Projetos selecionados no 3º Edital de Agentes Formadores de Governo Aberto

26 Agentes receberão bolsas para apresentar oficinas gratuitas à população nas temáticas de governo aberto

Conheça os projetos selecionados na 3º Edital do Programa Agentes Formadores de Governo Aberto!

O calendário das oficinas está disponível aqui (atualizado diariamente).

Acesse mais informações neste link.

 

1 - Transparência e Dados Abertos

PROJETO RESUMO NOME DA(O) AGENTE
A São Paulo é nossa: desvendando o planejamento e orçamento públicos municipais
 
Pretende-se, ao longo do ciclo de encontros formativos, apresentar os instrumentos orçamentários de São Paulo e familiarizar a população com sua linguagem e possibilidades de participação e controle social sobre o poder público, inclusive com a elaboração de ferramentas para tal. Passar por conteúdos com Plano de Metas, Lei Orçamentária Anual e construção de um mapa orçamentário da região.
 
Lauana Simplício Pereira
 
Fuçando e aprendendo: investigando o orçamento público na cidade de São
 
O projeto pretende apresentar fundamentos básicos e introdutórios sobre a importância e o funcionamento do orçamento público na cidade de São Paulo, contribuindo para o empoderamento de servidores, conselheiros municipais, lideranças locais e estudantes. Entender como funciona o Plano de Metas, como realizar buscas pelo Portal da Transparência e utilizar as informações de acordo com as necessidades.
 
Guilherme Nunes Pereira
 
Informações da saúde nas mãos dos cidadãos
 
A oficina fará a apresentação e a orientação do uso de dois sistemas de grande importância na área da saúde: o primeiro é o CNES–DATASUS (Cadastro Nacional de estabelecimento de saúde do departamento de informática do SUS), que disponibiliza abertamente informações dos estabelecimentos de saúde. O segundo será o “aqui tem remédio”, sistema produzido pela Prefeitura de São Paulo, que apresenta de forma atualizada a disponibilidade de remédios mais próximo da residência dos usuários do SUS.
 
Josiane dos Santos Oliveira
 
Instrumentalização para o tratamento e a análise de dados espaciais abertos
 
A oficina  trabalhará com mapas temáticos, a partir de dados já existentes em temas como meio ambiente, saúde, moradia, educação e acesso à transporte e infraestrutura urbana, instrumentaliza o cidadão para fiscalizar e contribuir com políticas públicas e construir coletivamente um Governo Aberto promovendo o conhecimento técnico em processamento de dados espaciais e de dados em planilha, utilizando programas como o QGis (QuantumGis) e o Apache OpenOffice Calc - ambos softwares livres nos formatos .shp, .csv e .xls) disponíveis no portal de Dados Abertos da prefeitura, do Geosampa ou solicitados no Portal da Transparência da Prefeitura de São Paulo.
 
Julio Herminio Bressan Martins
 
O que a gente quer saber da cidade?
 
A proposta é explorar o direito ao acesso à informação e, mais concretamente, a Lei de Acesso à Informação (Lei 12.527, doravante LAI) a partir da perspectiva do cidadão paulistano. Incitar a curiosidade e o interesse na busca por informação a partir de suas próprias demandas relacionadas à cidade. Abordará desde a parte teórica como “O que é governo aberto?”, “Para que serve essas informações?” até a parte prática de como formalizar um pedido de informação.
 
Henrique Ribeiro Góes
 
Transparência e proteção de dados pessoais na administração pública
 
Capacitação de servidores municipais nos temas de proteção de dados pessoais e transparência, abordando seus pontos centrais, conflitos e possíveis abordagens para solucioná-los. Através de discussões sobre legislações e casos do cotidiano da administração pública.
 
Camille Moura
 
Dados Abertos para Tomada de Decisões
 
A oficina ensinará como fazer a manipulação, organização e compartilhamento de dados abertos, através da abordagem da LAI (Lei de Acesso a Informação) e de alguns softwares (MS Excel e LibreOffice Calc). Irá desde as explicações básicas sobre Governo Aberto até a construção de banco de dados, gráficos e formas de compartilhamento, estimulando a aproximação da população com a gestão pública, o combate à corrupção e o acesso às informações úteis.
 
Allan Souza
 

 

2 - Gestão Participativa e Mapeamento Colaborativo


PROJETO
RESUMO NOME DA(O) AGENTE
Mapeando pontos viciados de descarte de lixo para extinção
 
Esse projeto visa mapear e monitorar os pontos viciados de descarte de lixo através de Georreferenciamento, inicialmente usando como projeto piloto a prefeitura da Cidade Ademar e através das oficinas envolvendo Educação Ambiental, discutir descarte correto dos resíduos sólidos, com o objetivo de diminuir o esses pontos no território.
 
