoria de Defesa da Mulher e Ações Sociais – IDMAS.

A Comandante Regional da Unidade, Inspetora de Divisão Maria Cecília Silva, ressalta a importância do GEPAD: “é com prazer que hoje eu coordeno o Programa de Educação e Prevenção às Drogas - GEPAD, que integra a Inspetoria de Defesa da Mulher e Ações Sociais da GCM. Este programa que eu vi nascer do clamor da sociedade que ansiava por medidas que coibissem o uso de drogas entre os jovens nas escolas. Naquela época trabalhava na Ronda Escolar da Inspetoria Regional de Guaianases, e observei a mudança de atitude dos adolescentes que participaram das palestras nas escolas.

 O GEPAD é uma política pública do Município de São Paulo, sendo reconhecido pela comunidade escolar, pais e responsáveis, como órgão transformador de atitudes e mudanças de hábitos, através do conhecimento dos malefícios que as drogas podem causar. Parabenizo a todos que participaram, desde sua formação inicial, até os dias de hoje, pelo brilhante trabalho desenvolvido em prol de uma sociedade livre de drogas”.

 

Em 15 de fevereiro de 2018, o GEPAD foi reconhecido e valorizado, tornando-se um programa municipal por meio da Lei nº 16.867.