Tai Chi

Atividade permanente - DEA/UMAPAZ

topo

Encerramento 13 de dezembro e retorno 20 de janeiro.


 
A prática visa articular o Tai Chi Pai Lin como prática milenar de união e equilíbrio do homem com a Natureza, com os temas da Educação Ambiental e os valores da Cultura de Paz. É uma atividade para integração do Céu, da Terra e do Ser Humano, que propicia saúde e paz.

Instrutora:

  • Maria Cristina Leite

Coordenação:

  • Suely Feldman Bassi

Público: Aberto

Segundas - feiras
Horário: às 10h30

Local: Espaço da Serraria - Av. República do Líbano, s/nº. Acesso pelo portão 7

Não é necessário realizar inscrição. Atividade gratuita.

 

Tema: As Estações da Paz

 

“Nenhum líder vai nos dar paz, nenhum governo, nenhum exército, nenhum país. O que nos vai dar paz é a transformação interior que nos conduzirá à ação exterior. A transformação interior não é isolamento, desistência da ação exterior. Ao contrário, só pode haver a ação correta quando há o pensamento correto, e não existe pensamento correto quando não existe autoconhecimento. Sem conhecer a si mesmo, não existe paz”.
Krishnamurti
No decorrer de 2018 trabalhamos o tema das ESTAÇÕES DO ANO compreendendo que o que ocorre na natureza externa repercute em nosso mundo interno, mobilizando pensamentos, sentimentos e ações. Fizemos tantas reflexões interessantes nos grupos de práticas corporais coordenados por Suely e por mim que escolhemos seguir com o tema das estações, mas ampliando sua relação com o tema da PAZ.
Falar e vivenciar a PAZ é um desafio cotidiano da atualidade, principalmente vivendo nos espaços urbanos. Paz interior, paz nas relações pessoais, paz na relação com os outros seres, paz com o meio que nos cerca, paz num almoço de família, paz ao escutar opiniões que divergem da nossa, paz no trânsito, paz num show de música, paz num debate, paz ao assistir TV, paz ao escutar uma entrevista de rádio, paz na política, paz com a chuva, paz com o calor, paz em tudo ao nosso redor…
Trabalhar na construção da Cultura de Paz tem sido um dos pilares da UMAPAZ que entende que a atuação pela sustentabilidade está diretamente vinculada à atuação pautada nos valores do respeito, inclusão, diversidade, ética, solidariedade, amor, convivência harmoniosa dentre outros.
Lia Diskin da Associação Palas Athena, uma das parcerias da UMAPAZ, diz que “a Cultura de Paz se insere em um marco de respeito aos direitos humanos e constitui terreno fértil para que se possam assegurar os valores fundamentais da vida democrática, como a igualdade e a justiça social. Essa evolução exige a participação de cada um de nós para que seja possível dar aos jovens e às gerações futuras, valores que os ajudem a forjar um mundo mais digno e harmonioso, um mundo de igualdade, solidariedade, liberdade e prosperidade”.
O mestre zen e vietnamita Thich Nhât Hanh conta na introdução de seu livro Para viver em paz que os refugiados sobreviventes disseram que “quando um barco é surpreendido por uma tempestade, é mais provável que afunde, se os passageiros entrarem em pânico. Mas se uma só pessoa permanecer calma, lúcida e consciente, ela sozinha poderá ajudar os outros, e todos poderão sobreviver ao perigo.” Compara a terra com um pequeno barco em meio à perigosa tempestade e nos convida a sermos o melhor que pudermos ser.
Na UMAPAZ as práticas corporais da Dança Circular, Tai Chi Pai Lin e Meditação têm se apresentado como ferramentas muito interessantes para cultivarmos a paz tanto interna quanto com nosso entorno já que promovem o autoconhecimento e a transformação pessoal inspiradas na natureza e nas diversas culturas do planeta.
Passos de paz, gestos assertivos, ritmos diferentes vivenciados em grupo que a cada instante nos convidam à presença, à atenção plena, à observação e ao reconhecimento de si e do que está ao nosso redor.
Seja na prática das respirações, posturas e dobras do Tai Chi, no exercício das Danças Circulares com suas coreografias que parecem mântricas ou no silêncio da Meditação, que possamos caminhar a PAZ em 2019 ampliando as redes de convivência pacífica e produzindo bons frutos na educação para a sustentabilidade.


 

Primavera - Madeira

 
Na Medicina Tradicional Chinesa (MTC) cada estação tem influência sobre nosso organismo, em nosso metabolismo e também nas nossas emoções, atuando na nossa condição energética e nutrindo nosso corpo com as experiências que lhe são necessárias.
Segundo a MTC, a Primavera é o momento onde a energia Yin dá lugar à energia Yang. Nesse momento de expansão e crescimento, a energia ascendente faz com que a semente se mova ao céu, fazendo o mundo desabrochar, tornando tudo mais verde e florido.
A Primavera traz a força da energia criativa, de crescimento, expansão e recomeço, após o período de recolhimento e quietude do inverno. Após esta introspecção a natureza mostra seus brotos que despertam do solo. Os ventos espalham as sementes dando origem a novas vidas. A semente da terra como broto procura a luz e espaço, tornar-se muda e depois árvore. A energia se desenvolve de dentro para fora.
A energia da Água (da estação anterior) transforma-se e nutre Madeira que rege a Primavera. Tempo de criação, abrir caminho por um lugar ao sol. No nosso corpo a energia da Madeira permite crescimento durante a vida. Somos como árvores, com raízes - nossos pés; tronco e galhos e ramos - nossos membros. Para que transformações aconteçam é necessário flexibilidade para ter a postura ereta e nos mover com firmeza, sem curvar com facilidade.
A representação no nosso corpo é o Fígado e Vesícula Biliar. O Fígado é a maior glândula do corpo e responsável por diversos processos do nosso metabolismo, pelo fluir de substâncias pelo corpo e regularidade das atividades corporais; comanda o movimento da energia - Chi - e seu fluxo. Órgão muito importante na digestão por diversos processos que participa e também por harmonizar as emoções. A Vesícula Biliar atua em parceria com o fígado participando também de diversos processos metabólicos. Esses órgãos têm relação com estruturas como músculos, tendões e ligamentos, assim como com os olhos.
Neste período de começo da expansão do Yang é importante utilizar positivamente essa força e impulso de agir, para estruturar nossos projetos, desenvolvendo e fazendo desabrochar as sementes armazenadas, é tempo de renovação.
Na alimentação, após a ingestão mais calórica do inverno, este é o momento de fornecer alimentos mais leves, evitando misturas mais difíceis de metabolizar como alimentos gordurosos. Boas opções são hortaliças cruas, verdes, brotos, frutas e também cereais integrais, raízes e tubérculos.
Como característica climática presente o vento e mudanças repentinas de temperatura, buscar proteger-se.
Aproveitar os passeios nos campos, caminhadas, facilitar a mobilidade dos membros e assimilar a energia deste período. Ambientes calmos que possibilitem reflexão, ligação com nossa essência neste tempo de criação. Atividades como a Meditação favorecem essa conexão e atividades de movimento também são propícias, como caminhada, danças entre outras.
Neste momento de despertar, de expansão e crescimento, assim como a Natureza cria novas folhas e flores, nós também podemos colocar para fora nosso lado criativo e reinventar a vida!

 

 

 

 

 

Referência bibliográfica:
 Hirsch, S. Manual do herói

 

Como chegar na UMAPAZ

 

 Confira nossas redes sociais!