49 - Produção e disponibilidade de alimentos no Município de São Paulo

Em 2019, ano anterior à pandemia, eram raras as localidades na cidade de São Paulo em que, no raio de um quilômetro, não havia nenhum estabelecimento de comércio de alimentos in natura (feiras livres, sacolões e mercados municipais, açougues, peixarias, mercados, supermercados e outros).

Este Informe Urbano apresenta um estudo sobre a distribuição dos estabelecimentos de produção e disponibilidade de alimentos pelo território do Município de São Paulo, com dados do Censo Agropecuário 2017 (IBGE), Pesquisa Agrícola Municipal 2019 (IBGE), Pesquisa de Pecuária Municipal 2019 (IBGE), Relação Anual de Informações Sociais 2019 (Ministério da Economia), entre outras fontes. Produção e disponibilidade de alimentos são duas das dimensões da “segurança alimentar e nutricional”, definida como a “realização do direito de todos ao acesso regular e permanente a alimentos de qualidade, em quantidade suficiente…” (Lei Federal n. 11.346/2006).

Em relação à produção, os dados apontam para a existência de uma importante indústria de alimentos no Município e, ao contrário, para uma atividade agropecuária praticamente irrelevante. Por outro lado, o expressivo comércio atacadista garante o abastecimento de alimentos da cidade e até de outros municípios.

Especialmente para a população pobre, a maior ou menor disponibilidade local de alimentos saudáveis pode ser um fator relevante para as escolhas alimentares. Os estabelecimentos varejistas de alimentos in natura (feiras livres, hortifrútis, açougues, sacolões, mercados municipais) e os estabelecimentos mistos (mercados e supermercados) estão distribuídos por praticamente todo o território do Município, sendo as raras as localidades em que, num raio de um quilômetro, não existe nenhum desses estabelecimentos.

Conclui-se, portanto, que não se pode afirmar a existência dos chamados “desertos alimentares” no território municipal, embora seja importante salientar que fatores decisivos para a segurança alimentar e nutricional da população, inclusive o nível de renda, não foram objeto deste trabalho.

Acesse o estudo na íntegra.