Núcleo de Doenças Transmitidas por Vetores e outras Zoonoses (NDTVZ)

NDTVZ

O Núcleo de Doenças Transmitidas por Vetores e outras Zoonoses é responsável pela vigilância epidemiológica de doenças, cuja ocorrência envolve animais. Estas atividades são realizadas pela equipe do Núcleo , em conjunto com as equipes das Unidades de Vigilância em Saúde do território, das Diretorias Regionais de Vigilância e da Divisão de Vigilância de Zoonoses, seguindo as diretrizes do Ministério da Saúde e do CVE/SES-SP.

Estas doenças representam aproximadamente 40 % da Lista de Doenças de Notificação Compulsória.
O NDTVZ esta organizado em 3 áreas técnicas : 1 - Arboviroses (Dengue, Chikungunya, Doença Aguda pelo Zika vírus e casos de transmissão congênita, Febre Amarela, Febre do Nilo),2 - Raiva Humana e Atendimento Antirrábico Humano (incluindo gerenciamento dos casos com indicação de sorovacinação) e 3 - Outras zoonoses e doenças transmitidas por vetores (Acidentes por Animais Peçonhentos, Leptospirose, Febre Maculosa, Esquistossomose, Malária, Esporotricose, Leishmaniose Tegumentar e Visceral, Hantavirose, Doença de Chagas Aguda, Tétano acidental, Toxoplasmose congênita e em gestantes, além de zoonoses emergentes e reemergentes,).

 

Tem como atribuiçoes:


• Conhecer o perfil epidemiológico das doenças e agravos transmitidos por vetores e zoonoses (incidência, autoctonia;distribuição dos casos segundo pessoa, lugar e tempo, detecção precoce de surtos e de epidemias; situação e área de risco e identificação de populações vulneráveis, distribuição dos vetores e reservatórios);

• Identificar e investigar os casos e óbitos de agravos transmitidos por vetores e zoonoses;

• Identificar e investigar novos agravos transmitidos por vetores e zoonoses;

• Investigar o local provável de infecção;

• Realizar a investigação laboratorial;

• Realizar o georreferenciamento de casos;

• Analisar os bancos de dados e elaborar relatórios para gestão e planejamento;

• Investigar rumores e suspeita de novas doenças e áreas de transmissão;

• Elaborar, atualizar e divulgar protocolos e documentos técnicos;

• Participar da elaboração de planos de contingência;

• Capacitar os profissionais de vigilância com base em documentos técnicos e protocolos;

• Capacitar os profissionais da saúde com ênfase no diagnóstico e intervenção em tempo oportuno;

• Apoiar as CRS/UVIS na formação e capacitação de técnicos dos serviços;formar e capacitar técnicos de CRS/UVIS e de serviços quando necessário;

• Articular investigação em conjunto com UVIS, CCZ, STS, CRS, serviços de saúde;

• Estabelecer interface com a Secretarias de Saúde do Estado;

• Subsidiar o planejamento junto à coordenação da DVE;

• Monitorar os indicadores pactuados e o desempenho das STS/UVIS e CRS;