Influenza A H3 Sazonal

Série histórica de 2007 a 2021 - DVE - COVISA

Série histórica de casos e óbitos de  Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) confirmados para Influenza A (H3) Sazonal, coeficientes de incidência e mortalidade por 100.000 habitantes, residentes no Município de São Paulo, 2007 a 2021*.
Ano de Início de sintomas Número de casos Coeficiente de incidência& Número de óbitos Coeficiente de mortalidade&
2007 . . . .
2008 . . . .
2009 . . . .
2010 31 0,28 1 0,01
2011 23 0,20 3 0,03
2012 68 0,60 3 0,03
2013 32 0,28 0 0,00
2014 117 1,02 8 0,07
2015 69 0,60 5 0,04
2016 17 0,15 4 0,03
2017 167 1,43 21 0,18
2018 104 0,88 10 0,09
2019 94 0,80 6 0,05
2020* 4 0,03 0 0,00
2021* 0 0,00 0 0,00
Fonte: SIVEP Gripe /Fundação SEADE
* Dados provisórios de 05/11/2021, sujeitos a alteração

Notas: No ano pandêmico 2009, notificaram-se todos os casos de Síndrome Gripal e Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). A partir do ano de 2010, só são notificados os casos de SRAG internados.
           Os casos de SRAG são selecionados pela definição de caso: febre, mesmo que referida, acompanhada de tosse ou dor de garganta e que apresente dispneia ou saturação de O2 < 95%.
           A partir da Declaração de Pandemia pelo SARS CoV2 a definição de caso passou a contabilizar apenas casos hospitalizados como critério de seleção. Os óbitos são contabilizados independentes do critério de internação.

Nota: & Coeficiente de incidência e de Mortalidade por 100.000 habitantes
         

 

Acesse estes dados em formato aberto:

          

 

Para saber mais sobre Influenza, clique aqui.