Delma Rigo
 
Caixa de Ferramentas de Governo Aberto para Conselhos
 
As oficinas mesclam conteúdo e atividades práticas sobre Governo Aberto. Irá orientar uma construção coletiva sobre o tema (o que cada um entende sobre esse eixo), as ferramentas disponíveis hoje para a garantia desses direitos e um exercício prático de aplicação desses instrumentos. Neste último ponto, a proposta é que o grupo possa identificar possíveis aplicações dessas ferramentas na própria dinâmica do Conselho, construindo uma proposta para um Conselho Aberto.
 
Laila Bellix
 
Conselho do Idoso ativamente forte
 
A proposta busca fortalecer o Grande Conselho Municipal do Idoso da Cidade de São Paulo - GCMI sobre o seu papel na sociedade. Por meio de métodos e estratégias de educação acessível à compreensão e engajamento do público alvo, repleto de atividades lúdicas e sensoriais, digitais e não-digitais, objetiva-se promover melhor entendimento e usabilidade desses recursos.
 
Marcelo Lopes Nunes
 
O desenvolvimento do seu bairro e o Plano Diretor
 
O projeto pretende estimular e orientar o púbico a como interpretar o Plano Diretor, e assim, empoderá-las em relação à gestão participativa em seus respectivos bairros. Espera-se que os participantes da oficina entendam uma parte da gestão pública através do estudo do Plano Diretor e que tenham conhecimentos para questionar o desenvolvimento da cidade, atuando na gestão participativa.
 
Laísa Dias Brito Alves
 
Oficina de inclusão digital através do geoprocessamento: A utilização de dados abertos e software livre aplicados no planejamento e projeto territorial.
 
O projeto consiste na realização de oficinas para jovens estudantes do ensino médio, superior ou técnico em instituições públicas que os capacite teórica e praticamente ao desenvolvimento de mapas de interesse social a partir da sistematização de dados abertos, utilizando como ferramenta o software livre de geoprocessamento QGIS. Para além do aprendizado, a capacitação dos participantes das oficinas tem como atividade fim o desenvolvimento de um projeto próprio de interferência no Município de São Paulo
 
Isabella Berloffa
 
NoticiMAPA – Território de Direitos
 

O projeto pretende investigar a efetivação de políticas públicas na cidade de São Paulo e, especificamente no território onde ela deve ocorrer, a partir da investigação de dados públicos utilizando como base o Geosampa (base oficial de dados do Município de São Paulo) e outros mapas elaborados pela Prefeitura de São Paulo e seus órgãos. E a partir da análise desses dados, propor uma discussão sobre as demandas do território com criação de novos conteúdos, como mapas e reportagens.

Thiago Borges
 

 Zona Sul Organizada – Movimentos Populares Pautando

As oficinas vão resgatar o histórico de luta sobre o orçamento participativo, desenvolver uma linha do tempo cartográfica dos movimentos populares e estimular a participação, desenvolvendo um grande grupo de discussão permanente para a consolidação da pauta prioritária: descentralização do orçamento público municipal para áreas de alta vulnerabilidade social.
 

Fernando Ferrari
 

 

3 - Inovação, Tecnologia Aberta e Inclusão Digital

PROJETO RESUMO NOME DA(O) AGENTE
Como fazer um jogo usando arduino elou scratch - STEAM
 
A proposta da oficina é construir um jogo usando o Arduino (plataforma de prototipagem eletrônica de hardware livre) e alguns itens de eletrônica de baixo custo e fácil manuseio e/ou usando a programação Scratch (linguagem de programação), aplicando princípios da ciência, tecnologia, engenharia eletrônica, arte e matemática. A oficina permitirá atuar de forma prática na construção de algumas das habilidades essenciais ao cidadão digital do século XXI usando a metodologia STEAM (acrônimo em inglês para as disciplinas Science, Technology, Engineering, Arts e Mathematics).
 
Samanta Cristina Lopes
 
Controle Popular do Orçamento Público
 
O projeto se propõe a criar colaborativamente uma ferramenta e uma plataforma de acompanhamento do orçamento municipal da cidade de São Paulo, desenvolvidas através de hackatonas (maratona de programação na qual hackers se reúnem a fim de explorar dados abertos). No intuito de suscitar mudanças nas estruturas do Sistema Orçamentário Financeiro da Prefeitura da Cidade de São Paulo, este projeto visa sistematizar propostas e alternativas que viabilizem a população maior detalhamento e controle sobre o orçamento municipal.
 
Pablo Paternostro
 
Governo Aberto: superando desafios na transparência pública por meio da inovação
 
Oficinas direcionadas a disseminar a cultura de governo aberto entre servidores públicos municipais, focando principalmente nos eixos de inovação e transparência. Segue metodologia que busca valorizar os conhecimentos dos participantes, refletir sobre a conjuntura da Prefeitura e órgãos municipais, aliando atividades interativas com elementos teóricos por meio da abordagem de aprendizagem por projetos (Project Based Learning -PBL) que buscam superar os desafios na transparência e no acesso à informação por meio da inovação social.
 
