46 - Concentração do setor bancário no Município de São Paulo

Estudo revela que 60% das sedes bancárias brasileiras estão localizadas em São Paulo, porém essa atividade está concentrada em poucas regiões da cidade.

 

O informe faz uma análise da concentração do setor bancário no Município, sob a hipótese de que a expressiva presença, não só de agências bancárias, mas também dos centros de comando dos bancos em território paulistano, possa contribuir para amenizar os efeitos econômicos perversos causados pela pandemia da covid-19, dado que o setor se manteve bastante ativo, empregando grande número de pessoas e movimentando montantes significativos de capitais, inclusive, no suporte aos demais setores e famílias atingidas pela crise.

 

O processo da concentração do setor financeiro, em especial do setor bancário, vem sendo observado desde meados do século passado e ocorre por uma gama de fatores. Do ponto de vista territorial, a infraestrutura física, a oferta de serviços e a qualidade dos centros de formação acadêmica e profissional que a cidade oferece podem ser consideradas fatores importantes para a explicação do fenômeno.

 

O estudo demonstrou que o nível de concentração é bastante significativo, havendo uma enorme distância no que diz respeito ao número de agências e, sobretudo, de sedes dos bancos, em território paulistano em relação aos demais municípios do país. Também evidenciou a grande participação do município no patrimônio e nas quantias movimentadas pelos bancos no território brasileiro.

 

Por fim, o estudo revelou que há forte concentração também no contexto intraurbano, com poucos quarteirões congregando grande parte dos principais estabelecimentos, empregos e montantes movimentados no setor.

 

Acesse o estudo na íntegra