Guia Sustentabilidade para Instalações Domiciliares - Água e Energia

 

Nestes dias ao abrirmos os jornais, revistas ou até mesmo assistindo televisão, nos deparamos com um grande número de peças publicitárias oferecendo os novos empreendimentos imobiliários da cidade. 

O apelo ecológico, hoje, indispensável aos empreendimentos residenciais, a começar pelos nomes dos edifícios que invariavelmente adotam palavras como: verde, jardim, vila, também acompanhados de nomes de flores, árvores ou pássaros, tudo isso em idiomas distintos, sem esquecer da sempre presente frase: “Muito verde e qualidade de vida para sua família”.

Estes edifícios possuem novas tecnologias que visam propiciar ganhos econômicos e ambientais em sua operação, num contexto maior chamado de “Construção Sustentável” ou também chamado de “Construção Verde”. 

Os prédios ambientalmente corretos fazem parte de uma tendência mundial que chega aos nossos dias com algum atraso, posto que há muito, a construção civil é o destino de mais da metade dos recursos naturais do planeta. 

A sustentabilidade nas edificações é um processo que se inicia, não só no Brasil como no mundo todo, envolve muitos conceitos como o emprego de fontes de energias renováveis
como o aproveitamento da luz solar, a eficiência energética, a escolha dos materiais na preservação de recursos naturais, a redução de emissões dos gases gerados, principalmente os causadores de efeito estufa, a redução na geração de resíduos, o uso racional da água, o aproveitamento da água de chuva e outros. Neste cenário, o que nós, meros usuários do ambiente já construído, em grande parte, condôminos de edificações concebidas em outras épocas onde a preocupação se restringia a padrões de conforto e estética. O que fazemos com nossos imóveis que não se enquadram aos atuais padrões de sustentabilidade?
Visando oferecer orientação sobre estas questões, este guia que você tem em mãos, objetiva ampliar o conhecimento de administradores de condomínios e de consumidores que buscam informações práticas e de fácil compreensão que os ajudem a adequar suas edificações aos novos padrões de consumo e operação, reduzindo seus impactos no meio ambiente e de forma a não depreciar seu valor no mercado imobiliário. 

Acesse o guia (arquivo pdf)