Vanessa Menegueti
 
Jovens Hackers
 
Oficinas (workshops) de programação básica e cultura maker (faça você mesmo) para crianças e adolescentes. De maneira lúdica, durante as atividades eles terão acesso a informações suficientes para a criação de um jogo de computador e utilizarão objetos inusitados, como bananas, massinha de modelar, papelão, dentre outros, sem precisar de internet. As oficinas tem também o objetivo de capacitar jovens em situação de vulnerabilidade social para se tornarem multiplicadores e contribuir para a geração de renda de suas famílias.
 
Arthur Preto
 
Redes Livres: construindo provedores comunitários de internet com redes mesh
 
Tem como objetivo introduzir os participantes ao movimento de redes livres e autônomas através dos conceitos básicos de internet, redes computacionais em malha (Rede Mesh) e criação de provedores comunitários. Estimulando a criação de um meio de comunicação em que as pessoas estejam conectadas e possam trocar diversos conteúdos e ideias de forma mais livre e ampla, através de sites, wikis e outros serviços que ficam hospedados em seus próprios servidores.
 
Thiago Paixão
 


 

4 - Comunicação Social, Cultura Digital, Mídias Alternativas e Colaborativas
 

PROJETO
 
RESUMO 
 
NOME DA(O) AGENTE
 
15 anos da lei 10.639/03 - História e Cultura Africana e Afrobrasileira na educação
 
Esta atividade tem como foco promover uma reflexão crítica em torno dos 15 anos da lei federal 10.639/03 - que instituiu a obrigatoriedade da aplicação de conteúdos relativos às Histórias e às Culturas Africana e Afrobrasileira nas escolas brasileiras – a fim de compor um panorama acerca de como esta política pública vem sendo aplicada no país e, mais especificamente, na cidade de São Paulo.
 
Paola Prandini
 
70 anos da Declaração Universal de Direitos Humanos em Cordel
 
Oficinas de confecção de cordel, a partir de um exercício de leitura crítica de conteúdos midiáticos apresentados e comparados aos artigos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, promovendo o conhecimento sobre esses direitos garantidos, como forma de combater a suas violações na atualidade. Assim favorecer a comunicação popular, a autonomia, a criatividade e a difusão da livre expressão dos participantes.
 
Jana Gallo
 
AMPLIFICADOR – Criação de mídias para amplicação dos conteúdos do governo
 
O projeto visa a escolha e a construção da primeira edição de uma mídia (podcast/rede social/jornal/fanzine etc) utilizando as informações retiradas de canais públicos que disponibilizem dados de Governo Aberto de diversas áreas (mapeamentos, orçamentos, gastos entre outros). Favorecendo assim o protagonismo da população, ao utilizar as informações já disponíveis de forma mais produtiva.
 
Barbara Heliodora
 
Conhecendo culturas digitais e compartilhando saberes de forma colaborativa
 
Proporcionar aos participantes conhecimento da Cultura Digital, com textos informativos, cases, compartilhando informações e  discussões sobre o tema, com atividades dinâmicas, colaborativas, despertando o interesse na interação uns com os outros, estimulando os participantes as práticas dos exercícios das atividades utilizando algumas ferramentas digitais e motivando-os a criar, desenvolver, publicar e compartilhar informações e trabalho colaborativo ( em grupo) dentro do tema proposto.
 
Neuza Marques de Almeida
 
Debate aberto-Governo comparado
 
Produção de conteúdo colaborativo com base em experiências de governo aberto, capacitando o público através de oficinas no uso de ferramentas de produção e difusão de conteúdo, com podcasts, debates ao vivo pelas redes sociais e produção de infográficos. Facilitando e expandindo o debate sobre pautas importantes no território.
 
Caio Henrique
 
Governo aberto combatendo as fake news
 
A oficina busca desenvolver um senso crítico sobre as notícias falsas (fake news) presentes nas nossas comunidades, apresentando caminhos para desmistifica-las, ou seja, maneiras de encontrar dados reais a nível municipal, através da transparência e integridade presentes nas práticas de Governo Aberto. Estimulando assim, a comunicação livre, através da descentralização da informação.
 
Roger de Lima
 
Percurso de jornalismo e governo aberto
 
Formações sobre os diferentes instrumentos e ferramentas de jornalismo que podem contribuir para a produção de conteúdo relativo ao conceito de Governo Aberto para jovens comunicadores/as, a partir de atividades pedagógicas e produção de conteúdos multimídia sobre o tema. Serão apresentadas técnicas e ferramentas para qualificar, na prática e exercício de reportagens, o trabalho jornalístico dos estudantes.
 
Paulo Motoryn
 

Confira aqui todos os projetos selecionados (em pdf).

Mais informações sobre o Programa Agentes de Governo Aberto aqui.